Os sentidos humanos  –  parte 1
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 29

Visão PowerPoint PPT Presentation


  • 129 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Os sentidos humanos – parte 1. Visão. Paladar. Olfato. Audição. Tato. Colégio INEDI Prof. Luiz Antônio Tomaz Turmas 71 e 72. São cinco os sentidos humanos. Graças a eles, comunicamo-nos com o mundo!

Download Presentation

Visão

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Vis o

Os sentidos humanos – parte 1

Visão

Paladar

Olfato

Audição

Tato

Colégio INEDI

Prof. Luiz Antônio Tomaz

Turmas 71 e 72


Vis o

São cinco os sentidos humanos.

Graças a eles, comunicamo-nos com o mundo!

Cada um deles possui órgão específico para receber os estímulos vindos do meio ambiente, mas cabe ao SNC interpretá-los.


Vis o

Salientamos que algumas atividades humanas exigem sentidos mais desenvolvidos.

Atividades

(profissões)


Vis o

A visão

Nesta apresentação (parte 1) daremos ênfase à visão, talvez nosso principal sentido.

Saliente-se, por outro lado, que haverá uma segunda apresentação, quando serão abordados os demais sentidos.


Vis o

A visão

Dentre os cinco sentidos humanos, como já dissemos, o mais importante pode ser a visão. Ela nos permite a percepção do mundo com todas as suas formas e cores.


Vis o

Visão em corte do globo ocular


Vis o

Mecanismo da visão

A imagem, no olho emétrope (normal), forma-se sobre retina e de forma invertida.


Vis o

Mecanismo da visão

O cérebro, através do nervo óptico, recebe o estímulo visual e interpreta-o na posição correta.

Se não fosse assim, enxergaríamos tudo de cabeça para baixo.


Vis o

Analogia do olho com a máquina fotográfica


Vis o

Cores dos olhos: a íris

As diferentes cores observadas nos olhos humanos devem-se a uma estrutura chamada íris.

A íris é muito importante para a visão. Em seu centro há um “buraco” conhecido por pupila. Esta regula a quantidade de luz.


Vis o

Pupila: ”menina dos olhos”

Pupila (termo oriundo do latim pupilla - menininha), ou menina dos olhos, é a parte do olho, como um orifício de diâmetro regulável, que está situada entre a córnea e o cristalino e no centro da íris. É responsável pela passagem da luz do meio exterior até os órgãos sensoriais da retina. 


Vis o

Olhos vermelhos e fotografia

Quanta vezes, ao tirar uma fotografia com “flash”, os olhos das pessoas aparecem vermelhos?

Isso acontece por que o fundo do olho (retina) é rico em vasos sanguíneos e o mesmo reflete a luz.


Vis o

A lágrima: quando chorar é bom

A lágrima é produzida pelas glândulas lacrimais, sendo um líquido composto de água, sais minerais, proteínas e gordura. Serve para lubrificar e limpar o olho (antisséptico).


Vis o

Anomalias visuais: curvatura do olho

Salientamos, primeiramente, que o olho normal é dito emétrope.

Contudo, por defeito na curvatura do olho, anomalias acontecem, o que torna a visão defeituosa.

Destaquem-se: miopia, hipermetropia, astigmatismo.


Vis o

Miopia

A imagem é formada antes da retina, tornando-a não nítida. O míope tem grandes dificuldades de enxergar objetos distantes.

A correção é feita com lentes divergentes.


Vis o

Hipermetropia

Defeito oposto à miopia, ou seja, a imagem de objetos próximos é formada além da retina, fazendo aquelas imagens não sejam formadas com nitidez.

A correção é feita com lentes convergentes.


Vis o

Miopia, hipermetropia: correção da anomalia

 As principais são a miopia (dificuldade para visão de longe), hipermetropia (dificuldade para visão de perto).


Vis o

Astigmatismo

É uma deformação da curvatura do globo ocular, o que resulta numa deficiência visual, onde as imagens aparecem embaçadas ou distorcidas, pois os raios de luz não chegam ao mesmo ponto da retina.


Vis o

Catarata: o cristalino perde a transparência


Vis o

Daltonismo

Caracteriza-se pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores, em especial o verde do vermelho.

O distúrbio, que era conhecido desde o século XVIII, recebeu esse nome em homenagem ao químico John Dalton, que foi o primeiro cientista a estudar a anomalia de que ele mesmo era portador.

John Dalton


Vis o

Daltonismo

Teste básico para daltonismo

Qual número está representado ao lado?

Sua visão é normal?

Você realizou o chamado teste de Ishihara.


Vis o

Glaucoma

Estima-se que, aproximadamente, 65 milhões de pessoas sejam portadoras de glaucoma no mundo, sendo considerada a primeira causa de cegueira irreversível.

Ocorre devido à grande pressão interna do olho. História familiar, idade avançada, etnia negra, espessura da córnea (mais fina) são fatores de risco.


Vis o

Ilusões de óptica: parece, mas não é.

Sapo ou cavalo?

Por incrível que pareça, as imagens são iguais. Trata-se de uma ilusão de óptica.


Vis o

As Ilusões de óptica são  ilusões que "enganam" o sistema visual humano fazendo-nos ver qualquer coisa que não está presente ou fazendo-nos vê-la de um modo errôneo.

A seguir, alguns exemplos de ilusão de ótica.


Vis o

Parado ou em movimento?


Vis o

Focalize o ponto no centro e mova a cabeça (junto com o corpo) para frente e para traz.

O que acontece?


Vis o

Deficiente visual e acessibilidade

Passagens estreitas, escadas e calçadas irregulares, pessoas pouco solidárias são apenas algumas barreiras que o deficiente visual enfrenta em seu cotidiano.

O que posso fazer para ajudar?


Vis o

Alfabeto Braille

 O alfabeto braille, foi inventado na França por Louis Braille, um jovem deficiente visual. Reconhece-se o ano de 1825 como o marco dessa importante conquista para a educação e integração dos deficientes visuais na sociedade.Para a escrita são usados regletes especiais.


Vis o

O olho é uma espécie de globo,

É um pequeno planeta

com pinturas do lado de fora.

Muitas pinturas:

azuis, verdes, amarelas.

É um globo brilhante:

parece cristal,

é como um aquário com plantas

finamente desenhadas: algas, sargaços,

miniaturas marinhas, areias, rochas, naufrágios e peixes de ouro.

Mas por dentro há outras pinturas,

que não se veem:

umas são imagens do mundo,

outras são inventadas.

O olho é um teatro por dentro.

E às vezes, sejam fortes atores, sejam cenas,

e às vezes, sejam imagens, sejam ausências,

formam, no olho, lágrimas.

Cecília Meireles


  • Login