Forma o de pre os n a constru o civil
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 17

FORMAÇÃO DE PREÇOS N A CONSTRUÇÃO CIVIL PowerPoint PPT Presentation


  • 62 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

FORMAÇÃO DE PREÇOS N A CONSTRUÇÃO CIVIL. Professor: Roberto Vertamatti Alunos: DANIEL F. FERREIRA SQUAIELLA FLAVIO COLLIN TORRES SOCORRO M. LIDIANE C. CRUZ VANESSA RIBEIRO MESSIAS.

Download Presentation

FORMAÇÃO DE PREÇOS N A CONSTRUÇÃO CIVIL

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Forma o de pre os n a constru o civil

FORMAÇÃO DE PREÇOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Professor: Roberto Vertamatti

Alunos: DANIEL F. FERREIRA SQUAIELLA

FLAVIO COLLIN TORRES

SOCORRO M. LIDIANE C. CRUZ

VANESSA RIBEIRO MESSIAS


Caracter sticas do setor

Negativas: elevada perda de tempo e de materiais, impacto ambiental causado em termos de volume de resíduos gerados e matéria-prima consumida.

Positivas: oferta de emprego elevada

Nível de emprego

Maio: aumento de 0,05% em relação ao mês de abril, totalizando 3.525 milhões de trabalhadores no final de abril/2014.

O Custo Unitário Básico (CUB) de JUN/2014 teve um aumento de 2,77% em relação ao mês de maio.

Valor do metro quadrado:

MAI/2014: R$ 1.124,14

JUN/2014: R$ 1.155,23

Dados do SindusCon-SP e a FGV

Características do setor


Forma o de pre os n a constru o civil

Motivos:

Custos com Mão de Obra: acréscimo de 4,13%,

Despesas com materiais de construção: acréscimo de 0,58%

Em janeiro, o custo estava quase estável e havia subido apenas 0,05% com relação a Dezembro/2013 e o metro quadrado era de R$ 1.100,08.

Otimismo no setor de material de construção devido as obras programadas para iniciarem no decorrer deste ano, provenientes de lançamentos imobiliários realizados no ano passado e da infraestrutura, que realizou leilões de portos e aeroportos.


Investimentos no setor

Estudo realizado pela Ernst & Young, em parceria com a FGV, aponta que a construção civil será o setor mais beneficiado com a realização da Copa do Mundo de 2014.

O setor lidera os R$ 22,46 bilhões de investimentos diretos que serão feitos para garantir a infraestrutura e organização, seguida por serviços prestados às empresas, serviços de utilidade pública e serviços de informação. No total, essas áreas deverão ter incremento da produção de R$ 50,18 bilhões.

O impacto direto da realização da Copa no Brasil sobre a construção civil é estimado em R$ 6,91 bilhões, incrementando o PIB nesse setor em 5,63%.

Cerca de 25% das obras foram excluídas dos investimentos programados para a Copa e 52% ainda não foram concluídas.

Projetos como: Eventos esportivos, Minha Casa Minha Vida e o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), também contribuem para o aumento da demanda na construção de novos empreendimentos e, consequentemente, por novos profissionais. 

Investimentos no setor


Forma o do pre o

O preço ofertado deve ser sempre justo para o comprador e adequado para a sobrevivência da empresa. Não se deve vender um serviço ou produto se o preço não puder cobrir os custos.

O preço de venda deve obedecer à seguinte expressão:

Preço = custo direto + custo indireto + lucro + impostos

Formação do preço


Constru o civil

A construção civil e alguns ramos de serviços, preferem adotar outra expressão para formar seus preços, na qual o termo BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) substitui o custo indireto, o lucro e os impostos da expressão anterior. BDI é definido como um percentual aplicado ao custo direto para formar o preço e representa o custo indireto, o lucro e os impostos. Algumas empresas já trocaram a sigla BDI por LDI (Lucro e Despesas Indiretas).

Preço = custo direto + BDI

Construção Civil


Diferenciais da constru o civil

A Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO, desde sua edição anual de 2003, determina que os custos do SINAPI sejam utilizados como referências para a razoabilidade de preços de obras públicas executadas com recursos federais do Orçamento Geral da União.

O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI) divulga mensalmente custos e índices da construção civil.

A gestão do sistema é compartilhada entre a CAIXA e o IBGE.

Diferenciais da Construção Civil


Fonte caixa econ mica federal relat rios de insumos de maio 2014

Fonte: Caixa Econômica Federal - Relatórios de Insumos de maio/2014


Custo global e custo unit rio

Custo Global e Custo Unitário

  • O custo de uma obra na construção civil pode ser composto de duas maneiras:

    Composição do custo global

    Composição do custo unitário

  • Custo Unitário Básico (CUB)

    Principal indicador do setor da construção é calculado mensalmente pelos Sindicatos da Indústria da Construção Civil de todo o país. Determina o custo global da obra para fins de cumprimento do estabelecido na lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio, assegurando aos compradores em potencial um parâmetro comparativo à realidade dos custos. Atualmente, a variação percentual mensal do CUB tem servido como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até mesmo como índice setorial.

  • Custo unitário - Na construção civil é utilizado o CUB para determinar o custo global da obra para fins de cumprimento do estabelecido na lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio. O CUB é um custo meramente orientativo para o setor da Construção Civil, não sendo nunca o custo real da obra, pois este só é obtido através de um orçamento completo com todas as especificações de cada projeto em estudo ou análise. No entanto, hoje em dia a variação percentual mensal do CUB tem servido como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até mesmo como índice setorial.


Como calculado o cub m

Como é calculado o CUB/m²

  • Para calcular o CUB, são considerados os salários e preços de materiais e mão-de-obra, despesas administrativas e os equipamentos previstos. Os dados são obtidos através do levantamento de informações junto a uma amostra de cerca de 40 empresas da construção. Como o indicador a ser calculado refere-se a custo e não a preço, é mais correta a pesquisa junto ao comprador, que no caso são as construtoras.

  • Divulgação. Atendendo o disposto no art. 54 da Lei 4.591/64, os Sindicatos da Indústria da Construção Civil ficam obrigados a divulgar o CUB até o dia 5 do mês subsequente, adotando, como referência do indicador, o mês da publicação e coleta de preços e salários. Portanto, o CUB a ser utilizado é o do mês anterior à data de sua divulgação.


As 20 maiores construtores de 2013

As 20 maiores construtores de 2013

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios


Conclus es e observa es

Conclusões e Observações

  • Para atuar neste mercado, é necessário ter um grande planejamento com um projeto muito bem definido para que possa dar início a obra com todos os custos calculados.

  • A construção imobiliária predomina no mercado de construção civil com a realização de empreendimentos sob responsabilidade de uma incorporadora, que irá realizar operações de construção por contrato com subempreiteiras e construtoras, além de efetuar a comercialização do imóvel.

  • As empresas incorporadoras, responsáveis pela articulação dos agentes e pelos recursos necessários para a construção do projeto – como a identificação de terras disponíveis, a definição dos moldes do empreendimento, a contratação de projetos e de construtoras, além da posterior venda de imóvel – são remuneradas pelo lucro imobiliário. As empresas construtoras, por sua vez, são remuneradas pelo lucro produtivo, que está diretamente relacionado às condições contratuais acordadas com o incorporador.


Conclus es e observa es1

Existem diversos objetivos que uma empresa pretende alcançar quando ela determina o preço do seu produto. Dentre eles, podemos destacar:

Retorno no investimento

Objetivos de concorrência

Preços promocionais

Fatia de mercado

Fluxo de caixa

Maximização do lucro atual e maximização da participação de mercado

Desnatamento máximo do mercado ou liderança na qualidade do produto

A sobrevivência da empresa no mercado é considerada como um fator determinante para a precificação dos produtos. Uma escolha errônea de preço pode resultar em pouca venda e enormes prejuízos para a organização.

Conclusões e Observações


Bibliografia

ANDRADE, Jobson Nogueira. Metodologia para elaboração de orçamentos em prestação de serviços. Belo Horizonte: IMEC, 2010.

FIGUEIREDO, Marcelo E. A Formação de Preços na Visão da CVRD. In: Bonificações e Despesas Indiretas nas Obras Industriais, 2007, Belo Horizonte.

Disponível em: <http://www.sinduscon-mg.org.br/site/publicacoes.php?id=1236>. Acesso em: 30 jun 2014.

Disponível em: <http://www.sinduscon-pr.com.br/principal/home/?sistema=conteúdos%7Cconteudo&id_conteudo=394>. Acesso em: 30 jun 2014.

Disponível em : <http://www.asbea.org.br/>. Acesso em 29/06/14.

Disponível em: <http://www1.caixa.gov.br/gov/gov_social/municipal/programa_des_urbano/SINAPI/index.asp>. Acesso em: 29/06/2014.

Disponível em: <http://construcaomercado.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/construcao/construcao-em-sao-paulo-fica-277-mais-cara-em-junho-316020-1.aspx>. Acesso em 03/07/2014.

Disponível em: <http://web.infomoney.com.br//templates/news/view.asp?codigo=1898429&path=/suasfinancas/>. Acesso em: 05/07/2014.

Disponível em: <http://revistaecoturismo.com.br/turismo-sustentabilidade/construcao-civil-tem-impacto-moderado-com-a-copa-2014/>. Acesso em: 05/07/2014.

Disponível em: <http://www.revistaiic.org/articulos/num5/articulo19_esp.pdf>. Acesso em: 23/06/14.

Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2014/02/em-2013-pib-cresce-2-3-e-totaliza-r-4-84-trilhoes>. Acesso em: 26/06/14.

Bibliografia


Forma o de pre os n a constru o civil

Obrigado!


  • Login