a a o demon aca
Download
Skip this Video
Download Presentation
A Ação Demoníaca

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

A Ação Demoníaca - PowerPoint PPT Presentation


  • 143 Views
  • Uploaded on

A Ação Demoníaca. É errado crer que a Bíblia “caiu do céu”. É errado crer que a Bíblia “caiu do céu ”. Da mesma forma também é errado pensar que o inimigo não tentou varrer da face da Terra as Sagradas Escrituras. É errado crer que a Bíblia “caiu do céu ”.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' A Ação Demoníaca' - earl


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide3

É errado crer que a Bíblia “caiu do céu”.

  • Da mesma forma também é errado pensar que o inimigo não tentou varrer da face da Terra as Sagradas Escrituras.
slide4

É errado crer que a Bíblia “caiu do céu”.

  • Da mesma forma também é errado pensar que o inimigo não tentou varrer da face da Terra as Sagradas Escrituras.
  • Vários acontecimentos favoreceram isso, dois deles quase conseguiram, mas foram combatidos por homens fiéis à Cristo que, em muitos casos, derramaram seu sangue para guardar a Palavra de Deus escrita para as gerações futuras.
a invas o b rbara 476 dc1
A invasão bárbara 476 dC.
  • Alguns especialistas atribuem a queda do Império Romano (ocidental) principalmente às conversões dos soldados romanos ao cristianismo.
a invas o b rbara 476 dc2
A invasão bárbara 476 dC.
  • Alguns especialistas atribuem a queda do Império Romano (ocidental) principalmente às conversões dos soldados romanos ao cristianismo.
  • Devido à escassez de soldados, Roma se viu obrigada à incluir mercenários no seu exército em um momento que o território já conquistado se tornava cada vez mais difícil de se administrar.
  • As legiões já não eram tão eficientes como antigamente e isso foi um dos principais motivos para a decadência do império.
a invas o b rbara 476 dc3
A invasão bárbara 476 dC.
  • Alguns especialistas atribuem a queda do Império Romano (ocidental) principalmente às conversões dos soldados romanos ao cristianismo.
  • Devido à escassez de soldados, Roma se viu obrigada à incluir mercenários no seu exército em um momento que o território já conquistado se tornava cada vez mais difícil de se administrar.
  • As legiões já não eram tão eficientes como antigamente e isso foi um dos principais motivos para a decadência do império.
  • Em 476 dC. os bárbaros tomaram Roma, pondo fim à séculos de domínio romano.
  • Os bárbaros eram povos sem qualquer noção de civilidade ou de respeito pelos seus inimigos, saqueavam e depois destruíam absolutamente tudo o que encontravam pelo caminho, matavam homens e escravizavam mulheres.
  • Nessa destruição se encontravam bibliotecas inteiras, acabando com toda a cultura dos povos por onde eles passavam.
a invas o b rbara 476 dc4
A invasão bárbara 476 dC.
  • Alguém poderia perguntar “porque não destruíram o patrimônio religioso da Igreja?”.
a invas o b rbara 476 dc5
A invasão bárbara 476 dC.
  • Alguém poderia perguntar “porque não destruíram o patrimônio religioso da Igreja?”.
  • A resposta é “por que Jesus nos prometeu que as portas do inferno não prevaleceriam contra ela”.
a vida mon stica1
A vida monástica

Stº Antão do Deserto (251~356 dC.)

a vida mon stica2
A vida monástica

Stº Antão do Deserto (251~356 dC.) Sº Abba Pacômio (292~348 dC.)

a vida mon stica3
A vida monástica

Stº Antão do Deserto (251~356 dC.) Sº Abba Pacômio (292~348 dC.)

Sº Basílio Mágno (330~379 dC.)

a vida mon stica4
A vida monástica

Stº Antão do Deserto (251~356 dC.) Sº Abba Pacômio (292~348 dC.)

Sº Basílio Mágno (330~379 dC.) Sº Bento de Núrsia (480~547 dC.)

slide17

“Respondeu Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!”

  • Mateus 19, 21
slide18

Antãonão foi o primeiro, mas com certeza foi o maior e um dos primeiríssimos à seguir a vida monástica.

  • Quando tinha 25 anos se sentiu tocado por uma passagem do Evangelho proclamada durante a leitura numa Missa.
  • Após isso ele deixou para sua irmã a metade de uma herança que acabara de ganhar, a outra metade deu aos pobres e passou à viver uma vida eremítica no deserto aos 25 anos de idade.
slide19

Antãonão foi o primeiro, mas com certeza foi o maior e um dos primeiríssimos à seguir a vida monástica.

  • Quando tinha 25 anos se sentiu tocado por uma passagem do Evangelho proclamada durante a leitura numa Missa.
  • Após isso ele deixou para sua irmã a metade de uma herança que acabara de ganhar, a outra metade deu aos pobres e passou à viver uma vida eremítica no deserto aos 25 anos de idade.
  • Pouco tempo depois surgia outro santo que se tornaria monge, era Abba Pacômio.
  • Pacômio se destaca pelo fato de ser o primeiro à organizas comunidades monásticas, tanto de homens quanto de mulheres.
  • Mas a vida monástica nas comunidades formadas por Pacômio eram caracterizadas pela rigidez.
  • Havia um certo exagero nas normas de disciplina e piedade.
slide20

Surge então Basílio Magno, que passa à escrever suas regras monásticas à partir das experiências com os monges do deserto.

  • Em seus escritos ele chega à comentar que alguns monges enlouqueceram durante sua vida monástica e à partir disso a Igreja percebe que essa vida é para poucos, uma vocação muito rara.
  • Ele dizia: “como você vai se humilhar se você não tem os pés de seus irmãos para lavar?”
  • .
slide21

Surge então Basílio Magno, que passa à escrever suas regras monásticas à partir das experiências com os monges do deserto.

  • Em seus escritos ele chega à comentar que alguns monges enlouqueceram durante sua vida monástica e à partir disso a Igreja percebe que essa vida é para poucos, uma vocação muito rara.
  • Ele dizia: “como você vai se humilhar se você não tem os pés de seus irmãos para lavar?”
  • A vida monástica atraia muitos adeptos como, Sº Atanásio, S. Jerônimo, Sº Agostinho até que entra em cenaBento.
  • Já faziam quase um século que os bárbaros haviam tomado Roma e à destruído, e nesse meio tempo quem lutou e preservou todo o patrimônio histórico e religioso da Igreja foram os monges que em seus monastérios trabalhavam dia e noite copiando e traduzindo as Escrituras.
  • A luta dos monges contra os bárbaros, incluindo lutas e combates, permitiu que toda a informação que temos sobre esse período e o anterior chegasse até os dias atuais.
  • Mas S. Bento trás os monastérios que existiam somente no oriente para o ocidente dominado pelos bárbaros, espalhando-os por toda a Europa e evangelizando gradativamente toda a população bárbara, formando assim toda a cultura ocidental.
  • .
ab mu ammad 570 632 dc1
AbūMuḥammad (570~632 dC.)
  • “Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus”
  • João 16, 2
ab mu ammad 570 632 dc2
AbūMuḥammad (570~632 dC.)
  • Fundador do islamismo e autor do livro "Corão" que, segundo Maomé, é a própria palavra de Deus proferida à ele.
  • Maomé reuniu seguidores e saiu de sua terra Meca, peregrinando até a cidade de Medina.
  • Em Medina ele conseguiu mais adeptos e retornando à Meca deu início à religião Islâmica.
ab mu ammad 570 632 dc3
AbūMuḥammad (570~632 dC.)
  • Fundador do islamismo e autor do livro "Corão" que, segundo Maomé, é a própria palavra de Deus proferida à ele.
  • Maomé reuniu seguidores e saiu de sua terra Meca, peregrinando até a cidade de Medina.
  • Em Medina ele conseguiu mais adeptos e retornando à Meca deu início à religião Islâmica.
  • Seus seguidores deram início à Jihad, uma guerra religiosa com o propósito de converter mesmo que à força o maior número de pessoas possíveis.
  • O Avanço muçulmano não representou tanto perigo às Sagradas Escrituras como os bárbaros mas não foi menos danosa.
ab mu ammad 570 632 dc4
AbūMuḥammad (570~632 dC.)
  • Além das Escrituras o islamismo representou perigo também às relíquias cristãs.
  • Tomaram posse de cidades, monumentos, igrejas e muitos lugares tidos como sagrados por todos os cristãos até os dias de hoje.
ab mu ammad 570 632 dc5
AbūMuḥammad (570~632 dC.)
  • Além das Escrituras o islamismo representou perigo também às relíquias cristãs.
  • Tomaram posse de cidades, monumentos, igrejas e muitos lugares tidos como sagrados por todos os cristãos até os dias de hoje.
  • A Capela da Natividade só não entrou para a listas de patrimônios destruídos devido à desenhos em suas paredes dos 3 magos.
  • A tradição nos conta que Maomé é descendente de Ismael, filho de Abraão com sua escrava que foi abandonado no deserto.
godofredo de bulh o 1058 1100 dc1
Godofredo de Bulhão (1058~1100 dC.)
  • Em 1095 o Papa Urbano II atende à pedidos de governantes cristãos e do patriarca Ortodoxo Aleixo I e dá seu consentimento à primeira cruzada católica.
  • O primeiro comandante cruzado foi Godofredo de Bulhão, ele retomou a posse cristã de Jerusalém que havia sido tomada pelos muçulmanos.
godofredo de bulh o 1058 1100 dc2
Godofredo de Bulhão (1058~1100 dC.)
  • Em 1095 o Papa Urbano II atende à pedidos de governantes cristãos e do patriarca Ortodoxo Aleixo I e dá seu consentimento à primeira cruzada católica.
  • O primeiro comandante cruzado foi Godofredo de Bulhão, ele retomou a posse cristã de Jerusalém que havia sido tomada pelos muçulmanos.
  • Após ter conquistado, foi considerado rei de Jerusalém, mas ele mesmo dizia "não posso ser coroado de ouro onde meu Senhor foi coroado com espinhos“.
godofredo de bulh o 1058 1100 dc3
Godofredo de Bulhão (1058~1100 dC.)
  • Foi um grande homem, suas histórias viraram lendas, mas muitas coisas sobre ele foi registrada por escritores da época.
  • Graças à homens como Godofredo os muçulmanos não tomaram conta de todo o patrimônio histórico do cristianismo
godofredo de bulh o 1058 1100 dc4
Godofredo de Bulhão (1058~1100 dC.)
  • Foi um grande homem, suas histórias viraram lendas, mas muitas coisas sobre ele foi registrada por escritores da época.
  • Graças à homens como Godofredo os muçulmanos não tomaram conta de todo o patrimônio histórico do cristianismo
  • Pouco tempo depois de Godofredo dar início à resposta cristã contra os muçulmanos, homens fizeram voto de pobreza e se tornaram monges fundando a ordem dos templários.
  • Os templários continuaram a luta contra o inimigo em defesa da cidade santa.
slide36

“Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus:”

  • “tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz.”
  • Eclesiastes 3, 1 e 8
ad