Oportunidades de neg cios para o com rcio exterior capixaba
Download
1 / 58

Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba - PowerPoint PPT Presentation


  • 114 Views
  • Uploaded on

Seminário Oportunidades de Negócios ES x Índia. Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba. Lucas Izoton Vieira. Vitória, 05 de setembro de 2007. Missão China 2007. Missão Empresarial. Período: 14 a 23 de abril de 2007.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba' - dyani


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Oportunidades de neg cios para o com rcio exterior capixaba

Seminário Oportunidades de Negócios ES x Índia

Oportunidades de Negócios para o Comércio Exterior Capixaba

Lucas Izoton Vieira

Vitória, 05 de setembro de 2007



Missão Empresarial

  • Período: 14 a 23 de abril de 2007.

  • Visita a 101ª Feira de Importação e Exportação da China – Canton Fair.

  • Participantes: 19 pessoas entre dirigentes do setor têxtil, de entidades empresariais, profissionais liberais e parlamentares (deputado federal e senador).

  • Avaliação: baseado nas três dimensões de competitividade, foram observados três setores considerados estratégicos para a economia local: - Têxtil

  • - Vestuário

  • - Calçado


Tamanho da China

  • População: 1,4 bilhão

  • PIB: US$ 3,2 trilhões – agricultura: 12,5%

    serviços: 40,3%

    indústria: 47,3%

  • Renda per capita: US$ 2,4 mil

  • US$ 5,5 mil na região mais rica, Sul do país


Objetivos da Missão

  • Apresentar as potencialidades do Espírito Santo por meio de palestra oficial;

  • Prospectar oportunidades de negócios para as empresas capixabas;

  • Diagnóstico de oportunidades e ameaças da indústria chinesa para a indústria capixaba (têxtil, de vestuário e calçado);

  • Estudar parcerias com empresas participantes da Feira Canton Fair;


Objetivos da Missão(continuação)

  • Realizar intercâmbio informacional com órgãos equivalentes aos nacionais;

  • Multiplicar as informações e conhecimentos adquiridos aos setores do nosso Estado através de seminários (principais cidades);

  • Produzir um documento técnico para ser apresentado à CNI, MDIC, MRE e Congresso Nacional; propondo políticas para compensar as desvantagens competitivas.


Comércio Exterior

Exportações Brasileiras – Principais países

7. Itália

8. México

9. Venezuela

10. Japão

11. França

12. Bélgica

1. Estados Unidos

2. Argentina

3. China

4. Holanda

5. Alemanha

6. Chile

Fonte: MDIC/2006


Comércio Exterior

Importações Brasileiras – Principais países

1. Estados Unidos

2. China

3. Argentina

4. Alemanha

5. Nigéria

6. Japão

7. Chile

8. Coréia do Sul

9. Itália

10. França

11. Argélia

12. Suíça

Fonte: MDIC/2006


Exportações Brasileiras – ChinaPrincipais Produtos

US$ FOB MI – JAN/DEZ 2006

(%)

Fonte: MDIC


Importações Brasileiras – ChinaPrincipais Produtos

(%)

US$ FOB MI – JAN/DEZ 2006

Fonte: MDIC


Exportações CapixabasPrincipais Países

6. Argentina

7. Alemanha

8. Holanda

9. Egito

10. França

1. Estados Unidos

2. China

3. Itália

4. Coréia do Sul

5. Japão

Fonte: MDIC


Importações CapixabasPrincipais Países

6. Peru

7. Itália

8. Coréia do Sul

9. Austrália

10. Argentina

1. China

2. Estados Unidos

3. Chile

4. Japão

5. Alemanha

Fonte: MDIC


Percepções

  • Os chineses praticam preços difíceis de outros países acompanhar;

  • O efeito predatório é ruim para a geração e manutenção de empregos;

  • Gestão da marca;

  • Isenção de impostos;

  • Custo total de impostos em 17% – 13% = 4% para exportação incluindo municípios, estados, União e outros;

  • Custo baixo de capital;

  • Ausência de encargos trabalhistas.


O que fazer?

  • Elevação da cota atual de 20% do imposto de importação até a alíquota limite de 35% permitida pela Organização Mundial do Comércio – o sistema de cotas deve ser extinto até 2008;

  • Necessidade de definir estratégias para jeans, casual, malha, planos, private, label e marca própria;

  • Necessidade de agregar valor com design e moda;

  • Redução da entrada de têxteis no país, credenciando apenas cinco portos para esta atividade

  • Política econômica visando identificar vantagens comparativas em cada município. Exemplo: Colatina;

  • Introduzir alterações nas legislações de imposto e sobre o trabalho;

  • Benchmarking.


Pesquisa

Locais : Grande Vitória (Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica).

Coleta: 14 e 15 de abril 2007.

Entrevistas: 400 domiciliares e nos pontos de afluência dos domicílios.




Meta da Missão à Índia

Elevar o comércio internacional entre o Brasil e a Índia de US$ 2,4 bilhões em 2006 para US$ 10 bilhões até 2010.


ÍNDIA

Área

3.287.590 km2

População

1,013 bilhão

PIB 2005

US$ 3,334 bilhões, o 4° do mundo.

PIB Composição

Serviços: 53,8%

Indústria: 27,6%

Agricultura: 18,6% (est 2005)

Renda per capita

US$ 3.019


Nova Délhi

  • Capital da Índia desde 1947.

    Antes era Calcutá;

  • Centro de governo e de administração;

  • Setor industrial variado, com destaque para o têxtil e jóias.

  • Sede da Embaixada do Brasil

Palácio Presidencial


Bangalore

  • Capital e maior cidade do Estado de Kamataka;

  • Situa-se a 914 m de altitude;

  • Devido ao seu clima temperado, é zona turística;

  • Possui 6 milhões de habitantes;

  • É a Capital tecnológica da Índia, onde se situam mais de 1500 empresas e instituições de pesquisa científica e tencológica.

Tribunal em Bangalore


Visita a Infosys

  • A empresa é uma das pioneiras no processo de offshore outsourcing, que significa a terceirização de atividades de desenvolvimento e Tecnologia da Informação entre empresas de países diferentes;

  • Possui 72 mil empregados em todo o mundo;

  • Foi a primeira companhia do setor de TI a ser listada na Nasdaq;

  • Faturamento: 2006 – US$ 2,1 bilhões

    2007 – US$ 3,1 bilhões

    2008 – US$ 4,0 bilhões


Bombaim ou Mumbai

  • Capital do Estado de Maharashtra e maior cidade da Índia;

  • População de 13 milhões de habitantes e área de 468 km2;

  • Sua região metropolitana é a sexta maior do mundo, com 20 milhões de habitantes;

  • Possui porto natural profundo, pelo qual passam metade do tráfego de passageiros da Índia e grande quantidade de cargas;

  • É a capital comercial e do entretenimento e abriga instituições como o Banco Central, Bolsa de Valores e a matriz de grandes empresas;

  • Quase 45% da população mora em favelas;

  • Atrai migrantes de todo o país, devido a oportunidade comerciais e qualidade de vida.

A Porta da Índia


O setor têxtil na Índia

  • Existe um ministério exclusivo para a área têxtil (o Brasil não tem área específica para apoiar este setor);

  • A Índia está disputando com a China a liderança do mercado têxtil mundial. É a briga do “dragão chinês” e do “elefante indiano”. O “cordeiro brasileiro” não tem condições de entrar nesta batalha;

  • O governo está investindo US$ 10 bilhões na modernização da indústria têxtil. E o Brasil?

  • A Índia exporta muito fio de poliéster e fibras artificiais para o Brasil;

  • 12% do capital investido no país está no setor têxtil e de confecções;

  • Até 2010 serão criados 25 parques têxteis que vão gerar mais de 12 milhões de empregos. O Brasil todo gera hoje só 1,5 milhão de empregos;


O setor têxtil na Índia

Continuação

  • As vendas de têxteis e de vestuário para os EUA e União Européia estão crescendo cerca de 30% ao ano;

  • Os principais produtos de vestuário exportados são a base de algodão (camisetas, camisas, blusas e calças);

  • A Índia tem grande competitividade na indústria têxtil e vestuário devido a aplicação de novas tecnologias e a sua verticalização (das fibras até o produto final);

  • Outros fatores de competitividade são: custos baixos de mão-de-obra, experiência no setor, capacitação empreendedora dos empresários, talento natural para o design, além de um grande mercado doméstico que reduz o risco das exportações;


O setor têxtil na Índia

Continuação

  • A indústria indiana é altamente flexível. As grandes empresas podem exportar produtos básicos de vestuário em grande escala e as pequenas e médias empresas oferecem produtos de moda em quantidades menores;

  • A meta de crescimento dos têxteis indianos entre 2007 e 2012 é de +12% a +14% ao ano. O Brasil está hoje com -5% ao ano.


Oportunidades de exportações brasileiras para a Índia

  • O Brasil tem baixa participação no mercado indiano na maioria dos produtos que são considerados oportunidades, o que representa oportunidades sub-aproveitadas;

  • Diversos produtos de setores variados em que o Brasil é competitivo ainda não são exportados para a Índia, portando há oportunidades não aproveitadas.


Oportunidades de exportações brasileiras para a Índia

Continuação

  • O Brasil enfrenta a concorrência de países desenvolvidos e em desenvolvimento no mercado indiano:

  • Nos produtos agrícolas e de origem agrícola (exceto carnes), existe a concorrência de países em desenvolvimento, como Indonésia, Malásia, Tailândia, Bangladesh, Cingapura e Sri Lanka;

  • A participação dos países desenvolvidos (EUA, Japão, China e Coréia e algumas nações da União Européia) cresce significativamente nos produtos manufaturados.


Os principais produtos identificados como oportunidades para exportações brasileiras para a Índia são:

  • Óleo de soja

  • Compostos orgânicos e inorgânicos

  • Celulose e papel

  • Motores e partes de motores

  • Automóveis de passageiros

  • Tubos Catódicos

  • Minério de Ferro

  • Polietileno

  • Couro

  • Autopeças

  • Compressores


Ordem exportações brasileiras para a Índia são:

Produtos

Valor (US$ milhões)

%

Petróleo

200

21

Minério de Ferro

146

16

Óleo de Soja

104

11

Aviões

83

9

Aço

39

4

Outros

364

39

Total

936

100

Principais produtos exportados pelo Brasil para a Índia (2006)


Ordem exportações brasileiras para a Índia são:

Produtos

Valor (US$ milhões)

%

Óleo Diesel

727

49

Medicamentos

101

7

Fios (poliéster/fibras artificiais)

Laminados (ferro/aço)

66

5

37

3

Querosene de aviação

30

2

Outros

512

34

Total

1.473

100

Principais produtos importados pelo Brasil da Índia (2006)


Principais empresas brasileiras exportações brasileiras para a Índia são:exportadoras para a Índia em 2006

Acima de US$ 50 milhões – CVRD

Acima de US$ 50 milhões – Petrobras

Acima de US$ 50 milhões – Embraer

Acima de US$ 50 milhões – Usiminas

Entre US$ 10 e 50 milhões – Bianchini SA Indústria e Comércio e Agricultura

Entre US$ 10 e 50 milhões – Robert Bosch Limitada

Entre US$ 10 e 50 milhões – Sama SA – Minerações Associadas

Entre US$ 10 e 50 milhões – Bunge Alimentos

Entre US$ 10 e 50 milhões – Copesul – Companhia Petroquímica do Sul

Entre US$ 10 e 50 milhões – Acesita SA


Fonte: MDCI/SECEX exportações brasileiras para a Índia são:


A Índia tem uma economia enorme exportações brasileiras para a Índia são:

Fonte: FMI, dados de 2005, e IDH/ONU, de 2006


Oportunidades para o Espírito Santo exportações brasileiras para a Índia são:

  • Exportações de celulose, rochas, minério de ferro, petróleo, café especiais e etc.;

  • Importações de tecidos, roupas e calçados;

  • Execução de obras de infra-estrutura;

  • Joint-Venture, alianças e parcerias em vários setores.


Futura Missão Empresarial do ES na Índia exportações brasileiras para a Índia são:

Áreas de Interesse

  • Inovação e Tecnologia;

  • Têxteis, vestuário, calçados e assessórios;

  • Energia;

  • Obras de infra-estrutura local;

  • Rochas.


Obrigado! exportações brasileiras para a Índia são:

[email protected]

www.sistemafindes.org.br


ad