O PLANO DE METAS E O Capital Estrangeiro
Download
1 / 18

O PLANO DE METAS E O Capital Estrangeiro 1954 A 1964 - PowerPoint PPT Presentation


  • 99 Views
  • Uploaded on

O PLANO DE METAS E O Capital Estrangeiro 1954 A 1964. O PLANO DE METAS 1954 A 1964. O decênio que vai 1954 a 1964 é um período em que ocorre forte conflito entre dois caminhos para a economia do país: A continuidade do modelo nacional-desenvolvimentista;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' O PLANO DE METAS E O Capital Estrangeiro 1954 A 1964' - feivel


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

O plano de metas 1954 a 1964
O PLANO DE METAS1954 A 1964

  • O decênio que vai 1954 a 1964 é um período em que ocorre forte conflito entre dois caminhos para a economia do país:

  • A continuidade do modelo nacional-desenvolvimentista;

  • Inauguração de um modelo que implicava maior abertura ao capital estrangeiro.


O plano de metas 1954 a 19641
O PLANO DE METAS1954 A 1964

  • Esse período começa com a morte de Getúlio Vargas, quando assumiu seu vice Café Filho, e termina com o golpe militar de 1964.

UM MOMENTO IMPORTANTE DESSE PERIODO CORRESPONDE À IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE METAS DE JUCELINO KUBITSCHEK


O plano de metas 1954 a 19642
O PLANO DE METAS1954 A 1964

“50 ANOS EM 5” de JK

  • JK foi eleito em 03 de outubro de 1955;

  • Antes de sua posse, houve uma tentativa de golpe;


O plano de metas 1954 a 19643
O PLANO DE METAS1954 A 1964

Ao assumir JK lançou o PLANO DE METAS

01 - Investimentos estatais em infra-estrutura, principalmente transporte e energia elétrica, sendo que, na área de transporte, a ênfase passava da ferrovia para a rodovia;


O plano de metas 1954 a 19644
O PLANO DE METAS1954 A 1964

  • 02 – Incentivo ao aumento da produção:

  • Bens de capital – máquinas e equipamentos;

  • Bens Intermediários – aço, carvão, cimento;

    03 – Incentivo à introdução dos setores de bens de consumo duráveis;

    04 – Estímulo à produção de alimentos.


Jk e o nacional desenvolvimentismo 1954 a 1964
JK e o nacional-desenvolvimentismo1954 a 1964

  • Recusa a aplicar a política do FMI – culminando com o rompimento com essa instituição;

  • Intensa promoção da indústria pesada sob controle nacional e protecionismo à indústria nascente, à indústria naval e à Marinha mercante brasileira;


Jk e o nacional desenvolvimentismo 1954 a 19641
JK e o nacional-desenvolvimentismo1954 a 1964

  • Aumento do papel do estado na economia para garantir o desenvolvimento;

  • Política de preservação e até certa melhoria do salário real médio;

  • Criação da SUDENE;

  • Programa de ocupação Centro-Oeste.


Jk e o capital estrangeiro
JK e o Capital Estrangeiro

  • Utilização da Instrução nº 113 que permitia as empresas estrangeiras trazer para o país máquinas e equipamentos sem necessidade de cobertura cambial;

    A ENTRADA ANUAL DE CAPITAL AUMENTOU DE US$ 65 MILHÕES 1950/55 PARA US$ 148 MILHÕES NO PERÍODO 1956/61.


Jk e o capital estrangeiro1
JK e o Capital Estrangeiro

  • Cerca de 70% desses capitais, máquinas e equipamentos – compostas basicamente de fábricas usadas, obsoletas nos EUA, mas moderna aqui.

  • A PRODUÇÃO VOLTADA PARA BENS DE CONSUMO DE LUXO – DESTACANDO-SE A INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA.


Jk e o capital estrangeiro2
JK e o Capital Estrangeiro

O Brasil nesse período passou a ser o país de maior desenvolvimento na América Latina.

AS GRANDES CORPORAÇÕES DOS EUA, BUSCAVAM COMPENSAR A TENDÊNCIA À QUEDA DA TAXA DE LUCRO NAQUELE PAÍS, INVESTINDO EM OUTROS PAISES QUE GARANTA TAXA DE JUROS MAIS ELEVADA.


Mudan a do perfil da ind stria
MUDANÇA DO PERFIL DA INDÚSTRIA

  • A indústria reduziu o peso relativo de bens de consumo popular e aumentava o da indústria de meios de produção e de bens de consumo de luxo.

VERIFICA-SE QUE ATÉ 1958/59 OS INVESTIMENTOS AUMENTARAM 145% NO RAMO DE MATERIAL ELÉTRICO E DE COMUNICAÇÃO, E 764% NO RAMO DE MATERIAL DE TRANSPORTE.


Concentra o de renda
CONCENTRAÇÃO DE RENDA

  • Na segunda metade da década de 50, experimenta-se no Brasil uma forte queda do salário real:

  • O salário real dos operários cresceu 12,3%;

  • A produtividade industrial avançou 72,8%.


Concentra o de renda1
CONCENTRAÇÃO DE RENDA

  • O resultado foi que em 1960 tínhamos no Brasil uma distribuição pessoal da renda altamente concentrada, muito superior à dos demais países da América Latina.

ESSE PROCESSO DE CONCENTRAÇÃO DE RENDA ESTAVA RELACIONADO AO AVANÇO DO CAPITAL EXTERNO NO PAÍS.


Monopoliza o precoce
MONOPOLIZAÇÃO PRECOCE

  • A concentração e centralização do capital são fenômenos típicos da economia capitalista.

  • NA DÉCADA DE 50 HOUVE UMA INTENSA CONCENTRAÇÃO/CENTRALIZAÇÃO DO CAPITAL NO BRASIL.


Monopoliza o precoce1
MONOPOLIZAÇÃO PRECOCE

Segundo Paul Singer

OS ESTABELECIMENTOS QUE EMPREGAVAM ATÉ 5 OPERÁRIOS

Em 1949, eram responsáveis por 12,2% do emprego e 9,7% valor da transformação industrial;

Em 1959, os percentuais caíram para 8,5% e 4,4% respectivamente.


Monopoliza o precoce2
MONOPOLIZAÇÃO PRECOCE

Segundo Paul Singer

ESTABELECIMENTOS COM 500 OU MAIS EMPREGADOS

Em 1949, eram responsáveis por 24,7% do emprego e 27,1% valor da transformação industrial;

Em 1959, os percentuais aumentaram para 29% e 36% respectivamente.



ad