diferentes vis es da concorr ncia
Download
Skip this Video
Download Presentation
Diferentes Visões da Concorrência

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 12

Diferentes Visões da Concorrência - PowerPoint PPT Presentation


  • 114 Views
  • Uploaded on

Diferentes Visões da Concorrência. Clássicos, Marx, Neoclássicos: concorrência tem posição acessória na teoria econômica Noção Clássica da Concorrência A concorrência entre capitais é concebida como um processo em que o capital: Entra nas industrias com maior taxa de lucro

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Diferentes Visões da Concorrência' - elmo-edwards


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
diferentes vis es da concorr ncia
Diferentes Visões da Concorrência
  • Clássicos, Marx, Neoclássicos: concorrência tem posição acessória na teoria econômica
  • Noção Clássica da Concorrência
    • A concorrência entre capitais é concebida como um processo em que o capital:
      • Entra nas industrias com maior taxa de lucro
      • Sai das industrias com menor taxa de lucro
    • Tendência à igualação da taxa de lucro
    • Preço de equilíbrio

Kupfer e Hasenclever: 2002

diferentes vis es da concorr ncia1
Diferentes Visões da Concorrência
  • Concorrência em Marx:
    • Livre mobilidade do capital

 Tendência à igualação da taxa de lucro.

    • Resulta na introdução do progresso técnico para reduzir custos.
  • A noção neoclássica da concorrência:
    • Empresas incapazes de afetar preço de mercado: empresas não possuem poder de mercado.

 Preço de mercado determinado pelo equilíbrio entre oferta e demanda: P = CMg

Kupfer e Hasenclever: 2002

a vis o de schumpeter
A visão de Schumpeter
  • Teoria da concorrência: inserida em uma visão da evolução do capitalismo baseada no processo de introdução e difusão de inovações
  • Agentes buscam criar lucro de monopólio através da diferenciação
    • Tecnológica: Processos de Produção, Produtos, Organização, Fontes de insumos,
    • De Mercados: Geográfica, Clientes, Serviços pós-venda

Inovações: processos, produtos, insumos, organização, mercados.

Kupfer e Hasenclever: 2002

concorr ncia schumpeteriana
Concorrência Schumpeteriana
  • Concorrência não é o contrário de monopólio.
    • Estratégia das empresas: inovar (criar diferenciação) para obter lucros de monopólio temporário
    • Outras empresas copiam inovação: difusão
      • Eliminação do monopólio não é garantida: retornos crescentes de escala tendem a consolidar as vantagens do monopólio.
  • Concorrência:
    • Processo Ativo: Inovação Diversidade
    • Processo Passivo: Difusão  Equilíbrio.

Kupfer e Hasenclever: 2002

concorr ncia schumpeteriana1
Concorrência Schumpeteriana
  • Diversidade de formas (instrumentos) de concorrência:
    • Concorrência em preços
    • Diferenciação de produtos
    • Inovação: criação de novos espaços econômicos
  • Elementos centrais da análise da concorrência
    • Empresa: Define estratégias e se apropria do lucro
    • Mercado: determina se estratégias foram corretas ou equivocadas

Kupfer e Hasenclever: 2002

concorr ncia schumpeteriana2
Concorrência Schumpeteriana
  • Interação entre:
    • estratégia das empresas: inovação, investimentos, preços...
    • Estrutura do mercado: barreiras à entrada, condições tecnológicas...

 dinâmica da industria:

    • produtos e processos, participação das empresas no mercado, rentabilidade, crescimento das empresas.
  • Estrutura do mercado modifica e é modificada pelas estratégia das empresas

Kupfer e Hasenclever: 2002

concorr ncia schumpeteriana3
Concorrência Schumpeteriana
  • A concorrência é um processo de interação entre empresas buscando a apropriação de lucro.
    • Não conduz ao equilíbrio (igualação da taxa de lucro) mesmo com livre entrada
  • Monopólio criado por inovação
    • Não é anticompetitivo
    • É o objetivo da concorrência
  • Monopólio e concorrência não são incompatíveis

Kupfer e Hasenclever: 2002

abordagem neoschumpeteriana
Abordagem Neoschumpeteriana
  • Enfoque evolucionário da análise microeconômica
    • Empresas: estratégias de inovação produzem mutações
    • Mercado: ambiente que seleciona mutações.
  • Microdinâmica:
    • Estratégias empresariais: busca por inovações, produtos, investimentos, preços.
    • Mercado: Seleção das inovações

 trajetória: mudança endógena da estrutura do mercado (produtos, tecnologias, concentração...)

    • Estratégias das empresas provocam mudança da estrutura do mercado

Kupfer e Hasenclever: 2002

s ntese
Síntese
  • Teoria da concorrência schumpeteriana:
    • Mais importante
      • Dimensão ativa da concorrência
      • Criação ativa de novas oportunidades lucrativas
    • Menos importante:
      • Dimensão passiva da concorrência
      • Eliminação passiva das diferenças entre os agentes

 Destaque para as inovações

  • Dinâmica ativa da concorrência

 Mudança qualitativa da economia capitalista é endógena (provocada pelas empresas).

Kupfer e Hasenclever: 2002

competitividade
Competitividade
  • Nível da Empresa: define e implementa estratégia
  • Nível do Mercado: padrão de concorrência em cada setor da economia
    • As características técnico-produtivas e as características da demanda do produto definem os instrumentos de concorrência utilizados no setor:
      • Preços.
      • Diferenciação de produtos.
      • Inovação tecnológica: Processos de Produção, Produtos, Organização, Fontes de insumos.
      • Inovação de mercado: Geográfica, Clientes, Serviços pós-venda.

Kupfer e Hasenclever: 2002

est mulo a competitividade
Estímulo a Competitividade
  • Nível da empresa
    • Estratégias inovativas: tecnológicas e de mercado.
    • Eficiência produtiva: cópia do padrão de técnicas, linha de produtos, e organização mais avançado.
  • Nível do Mercado
    • Pressões competitivas: Ameaça de Entrada
    • Fatores sistêmicos:
      • Disponibilidade de infra-estrutura e mão-de-obra qualificada
      • Condições macroeconômicas: crescimento econômico
      • Acesso a fontes de financiamento
      • Legislação: Marco Regulatório.
      • Política industrial: cambio, tarifas de importação, política comercial.

Kupfer e Hasenclever: 2002

fortalecimento da concorr ncia
Fortalecimento da Concorrência
  • Competitividade
    • Deve ser construída pelas empresas e pela política econômica.
  • Fortalecer a concorrência
    • Significa criar ambiente intensamente competitivo com empresa:
      • inovadoras
      • Eficientes ao nível técnico, produtivo e organizacional.

Kupfer e Hasenclever: 2002

ad