Pesquisa te rica x pesquisa empirica mta aula 3
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 23

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA MTA – aula 3 PowerPoint PPT Presentation


  • 170 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA MTA – aula 3. PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA. Pesquisa é o mesmo que busca ou procura. Pesquisar, portanto, é buscar ou procurar resposta para alguma coisa.

Download Presentation

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA MTA – aula 3

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Pesquisa te rica x pesquisa empirica mta aula 3

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICAMTA – aula 3


Pesquisa te rica x pesquisa empirica

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • Pesquisa é o mesmo que busca ou procura.

  • Pesquisar, portanto, é buscar ou procurar resposta para alguma coisa.

  • Em se tratando de Ciência a pesquisa é a busca de solução a um problema que o alguém queira saber a resposta.

  • Pesquisa é, portanto o caminho para se chegar à ciência, ao conhecimento.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica1

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  •  É na pesquisa que utilizaremos diferentes instrumentos para se chegar a uma resposta mais precisa.

  • O instrumento ideal deverá ser estipulado pelo pesquisador para se atingir os resultados ideais.

  • Exemplo (grosseiro):

    • eu não poderia procurar um tesouro numa praia cavando um buraco com uma picareta; eu precisaria de uma pá.

    • Da mesma forma eu não poderia fazer um buraco no cimento com uma pá; eu precisaria de uma picareta.

    • Por isso a importância de se definir o tipo de pesquisa e da escolha do instrumental ideal a ser utilizado.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica2

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • A Ciência, através da evolução de seus conceitos, está dividida por áreas do conhecimento.

    • Ciências Humanas, Sociais, Biológicas, Exatas, entre outras.

    • Mesmo estas divisões tem outras sub-divisões como por exemplos Ciências Sociais, pode ser dividida em Direito, História, Sociologia etc.

  • Nenhum tipo de pesquisa é auto-suficiente, pois na prática, mesclamos todos acentuando mais este ou aquele tipo de pesquisa.

  • PESQUISA: De um modo geral, a pesquisa compreende qualquer atividade criativa e sistemática realizada com o fim de incrementar o acervo do conhecimento científico e o uso deste acervo de conhecimentos para conceber novas aplicações.

  • Para realizar uma pesquisa de cunho científico é de fundamental importância que o pesquisador tenha uma clara distinção dos diversos tipos de conhecimento e uma sólida fundamentação epistemológica


Pesquisa te rica x pesquisa empirica3

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

tipos de pesquisa:

  • Pesquisa Experimental ou empírica: É toda pesquisa que envolve algum tipo de experimento.

    • Exemplo: Pinga-se uma gota de ácido numa placa de metal para observar o resultado.

  • Pesquisa Exploratória: É toda pesquisa que busca constatar algo num organismo ou num fenômeno.

    • Exemplo: Saber como os peixes respiram.

  • Pesquisa Social: É toda pesquisa que busca respostas de um grupo social.

    • Exemplo: Saber quais os hábitos alimentares de uma comunidade específica.

  • Pesquisa Histórica: É toda pesquisa que estuda o passado.

    • Exemplo: Saber de que forma se deu a Proclamação da República brasileira.

  • Pesquisa Teórica: É toda pesquisa que analisa uma determinada teoria. Exemplo: Saber o que é a Neutralidade Científica.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica4

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • É sabido que, para se fazer uma análise desapaixonada de qualquer tema, é necessário que o pesquisador mantenha uma certa distância emocional do assunto abordado. Mas será isso possível? Seria possível um padre, ao analisar a evolução histórica da Igreja, manter-se afastado de sua própria história de vida? Ou ao contrário, um pesquisador ateu abordar um tema religioso sem um conseqüente envolvimento ideológico nos caminhos de sua pesquisa?       Provavelmente a resposta seria não. Mas, ao mesmo tempo, a consciência desta realidade pode nos preparar para trabalhar esta variável de forma que os resultados da pesquisa não sofram interferências além das esperadas. É preciso que o pesquisador tenha consciência da possibilidade de interferência de sua formação moral, religiosa, cultural e de sua carga de valores para que os resultados da pesquisa não sejam influenciados por eles além do aceitável.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica5

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • Pesquisa teórica

  • Trata-se da pesquisa que é "dedicada a reconstruir teoria, conceitos, idéias, ideologias, polêmicas, tendo em vista, em termos imediatos, aprimorar fundamentos teóricos”.

  • Esse tipo de pesquisa é orientada no sentido de reconstruir teorias, quadros de referência, condições explicativas da realidade, polêmicas e discussões pertinentes.

  • A pesquisa teórica não implica imediata intervenção na realidade, mas nem por isso deixa de ser importante, pois seu papel é decisivo na criação de condições para a intervenção.

  • "O conhecimento teórico adequado acarreta rigor conceitual, análise acurada, desempenho lógico, argumentação diversificada, capacidade explicativa”.

    • Ex: Estudo de propriedades eletrônicas de novos materiais – teoria de bandas


Pesquisa te rica x pesquisa empirica6

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • Pesquisa empírica

  • É a pesquisa dedicada ao tratamento da "face empírica e factual da realidade; produz e analisa dados, procedendo sempre pela via do controle empírico e factual”.

  • A valorização desse tipo de pesquisa é pela "possibilidade que oferece de maior concretude às argumentações, por mais tênue que possa ser a base factual.

  • O significado dos dados empíricos depende do referencial teórico, mas estes dados agregam impacto pertinente, sobretudo no sentido de facilitarem a aproximação prática”.

    • Ex: Caracterização óptica de semicondutores.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica7

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

  • Pesquisa metodológica

  • pesquisa voltada para a inquirição de métodos e procedimentos adotados como científicos.

  • Faz parte da pesquisa metodológica o estudo dos paradigmas, as crises da ciência, os métodos e as técnicas dominantes da produção científica.

    • Ex: Análise do Método Científico de Popper

  • Pesquisa prática

  • pesquisa "ligada à práxis, ou seja, à prática histórica em termos de conhecimento científico para fins explícitos de intervenção; não esconde a ideologia, mas sem perder ó rigor metodológico".

  • Alguns métodos qualitativos seguem esta direção, como por exemplo, pesquisa participante, pesquisa-ação, onde via de regra, o pesquisador faz a devolução dos dados à comunidade estudada para as possíveis intervenções.

    • Ex: Determinação de Procedimentos para a Despoluição do Rio Uberabinha.


Pesquisa te rica x pesquisa empirica8

PESQUISA TEÓRICA X PESQUISA EMPIRICA

Resumo

  • Pesquisa Teórica

    • Dedicada a reconstruir teoria, conceitos, idéias, ideologias, polêmicas, tendo em vista, em termos imediatos, aprimorar fundamentos teóricos

  • Pesquisa empírica

    • Dedicada ao tratamento da face empírica e factual da realidade; produz e analisa dados, procedendo sempre pela via do controle empírico e factual

  • Pesquisa Metodológica

    • Voltada para a inquirição de métodos e procedimentos adotados como científicos

  • Pesquisa Prática

    • Ligada à práxis, ou seja, à prática histórica em termos de conhecimento científico para fins explícitos de intervenção;não esconde a ideologia, mas sem perder o rigor metodológico


Outro tipo de classifica o das pesquisas

Outro tipo de classificação das pesquisas

  • Classificação com base nos objetivos - três grandes grupos:

  • pesquisas exploratórias

    • Tem como objetivo proporcionar maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito. Geralmente, assume a forma de pesquisa bibliográfica e estudo de caso, será utilizada na confecção da monografia

  • pesquisas descritivas

    • Expõe características de determinada população ou de determinado fenômeno. Não tem compromisso de explicar os fenômenos que descreve, embora sirva de base para tal explicação.

  • pesquisas explicativas

    • A preocupação central é identificar os fatores que determinam ou que contribuem para a ocorrência dos fenômenos. É o tipo que mais aprofunda o conhecimento da realidade, porque explica a razão, o porquê das coisas.


Outro tipo de classifica o das pesquisas1

Outro tipo de classificação das pesquisas

  • Classificação com base nos procedimentos técnicos adotados (pois, para analisar os fatos do ponto de vista empírico, para confrontar a visão teórica com os dados da realidade, é necessário traçar o modelo conceitual e também o operatório):

  • pesquisa bibliográfica

    • desenvolvida com base em material já elaborado, constituído principalmente de livros e artigos científicos

  • pesquisa documental

    • Muito parecida com a bibliográfica. A diferença está na natureza das fontes: vale-se de materiais que não receberam ainda um tratamento analítico

  • pesquisa experimental

    • Quando se determina um objeto de estudo, seleciona-se as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo e define-se as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto.


Outro tipo de classifica o das pesquisas2

Outro tipo de classificação das pesquisas

  • Classificação com base nos procedimentos técnicos adotados

  • Levantamento

    • É a interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer

  • estudo de campo

    • Procura o aprofundamento de uma realidade específica. Procura captar as explicações e interpretações do que ocorre naquela realidade.

  • estudo de caso

    • Consiste no estudo profundo e exaustivo (intensivo) de um ou poucos objetos, de maneira que permita seu amplo e detalhado conhecimento.

  • pesquisa-ação

    • Tipo de pesquisa cooperativa ou colaborativa, com base empírica, que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo


Outro tipo de classifica o das pesquisas3

Outro tipo de classificação das pesquisas

  • Classificação segundo as fontes de informação

  • Pesquisa da Pesquisa : reflete-se nos conhecimentos novos obtidos sobre a mesma pesquisa, bem como sua utilidade e efeitos.

  • Pesquisa para o planejamento : visam a avaliação, o diagnóstico e o prognóstico dos sistemas, projetos e planos  definem os papéis a serem assumidos e as estratégias de ação a realizar

  • Pesquisa Instrumental : destinada a introduzir modificações diretas nos conteúdos, procedimentos, tecnologias e meios  apoio imediato à inovação de sistemas.

  • Pesquisa-ação : aparece como um exercício compartilhado por todos os implicados e chega a confundir-se com um processo de aprendizagem coletiva. Seu resultado é um novo processo iniciado, conhecido e realizado pelos participantes.

  • Pesquisa Documental, Bibliográfica e Estatística : enfoque é a análise e a sistematização da informação, considerada como a base e o insumo indispensável para os outros tipos de pesquisa e de tomada de decisões.


Abordagens metodol gicas

ABORDAGENS METODOLÓGICAS

  • Uma vez que foram abordadas

    • as formas de obter conhecimentos,

    • feita a distinção entre essas e os tipos de conhecimentos,

    • foram analisados os métodos de pesquisa,

    • consideramos oportuno apresentar os diversos modos de abordar uma teoria.

    • consideraremos o Positivismo, o Empirismo, a Dialética, como formas de abordar uma teoria e não como método de pesquisa.


Abordagem positivista

Abordagem Positivista

  • Características do Positivismo: estado teológico, o metafísico e o positivismo.

  • Comte, o fundador do positivismo, considera esses estados presentes no desenvolvimento do espírito humano e em todas as ciências.

  • No estado teológico as observações dos fenômenos são ausentes, razão pela qual a imaginação desempenha papel importante.

    • O universo é muito complexo, e diante dessa complexidade o homem só consegue explicação “mediante a crença na intervenção de seres pessoais e sobrenaturais.

    • Segundo Comte, a mentalidade teológica visa a um tipo de compreensão absoluta; o homem, nesse estágio de desenvolvimento, acredita ter posse absoluta do conhecimento”.


Abordagem positivista1

Abordagem Positivista

  • O metafísico tem a mesma finalidade do teológico “explicar a ‘natureza interna’ das coisas, sua origem e destinos últimos, bem como a maneira pela qual são produzidas.

    • A diferença reside no fato de a metafísica colocar o abstrato no lugar do concreto e a argumentação no lugar da imaginação”.

  • Comte caracteriza o estado positivo pela observação, tanto que “cada proposição enunciada de maneira positiva deve corresponder a um fato particular, ou seja universal. Isso não significa, porém, que Comte defende o empirismo puro, ou seja, a redução de todo conhecimento à apreensão exclusiva de fatos isolados”.

  • Na perspectiva positivista os fenômenos existem de per si, cabe ao pesquisador observar os fenômenos existentes utilizando alguns dos métodos das ciências exatas, a fim de descrever as conclusões alcançadas.


Abordagem positivista2

Abordagem Positivista

  • No Positivismo

    • tenta-se transpor o método das ciências exatas ao das ciências sociais.

    • busca-se quantificar as variáveis observadas, nas pesquisas sociais, a fim de reduzir o grau de subjetividade envolvida nessas pesquisas.

  • A descrição da realidade por meio dos números não significa a exclusão de uma visão qualitativa.

  • A descrição quantitativa permite uma percepção empírica, ou a utilização de modelos para revelar os resultados.


Abordagem positivista3

Abordagem Positivista

  • As pesquisas positivistas

    • utilizam como técnica de investigação os estudos descritivos.

    • buscam a descrição das características de determinada população ou fenômeno, bem como o estabelecimento de relações entre variáveis e fatos.

    • O tratamento de dados é realizado com o uso de técnicas estatísticas

    • a validação do resultado é apoiada apenas nos níveis estatísticos de significância.

    • A concepção é entendida como a relação entre variáveis dependentes e independentes.

  • Resumindo o Positivismo considera:

    • a existência de fenômenos;

    • a utilização de modelos matemáticos;

    • a observação;

    • o empirismo, mas não somente empirismo puro.


Abordagem emp rica

Abordagem Empírica

  • “O método experimental consiste essencialmente em submeter os objetos estudados à influência de certas variáveis, em condições controladas e conhecidas pelo investigador, para observar os resultados que a variável produz no objeto.

  • boa parte dos conhecimentos obtidos nos últimos três séculos se deve ao emprego do método experimental

  • As pesquisas consideradas empiristas

    • são orientadas por delineamentos experimentais ou quase-experimentais com uso de pré-teste e pós-teste da amostra.

    • Utilizam testes estatísticos de igualdade de médias e análise de variância para verificar hipóteses estatísticas que geralmente, coincidem com as hipóteses da própria pesquisa.

    • A validação dos resultados dá-se pelo nível de significância nos testes estatísticos e pelas condições do experimento.


Abordagem dial tica

Abordagem Dialética

  • mais utilizada na área social.

  • Na dialética não há uma mesma interpretação;

  • ao afirmar que “não existe ‘a’ [sic] a dialética como se todos os dialéticos formassem um exército com a mesma roupa e as mesmas armas. Este fenômeno seria muito pouco dialético.

  • Na prática encontramos não só dialéticas diferentes, divergentes, mas até mesmo contraditórias, como em qualquer campo metodológico”.

  • Há tipos de estudo em que se pode dar uma abordagem dialética.

  • “Nos estudos que utilizam técnicas bibliográficas e históricos com pesquisas de textos, documentos, registros e dados empíricos, priorizando a análise do discurso.

  • Enquanto as categorias básicas da concepção positivista fundam-se na linearidade, harmonia, fatos etc. a concepção materialista histórica - apóia-se nas categorias de totalidade, contradição, mediação, ideologia, práxis etc.


Abordagem dial tica1

Abordagem Dialética

  • O esquema básico que consagra a dialética é a trilogia tese, antítese e síntese.

    • Tese - EX: custos fixos não devem ser alocados aos produtos porque não são custos dos produtos e sim da estrutura empresarial.

    • Antítese – EX: todos os custos existem no pressuposto de que a empresa possa produzir bens e serviços; logo, esses bens e serviços devem absorver todos os custos. É o custeio por absorção, consagrado por princípios contábeis e por legislação da maioria dos países.

    • Síntese - alguns custos são, de fato, estruturais, e não estão diretamente associados a produtos ou clientes; logo, seria arbitrário alocá-los a qualquer outro objeto de custeio que não a própria empresa como um todo. Ha possibilidade de não atribuir seus custos a produtos ou clientes.


Tarefa

Tarefa

P = cte

T   V

 P é diretamente proporcional a T

V = cte

T   P

 V é diretamente proporcional a T

P V = kT

P V = nRT


  • Login