Nódulo Pulmonar Solitário:
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 32

Nódulo Pulmonar Solitário: Quando Intervir? Mauro Zamboni, MD, FCCP, MSc PowerPoint PPT Presentation


  • 137 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Nódulo Pulmonar Solitário: Quando Intervir? Mauro Zamboni, MD, FCCP, MSc Pneumologista, Coordenador do Grupo de Oncologia Torácica do INCA/MS Rio de Janeiro. Mulher, 48 a. tabagista 22 maços-ano, procurou atendimento médico devido à quadro gripal.

Download Presentation

Nódulo Pulmonar Solitário: Quando Intervir? Mauro Zamboni, MD, FCCP, MSc

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Nódulo Pulmonar Solitário:

Quando Intervir?

Mauro Zamboni, MD, FCCP, MSc

Pneumologista, Coordenador do Grupo de Oncologia Torácica do INCA/MS

Rio de Janeiro


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Mulher, 48 a. tabagista 22 maços-ano,

procurou atendimento médico devido à

quadro gripal.

Exame físico, exames laboratoriais e PFR normais.

Rx e TC do tórax mostraram um nódulo em LSD


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

SUV = 1,5


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Toracotomia à direita com ressecção do nódulo.

Congelação compatível com doença granulomatosa.

LHP: granuloma com necrose caseosa e celulas gigantes compatível com tuberculose


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Mulher, 42 a., assintomática.

Rx de tórax de rotina:

nódulo em LID.

Nunca fumou.

Ex.normal.

Ex. laboratoriais normais.

PFR normal.


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

SUV = 8,2


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

. Toracotomia à direita c/ ressecção de nódulo no seg. apical (6) do lobo inferior.

. Congelação: Tumor Carcinóide

. Realizada lobectomia inferior direita e linfadenectomia mediastinal.

LHP: Tu carcinóide típico

LFNs negativos


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência do NPS?. A prevalência do NPS: 8% a 51%. A prevalência de malignidade em pac. c/ NPS: 1,1% a 12%


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Tamanho

. 0% a 1% - < 5 mm

. 6% a 28% - 5 a 10 mm

. 64% a 82% - > 20 mm


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Morfologia

20% a 30%

Lisa

OU

33% a 100%

Lobulada

Espiculada


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Morfologia

Opacidade em Vidro Fosco

. Vidro Fosco Puro – 59% a 73%

. Vidro Fosco com componente sólido – 7% a 9%


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Central


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Sólida Difusa


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Pipoca


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Laminar


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Excêntrica


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Padrão de Calcificação

Heterogênea


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Crescimento

Nov. 2002Nov. 2004 Jan. 2007


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características (tamanho, morfologia, tipo de opacidade, padrão de calcificação, crescimento)?

. Crescimento

Febre e Neutropenia4 dias após


Qual a preval ncia de malignidade em n dulos de acordo com suas caracter sticas

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características

. Realce na TC


Qual a preval ncia de malignidade em n dulos de acordo com suas caracter sticas1

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características

. PET-TC


Qual a preval ncia de malignidade em n dulos de acordo com suas caracter sticas2

Qual a Prevalência de Malignidade em Nódulos de Acordo com suas Características

. PET-TC


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

www.chestx-ray.com


N dulo pulmonar solit rio quando intervir mauro zamboni md fccp msc

Diretriz da Sociedade Fleischner


Aten o

Atenção

1. Principais Fatores de Risco


Aten o1

Atenção

2. Metade dos tabagistas > 50 anos tem pelo menos um nódulo pulmonar quando fazem o rastreamento inicial

3. A probabilidade de um nódulo ser maligno aumenta com seu tamanho

4. Mesmo nos tabagistas a fração de nódulos com diâmetro até 4 mm que vai se mostrar maligna nos estudos subseqüentes é menor do que 1%

5. Nódulos em tabagistas têm maior risco de serem malignos e crescem mais rapidamente do que nos não tabagistas

6. Quanto maior a idade do paciente maior a chance do nódulo ser maligno

7. ATENÇÃO com as imagens em vidro fosco !!

8. ATENÇÃO com os tumores carcinóide e Bronquíolo-alveolar


  • Login