Fundamentos de an lise instrumental
Download
1 / 44

FUNDAMENTOS DE ANÁLISE INSTRUMENTAL - PowerPoint PPT Presentation


  • 347 Views
  • Uploaded on

FUNDAMENTOS DE ANÁLISE INSTRUMENTAL. Profa . Denise Esteves Moritz. O q ue esperar ?. Conhecimento prévio ? Habilidade ? Aplicabilidade ? Importância ? O que esperar ao final da disciplina ?. Química Analítica.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' FUNDAMENTOS DE ANÁLISE INSTRUMENTAL' - dasan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Fundamentos de an lise instrumental

FUNDAMENTOS DE ANÁLISE INSTRUMENTAL

Profa. Denise Esteves Moritz


O q ue esperar
O queesperar?

  • Conhecimentoprévio?

  • Habilidade?

  • Aplicabilidade?

  • Importância?

  • O queesperarao final da disciplina?


Qu mica anal tica
Química Analítica

A química analítica é uma ciência metrológica que busca desenvolver, otimizar e aplicar ferramentas analíticas para obter informações a respeito da composição química, bioquímica e da estrutura da matéria, visando a resolução de problemas científicos, técnicos, econômicos e sociais.


Conhecimento pr vio
Conhecimentoprévio!

  • PRÉ-REQUISITOS

  • O alunodeveterconhecimentopréviosobreconceitos de químicageral, taiscomoestruturaatômica, fórmulasmoleculares e estruturais, ligaçãoquímica, polaridade e forçasintermoleculares, funçõesorgânicas.

  • Cálculosbásicos

  • Excel Básico


Qu mica anal tica1

Análise

Quantitativa

Análise

Qualitativa

Análise

Estrutural

Química Analítica


An lise qualitativa
Análise Qualitativa

Tem como objetivo a identificação do analito na amostra:

 íons

 moléculas

 espécies atômicas

 grupos funcionais

 Origina uma resposta binária: sim/não.

 A incerteza é dependente do método ou da técnica adotada.

 Exemplos: identificação de hidrocarbonetos aromáticos na atmosfera, pesticidas em alimentos, drogas no sangue, íons metálicos em uma amostra, etc.


An lise quantitativa
Análise Quantitativa

Tem como objetivo determinar a quantidade de um analito em uma porção do material (amostra):

 íons

 moléculas

 espécies atômicas

 grupos funcionais

 Origina uma resposta numérica.

 A incerteza dessa resposta está implicitamente relacionada às incertezas de todas as etapas adotadas durante o procedimento experimental.


An lise estrutural
Análise Estrutural

Tem como objetivo principal estabelecer a estrutura de uma espécie química ou bioquímica.

 A informação pode-se referir a uma substância pura (ex. proteína) ou no conjunto (ex. distribuição espacial dos componentes em uma amostra).


Métodos

Analíticos Clássicos

Análise

qualitativa

Análise

estrutural

Análise

quantitativa

Métodos

Analíticos Instrumentais


M todos anal ticos cl ssicos
Métodos Analíticos Clássicos

Os métodos clássicos apresentam três características importantes relacionadas à obtenção das informações qualitativas e quantitativas:

 uso dos sentidos (mudança de cor e cheiro)

 uso de balança (gravimetria) e bureta (volumetria)

 emprego de reações químicas como operações

prévias fundamentais do procedimento analítico


Plano de ensino
Plano de Ensino

  • http://www.analiseinstrumental.ecaths.com/materia/


O que é a informação analítica desejada?

Determinação de baixas concentrações de elementos e espécies em materiais de interesse: alimento, ambiental, industrial...

Fonte: FJ Krug


M todos anal ticos instrumentais
Métodos Analíticos Instrumentais

Os métodos instrumentais apresentam como característica principal a obtenção das informações por meio de instrumentos, diferentes aos utilizados nas análises clássicas:

 Técnicas Ópticas: Espectrofotometria molecular (absorção

e emissão), Espectrometria atômica (absorção e emissão)

 Técnicas Eletroanalíticas: Condutometria, Potenciometria,

Polarografia, Coulometria, Voltametria

 Técnicas Magnéticas: Espectrometria de massas, Ressonância

magnética nuclear

 Técnicas Térmicas: Análise térmica diferencial, Termogravimetria

 Técnicas Radioquímicas: Análise por ativação neutrônica


Aplicabilidade
Aplicabilidade

  • Indústria, namedicina e emtodas as outrasciências.

  • As concentrações de oxigênio e de dióxido de - usadasparadiagnosticar e tratardoenças.

  • As quantidades de hidrocarbonetos, óxidos de nitrogênio e monóxido de carbonopresentesnos gases de descargaveiculares- parase avaliar a eficiência dos dispositivos de controle da poluição do ar.

  • As medidasquantitativasde cálcioiônico no sorosangüíneoajudam no diagnóstico de doenças da tireóideemsereshumanos.

  • A determinaçãoquantitativa de nitrogênioemalimentosindica o seu valor protéico e, desta forma, o seu valor nutricional.


Aplicabilidade cont
Aplicabilidade cont.

  • A análise do açonasuaprodução - o ajustenasconcentrações de elementos, como o carbono, níquel e cromo, paraque se possaatingir a resistênciafísica, a dureza, a resistênciaàcorrosão e a flexibilidadedesejadas.

  • O teor de mercaptanas no gás de cozinhadevesermonitorado com freqüência, paragarantirqueestetenha um odor ruim a fim de alertar a ocorrência de vazamentos.

  • Osfazendeirosplanejam a programação da fertilização e a irrigaçãoparasatisfazer as necessidades das plantas, durante a estação de crescimento, quesãoavaliadas a partir de análisesquantitativasnasplantas e nos solos nosquaiselascrescem.


Fonte: FUNDAMENTOS DE QUÍMICA ANALÍTICA – EDITORA THOMSON pag. 4


Introdu o an lise instrumental
Introdução à Análise Instrumental

  • QUÍMICA ANALÍTICA

    • Métodos Qualitativos

    • Métodos Quantitativos

    • “A Química Analítica é a arte de reconhecer diferentes substâncias e determinar seus constituintes” Ostwald, 1894

O que tem?

Quanto tem?


Introdu o an lise instrumental1
Introdução à Análise Instrumental

Métodos Clássicos

  • Separação e identificação de componentes através de técnicas simples

    • Precipitação

    • Extração

    • Destilação

    • Exemplos: VOLUMETRIA E GRAVIMETRIA

Simplicidade e Confiabilidade


M todos anal ticos quantitativos
MÉTODOS ANALÍTICOS QUANTITATIVOS

  • massaou o volume de umaamostraqueestásendoanalisada.

  • Duasmedidas!

  • Intensidadede luzoucargaelétrica.

Analito:

Osanalitossãooscomponentes de umaamostra a serdeterminados.

  • propriedadeelétrica, como o potencial, corrente, resistência e quantidade de cargaelétrica.

  • interação entre a radiaçãoeletromagnética e osátomosou as moléculas do analito -a produção de radiaçãopeloanalito



M todos
Métodos

  • métodosgravimétricos

  • métodovolumétrico

  • métodoseletroanalíticos

  • métodosespectroscópicos


M todos gravim tricos
MétodosGravimétricos

  • determinam a massa do analitoou de algumcompostoquimicamente a elerelacionado.PREV

MétodoVolumétrico

  • Mede-se o volume da soluçãocontendoreagenteemquantidadesuficienteparareagir com todoanalitopresente. NEXT


M todos eletroanal ticos
Métodoseletroanalíticos

  • Envolvema medida de algumapropriedadeelétrica, como o potencial, corrente, resistência e quantidade de cargaelétrica.

MétodosEspectroscópicos

  • baseiam-se namedida da interação entre a radiaçãoeletromagnética e osátomosou as moléculas do analito, ouainda a produção de radiaçãopeloanalito.


Outros m todos
Outros Métodos!

  • razãomassa-carga de moléculasporespectrometria de massas,

  • velocidade de decaimentoradiativo,

  • calorde reação,

  • condutividadetérmica de amostras,

  • atividadeópticae

  • índice de refração.


Introdu o an lise instrumental2
Introdução à Análise Instrumental

Métodos Instrumentais

  • Medidas de propriedades físicas das substâncias através do desenvolvimento de equipamentos

    • Condutividade Elétrica

    • Absorção ou Emissão de Luz

Análises cada vez mais sofisticadas


Introdu o an lise instrumental3
Introdução à Análise Instrumental

Métodos Estequiométricos

  • São aqueles também chamados de clássicos, pois fazem uso dos princípios fundamentais da química.

  • A medida de um sinal analítico é diretamente relacionada à concentração do elemento de interesse. Em muitos casos não se conhece perfeitamente a reação química envolvida e, por isso mesmo, esses métodos sempre requerem calibração.

Métodos Não Estequiométricos


Introdu o an lise instrumental4
Introdução à Análise Instrumental

  • Métodos Instrumentais e as Propriedades Físicas Medidas


Introdu o an lise instrumental5
Introdução à Análise Instrumental

  • Seleção dos Métodos Instrumentais

    • Objetivo da análise

    • Exatidão requerida

    • Teor do componente presente na amostra

    • Recursos disponíveis

    • Número de amostras a analisar

    • Composição química da amostra

    • Quantidade de amostra

  • O USO DE UM EQUIPAMENTO SOFISTICADO PARA A DETECÇÃO DE UM SINAL ANALÍTICO NÃO É GARANTIA DE UM RESULTADO EXATO!


Escolha do m todo
Escolha do método

 Características do método

Eficiente, simples e rápido

 Não deve implicar em danos aos materiais usados na análise

 Não deve ser passível de erros sistemáticos

 Ter boa seletividade

 Se possível, ter mínima manipulação

Resultados devem ser obtidos com a máxima segurança operacional


Uma an lise quantitativa t pica

fatoreconômico!

compromissoentre a exatidãorequerida e o tempo e recursosdisponíveispara a análise

UMA ANÁLISE QUANTITATIVA TÍPICA

amostrarepresentativa

1

Essapropriedadedevevariar de uma forma conhecida e reprodutível com a concentraçãocAdo analito. Idealmente, a medida da propriedadeédiretamenteproporcionalàconcentração.


Processamento da amostra
Processamento da Amostra!

  • Medidasdiretas?

  • Preparação da Amostra de Laboratório?

    • Sólido; líquidoougasoso?

  • AlteraçõesFísicas e Químicas?PREV


Como estudar an lise instrumental
Como estudarAnálise Instrumental?

EPB


Problem tica
Problemática:

  • O incidentecomeçouquando um guardaflorestalencontrou um cervo de caudabrancamorto, próximoa um lagonaregiãooeste de Kentucky. O guardaflorestalsolicitou a ajuda de um químico do laboratórioestadual de diagnósticoveterinárioparaencontrar a causa da morte, visandotentarprevenirfuturasmortes de cervos.

  • Poucosdiasapós o início das investigações, o guardaencontroumaisdoiscervosmortos no mesmo local.


Investiga o
Investigação?

  • Osinvestigadoresnotaramque a gramanosarredores dos postes da linha de transmissão de energiaestavaseca e descolorida.

  • Um ingredientecomumenteencontradoemherbicidasé o arsênioemalguma de suasváriasformas, incluindotrióxido de arsênio, arsenito de sódio, metanoarsenatomonossódico e metanoarsenatodissódico.


O que ocorreu
O Queocorreu?

  • saldissódicodo ácidometanoarsênico, CH3AsO(OH)2 - reatividade ante a grupos(S–H)

  • cisteína das enzimasde plantasreage com compostos de arsênio- a função da enzimaéinibida e a plantafinalmentemorre.

  • Infelizmente, efeitosquímicossimilaresacontecemtambémemanimais.


Como foi analisado
Como foianalisado?

  • Estratégiapara a determinação de arsênioemamostrasbiológicaspodeserencontradanosmétodospublicadospelaAssociação dos QuímicosAnalíticosOficiais (Association of Official Analytical Chemists – AOAC);

  • Este métodoenvolve a destilaçãodo arsêniocomoarsina, queéentãodeterminadapormedidascolorimétricas.


Processamento da amostra1
Processamento da Amostra:

  • oscervosforamdissecadose seusrins, removidosparaanálise- Cada rim foicortadoempedaços, triturado e homogeneizadoem um liquidificador de altavelocidade.

  • Trêsamostras de 10 g do tecidohomogeneizado de cadacervoforamcolocadasemcadinhos de porcelana.

  • Para se obterumasoluçãoaquosa do analitopara a análise, foinecessáriocalcinaraoar a amostraatéconvertê-la a cinzas- pentóxido de arsênio.

  • O sólidosecopresenteemcadacadinhofoientãodissolvidoemHCldiluído, queconverteu o As2O5 a H3AsO4solúvel.


Interfer ncias
Interferências

  • O arsêniopodeserseparado de outrassubstânciasquepodeminterferirnaanálisepelasuaconversãoàarsina, AsH3, um gásincolortóxicoqueéevolvidoquando a solução de H3AsO3étratada com zinco.

  • H3AsO3 + 3Zn + 6HCl AsH3(g) + 3ZnCl2+ 3H2O

SoluçãoColorida


Medida quantitativa do analito
MedidaQuantitativa do Analito

  • Cor? Espectrofotometria!

    • um instrumentochamadoespectrofotômetro, paramedir a intensidade da corvermelhaformadanascubetas.

  • fornece um númerochamadoabsorbância, queédiretamenteproporcionalàconcentração da espécieresponsávelpela cor.

  • As absorbâncias das soluções-padrãocontendoconcentraçõesconhecidas de arsêniosãolançadasem um gráficoparaproduzirumacurva de cali- bração,


Essevalor écomparadocom a concentraçãodesejável. A diferençaéentãoutilizadaparadeterminaraçõesapropria- das (como a diminuição no uso de herbicidasà base de arsênio) de forma quegarantaqueoscer- vosnãosejamenvenenadosporquantidadesexcessivas de arsênio no meioambiente, quenesteexemploé o sistemacontrolado.


Estudar anal tica
EstudarAnalítica…..


Padroniza o e calibra o
PADRONIZAÇÃO E CALIBRAÇÃO

  • Conceitos:

  • Precisão

  • Exatidão

  • Limite de detecção

  • Limite de quantificação

  • Etc.


ad