Teoria e ensino da gin stica i
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 23

TEORIA E ENSINO DA GINÁSTICA I PowerPoint PPT Presentation


  • 133 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

TEORIA E ENSINO DA GINÁSTICA I. História da Ginástica. Segundo Ramos (1982), a ginástica: Origina-se na Pré-História Afirma-se na Antiguidade Estaciona na Idade Média Fundamenta-se na Idade Moderna e Sistematiza-se nos primórdios da Idade Contemporânea. História da Ginástica. Pré-história

Download Presentation

TEORIA E ENSINO DA GINÁSTICA I

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Teoria e ensino da gin stica i

TEORIA E ENSINO DA GINÁSTICA I


Hist ria da gin stica

História da Ginástica

  • Segundo Ramos (1982), a ginástica:

    • Origina-se na Pré-História

    • Afirma-se na Antiguidade

    • Estaciona na Idade Média

    • Fundamenta-se na Idade Moderna e

    • Sistematiza-se nos primórdios da Idade Contemporânea


Hist ria da gin stica1

História da Ginástica

  • Pré-história

    • Atividade física como luta pela sobrevivência: atacar e defender:

    • Percepção de suas qualidades como força, agilidade, destreza, equilíbrio, resistência...

    • Estruturação de movimentos sistematizados.

    • Exercícios de caráter utilitário e sistematizado passado de gerações em gerações.


Antiguidade 4000 a c 476 d c

Antiguidade (4000 a. C – 476 d. C):

  • Era recomendada somente para homens – força para defesa da pátria.

  • A ginástica aparece como sinõnimo de A.F. com objetivos médicos e morais: massagens e exercícios respiratórios

  • luta, natação, remo, hipismo, atirar com o arco, exercícios utilitários, jogos, rituais religiosos e na preparação guerreira de maneira geral.


Hist ria da gin stica no povos

História da Ginástica no povos

  • Egípcios: traduz sua intensa exercitação física, através de pinturas e desenhos encontrados nas paredes das tumbas, mostrando jogos de mímica, diversas fases de luta corporal, corridas, lançamentos de arco e flecha, saltos, arremessos.

  • Hindus: a atividade física entre eles privilegiava os aspectos: médico-higiênicos, fisiológico, moral, religioso, guerreiro. Além da ioga que foi criada por eles, as atividades físicas mais desenvolvidas na Índia foram: as corridas, a equitação, a caça, a natação, o boxe e a luta.


Hist ria da gin stica no povos1

História da Ginástica no povos

  • Chineses:

    • Confúcio (kung-fu-tsen) procurou por meio de suas doutrinas regenerar moralmente o seu povo através de exercícios físicos.

    • Filósofos incutiram no povo a filosofia de inanição – declínio das atividades físicas.

    • Foram os primeiros a encarar a ginástica no duplo aspecto fisiológico e moral.

    • Ginástica chang = massagens por fricção, pressão, percussão, vibração – ginástica médica.

    • Origem do Kung-fu – diversas posições corporais, consitia na arte de variar de atitudes – ginástica terapêutica.

    • Hidroterapia


Hist ria da gin stica no povos2

História da Ginástica no povos

  • Assírios e Caldeus:

    • Viviam sob o terror dos Deuses e o domínio absoluto dos reis divinizados, cultivavam exageradamente a força física, a destreza e a resistência, por serem essencialmente guerreiros e caçadores.

    • marchas, as rápidas corridas, o manejo do arco e flecha, o arremesso de lanças, as lutas, a equitação (sem sela e estribo), a natação e a canoagem, eram indispensáveis

    • Predominavam os aspectos: médico-higiênico, moral, religioso, guerreiro e fisiológico.


Hist ria da gin stica no povos3

História da Ginástica no povos

  • Gregos:

    • Exaltavam a beleza da forma física

    • Todas as formas educacionais convergiam para a estética

    • Surge a palavra ginástica para designar exercícios físico (721 a.C)

    • Conceito de ginástica: “arte de exercitar o corpo nu”

    • Exercícios praticados em ginásios por homens despidos banhados em óleo


Hist ria da gin stica no povos4

História da Ginástica no povos

  • Gregos (cont)

    • Ginástica codificada e metodizada por professores e alunos consagrados através dos exercícios físicos

    • Divisão em Orquéstrica e Palestrica

    • Orquéstrica: à formação do caráter, da altivez e da dignidade dos jovens e adolescentes, preparados por ela por meio do canto e da música

    • Paléstrica:preparava atletas em diversas modalidades de exercícios e para jogos nos estádios, em competições.


Hist ria da gin stica no povos5

História da Ginástica no povos

  • Gregos (cont)

    • Desgenaração da ginástica na Grécia –separando-se cultura do corpo e cultura espiritual, substituindo-se movimentos ritmados por exercícios de força pura e brutal (500 a.C.), e transformando-se os ginásios em simples escolas de atletas.


Hist ria da gin stica no povos6

História da Ginástica no povos

  • Roma:

    • Conheceram a ginástica grega quando esta ja estava em decadência.

    • Preparação de guerreiros – primordialmente

    • seguido das atividades desportivas como corridas de carro e lutas de gladiadores.

    • Hidroterapia – utilizada metodicamente.


Idade m dia

Idade Média

  • Surgimento do cristianismo – muda-se a visão de atividade física. Ela agora pertence ao mundo mundano, indigno a formação do homem.

  • Só as atividades voltadas para o espírito e contemplação a Deus, deveriam integrar a educação do homem.

  • Os exercícios ginásticos foram relegados ao desprezo, sendo substituídos pelo manejo das armas e da esgrima, e pelas pistas.


Teoria e ensino da gin stica i

  • Idade Média:

    • A conservação da força e da beleza corporal e os princípios higiênicos da saúde foram substituidos pelo espírito de sacrifício, pelo sentimento de caridade, pela exaltação moral, pelo abandono do próprio corpo e pelo inebriamento do misticismo, visando assim uma vida supra-terrestre.

    • a igreja organizou as cruzadas que exigiam a preparação militar, tendo como base exercícios corporais.


Teoria e ensino da gin stica i

  • Renascimento :

    • Surge o movimento Humanista

    • ressurgimento da Ginástica revigorada pelos princípios gregos, que buscavam a harmonização do corpo e do espírito.

  • Idade Moderna

    • Obras relacionadas a pedagogia, fisiologia e técnicas deram impulso a sistematização da ginástica


Idade contempor nea 1789

Idade Contemporânea (1789)

  • Até 1800, as formas de exercício resumiam-se aos jogos, danças folclóricas e regionais e atletismo

  • Segundo Langlade (1980): a origem da atual ginástica data do início do séc XIX com o surgimento de quatro grandes escolas: Inglesa, Alemã, Sueca e Francesa.

  • associação da educação física com a educação intelectual e moral.


M todos gin sticos

MÉTODOS GINÁSTICOS

  • OBJETIVOS

    • Promover a saúde,

    • Regenerar a raça,

    • Desenvolver a coragem, a vontade, a força, a energia, a servidão,

    • Desenvolver a moral, intervindo nos costumes e tradições dos povos.


M todo alem o

Método Alemão

  • Defesa da pátria;

  • Criação de espírito nacionalista e corpos saudáveis em seus cidadãos.

  • Preconizava a disciplina e a moral, além da saúde.

  • Aparelhos

  • Contato com a natureza,

  • Caráter pedagógico, de formação moral e disciplinar,

  • Surgimento da ginástica rítmica e da ginástica feminina.

  • Introdução de aparelhos portáteis,

  • O improviso na atividade corporal,

  • Valorização do ritmo e contato com o solo.


M todo franc s

Método Francês

  • Aperfeiçoamento motor, considerando as dimensões anátomo/fisiológicas do corpo.

  • Ênfase:

    • nas qualidades físicas da vida cotidiana,

    • na economia de energia,

    • no desenvolvimento físico integral,

    • no aumento da resistência orgânica,

    • valorizar aptidões através dos exercícios naturais, repudiando os artificiais.

  • Propunham lição de ginástica dividida em 3 momentos: preparação, aula propriamente dita e volta à calma.


Teoria e ensino da gin stica i

  • Na Suécia

    • um método de educação com finalidades higiênicas, corretivas e nacionalistas.

    • exercícios analíticos, racionais, simples e localizadas,

    • abrangências pedagógicas, militares, médicas e estéticas.

    • Possui aspectos morais acentuadas para paz e não para guerra como o método alemão.

  • Ginástica Neo-sueco,

    • movimentos de balanço e oscilações,

    • ênfase a música e a alegria com movimentos rítmicos e globais.


M todo ingl s

MÉTODO INGLÊS

  • Esporte


Teoria e ensino da gin stica i

  • CALISTENIA:

    • inspirada no método sueco

    • ginástica com exercícios livres e ritmados,

    • Inicialmente era feminina mas em seguida homens, mulheres e crianças praticavam

    • principio da higiene e da educação

    • Características: a predominância de formas analíticas (localizadas) e dos movimentos sobre as posições, exercícios livres e com pequenos aparelhos (halteres, bastões, etc.),

    • associação da musicas e do ritmo no movimento.


Chegada e evolu o da gin stica no brasil

Chegada e Evolução da Ginástica no Brasil


Teoria e ensino da gin stica i

  • A ginástica chega ao país no século passado com a família real e a fundação da escola militar brasileira.

    • Na escola militar: método alemão – método francês.

    • Na escola civil: método alemão - método sueco – método francês e calistenia.


  • Login