Imuniza es l.jpg
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 44

IMUNIZAÇÕES PowerPoint PPT Presentation


  • 197 Views
  • Updated On :
  • Presentation posted in: General

IMUNIZAÇÕES. Fabiana Ariston Filgueira Hospital Regional da Asa Sul Brasília, 23de abril de 2009 www.paulomargotto.com.br. Considerações gerais . PNI- 30 anos (2003)- referência mundial. Conceitos básicos: . Vacinas simultâneas . Vacinas combinadas

Download Presentation

IMUNIZAÇÕES

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Imuniza es l.jpg

IMUNIZAÇÕES

Fabiana Ariston Filgueira

Hospital Regional da Asa Sul

Brasília, 23de abril de 2009

www.paulomargotto.com.br


Considera es gerais l.jpg

Considerações gerais

PNI- 30 anos (2003)- referência mundial

Conceitos básicos:

. Vacinas simultâneas

. Vacinas combinadas

. Vacinas conjugadas


Conceitos b sicos em imunologia l.jpg

Conceitos básicos em imunologia


Conceitos b sicos em imunologia4 l.jpg

Conceitos básicos em imunologia

Imunização ativa

Natural: conferida pela aquisição da infecção

Artificial: vacinas

Imunização passiva

Natural: passagem transplacentária de anticorpos

maternos

Artificial: imunoglobulinas


Conceitos b sicos em imunologia5 l.jpg

Conceitos básicos em imunologia


Contra indica es s vacinas de microorganismos atenuados l.jpg

Contra-indicações às vacinas de microorganismos atenuados

Inunodeficiência congênita ou adquirida

Neoplasia maligna

Tratamento com corticosteróides em altas doses

Grávidas (exceto situações de alto risco)


Situa es em que se recomenda o adiamento da vacina o l.jpg

Situações em que se recomenda o adiamento da vacinação

Até três meses após o tratamento com imunodepressores ou com corticosteróides em dose alta

Após administração de imunoglobulina ou de sangue e derivados

Durante a evolução de doenças agudas febris graves


Slide8 l.jpg

Calendário básico de vacinação da criança

Ministério da Saúde 2009


Calend rios vacinais l.jpg

Calendários vacinais

São elaborados baseando-se em:

Situação epidemiológica das doenças imunopreveníveis

Resposta imunológica

Operacionalidade – deve ser de fácil cumprimento e compreensão


Vacina bcg l.jpg

Vacina BCG

Composição

- Bacilos vivos atenuados de Mycobacterium bovis

Via de administração

- Intra-dérmica (deltóide)

Idade de aplicação

- Ao nascer ou mais precocemente possível

Eficácia

- ± 80% (formas graves) e 0 a 80% (Tb. Pulmonar)

Esquema de aplicação

- Dose única ao nascer (***)

*** Suspensa a administração da segunda dose para faixa etária de 6 a 10 anos(Norma Técnica do MS Junho 2006 \ PNI):

. Revacinação com baixa eficácia comprovada (3-9%)

. Duração da proteção com dose única > 15anos


Vacina bcg11 l.jpg

Vacina BCG

Contra-indicações e situações de adiamento da vacinação:

. Contra-indicada:

HIV positivos sintomáticos

. Adiamento:

Imunossupressores ou corticóide em altas doses (até 3 meses)

Crianças com afecções dermatológicas extensas em atividade

Crianças com peso inferior a 2000g


Vacina bcg12 l.jpg

Vacina BCG

Eventos adversos loco-regionais (1 caso /2583 vacinados)

Úlcera maior que 1cm.

Abscesso subcutâneo frio.

Abscesso subcutâneo quente.

Linfadenopatia regional supurada.

Cicatriz quelóide.

Reação lupóide.


Vacina bcg13 l.jpg

Vacina BCG

LINFADENITES


Vacina bcg14 l.jpg

Vacina BCG

Eventos adversos

Lesões decorrentes de disseminação

. Lesões localizadas

em pele

osteo-articulares

órgão do tórax ou abdome

. Lesões generalizadas

Febre, emagrecimento, hepatoesplenomegalia, linfadenite múltipla


Vacina contra hepatite b l.jpg

Vacina contra hepatite B

Composição

Antígeno HBsAg,absorvidos em hidróxido de alumínio e utilizado o timerosal como conservante.

Idade de aplicação

Qualquer idade,preferencialmente nas primeiras 12h de vida.

Via de administração

Intramuscular (coxa < 2 a. ou deltóide nas crianças maiores)

Região glútea – menor imunogenicidade


Vacina contra hepatite b16 l.jpg

Vacina contra hepatite B

Esquema de aplicação

- Três doses (0,1 e 6 meses) com intervalos mínimos:

. p\ a 2º dose : um mês após a 1º;

. p\ a 3º dose : dois meses após a 2º

- Idade mínima para receber a terceira dose é de 6 meses


Vacina contra hepatite b17 l.jpg

Vacina contra hepatite B

Eficácia

>95% das crianças (>10UI \ml)

Contra-indicações

Aplicação de dose anterior (ocorrência de reações anafiláticas em torno de 1/600.000 doses)

Eventos adversos

Dor no local de aplicação e febre baixa nas primeiras 24 a 72h após a aplicação da vacina.


Vacina oral contra a poliomielite l.jpg

Vacina oral contra a poliomielite

Composição

Contém os três tipos de poliovírus atenuados,tipos 1,2 e 3 (vacina trivalente)

Idade de aplicação

A partir de 2 meses de idade

Dose e via de administração

Via oral (Cada dose = 2 gotas = 0,1ml)


Vacina oral contra a poliomielite21 l.jpg

Vacina oral contra a poliomielite

Esquema de aplicação

3 doses com intervalo de 60 dias.

4ª.dose aos 15meses

Eficácia

Mais de 95% de proteção contra os três tipos de poliovírus após três doses.

Contra-indicações

Não há contra-indicações absolutas

Crianças imunodeprimidas recomenda-se aplicação da vacina inativada.

Eventos adversos

Poliomelite aguda associada à vacina – 1 caso para 2,4 milhões de doses aplicadas(risco maior na primeira dose 1/750.000).


Vacina oral contra a poliomielite22 l.jpg

Vacina oral contra a poliomielite


Vacina combinada contra difteria t tano coqueluche e haemophilus influenzae tipo b l.jpg

Vacina combinada contra Difteria,Tétano,Coqueluche e Haemophilus Influenzae tipo B.

Composição

Vacina DPT (vacina inativa): toxóide diftérico ,toxóide tetânico e vacina

pertússis

Vacina contra Hib:polissacarídeo capsular polirribosil-ribitol-fosfato

purificado ( PRP) do Haemophilus influenzae conjugado

com toxóide tetânico

Idade

Iniciar esquema com 2 meses.

Utilizar o produto a partir de 6 semanas de vida

Via de administração

Via intramuscular profunda


Vacina combinada contra difteria t tano coqueluche e haemophilus influenzae tipo b24 l.jpg

Vacina combinada contra Difteria,Tétano,Coqueluche e Haemophilus Influenzae tipo B.

Esquema de aplicação

. Uso em menores de 1 ano.

. Aplicação de 3 doses (intervalo de 60 dias (mínimo 30dias), a

partir de 2 meses de idade.

. Dose de reforço com DTP indicada entre 6 e 12 meses depois da 3ª.

. A cada 10 anos reforço com dupla adulto (dT).

Eficácia

. Difteria, Tétano e Hib =90% a 95%

. Coqueluche =80%.

.


Vacina combinada contra difteria t tano coqueluche e haemophilus influenzae tipo b25 l.jpg

Vacina combinada contra Difteria,Tétano,Coqueluche e Haemophilus Influenzae tipo B.

Contra-indicações

- Reação anafilática sistêmica grave;

- Encefalopatia nos primeiros 7 dias após a vacinação;

- Síndrome hipotônica até 48h após a vacina;

- Convulsões até 72h após a vacinação

Eventos adversos

- Manifestação locais : dor,vermelhidão e endurecimento local;

- Manifestações sistêmicas: febre,irritabilidade nas primeiras 24 a 48h.Sonolência,choro prolongado,convulsões e síndrome hipotônica hiporresponsiva.


Vacina contra sarampo caxumba e rub ola tr plice viral l.jpg

Vacina contra Sarampo,Caxumba e Rubéola (Tríplice viral)

Considerações gerais

O sucesso de medidas de controle contra o Sarampo levou o Ministério da Saúde a interromper a vacinação aos 9meses de idade e antecipar para os 12 meses a dose da tríplice viral (Calendário 2003).

Composição

Vacina combinada de vírus atenuados contra Sarampo,Caxumba e Rubéola.

Idade de aplicação

A partir dos 12 meses de idade.

Via de administração

Subcutânea


Vacina contra sarampo caxumba e rub ola tr plice viral29 l.jpg

Vacina contra Sarampo,Caxumba e Rubéola (Tríplice viral)

Esquema de aplicação

Dose única

Eficácia

Maior que 95%

Contra-indicações

Antecedente de reação anafilática após ingestão de ovo de galinha.

Gravidez : risco teórico estimado de rubéola congênita é de 0 a 1,3%.

Administração de imunoglobulina humana normal, sangue total ou plasma nos três meses anteriores.


Vacina contra a febre amarela l.jpg

Vacina contra a Febre amarela

Composição

Cada dose (1\1.000 DL 50 do vírus da Febre amarela)

Idade de aplicação

Áreas endêmicas: a partir dos 6meses de idade;

Áreas de transição: a partir dos 9meses de idade

Via de administração

Via subcutânea


Vacina contra a febre amarela33 l.jpg

Vacina contra a Febre amarela

Esquema de administração

Dose única

Reforços a cada 10 anos

Eficácia

Soroconversão >90%

Início de proteção a partir do 10º.dia após a aplicação da vacina

Contra-indicações

As estabelecidas contra-indicações gerais e reação anafilática após

ingestão do ovo.

Eventos adversos

2 a 5 % - febre, cefaléa e mialgia do 4º ao 6º dia

Manifestações neurológicas (cepa francesa - suspensa em 1982)

2000- casos de visceralização do vírus vacinal.


Vacina contra rotav rus vorh l.jpg

Vacina contra Rotavírus (VORH)

Importância


Vacina contra rotav rus vorh35 l.jpg

Vacina contra Rotavírus (VORH)

Importância


Vacina contra rotav rus vorh36 l.jpg

Vacina contra Rotavírus (VORH)

Composição

Vacina monovalente – G1[p8]

Eficácia após 2 doses

Gastrenterite grave – 68,5 a 90%

Gastrenterite de qualquer gravidade – 55,7 a 73%

Indicações

Crianças < 1a (faixa etária de 6 a 24 semanas)


Vacina contra rotav rus vorh37 l.jpg

Vacina contra Rotavírus (VORH)

Esquema


Vacina contra rotav rus vorh38 l.jpg

Vacina contra Rotavírus (VORH)

Contra-indicações:

Doença febril moderada à grave

Imunodeficiência

Uso de imunossupressores

Vômitos e diarréia

Doença gastrintestinal crônica

Má formação congênita do trato digestivo

História prévia de invaginação intestinal

Eventos adversos:

Invaginação intestinal (mais comum entre 4 e 9 meses de idade)


Calend rio vacinal sbim 2009 l.jpg

Calendário vacinal SBIm 2009


Calend rio vacinal sbp 2008 l.jpg

Calendário Vacinal SBP - 2008


Tica e vacina o l.jpg

Ética e vacinação

?

?

?

?

?

?

?

?

?


Tica e vacina o42 l.jpg

Ética e vacinação

*Não indicar vacinas ???

Pode um médico,por razões diversas,recusar-se a indicar uma ou mais das vacinas constantes no PNI?

*Não informar sobre a existência de vacinas ???

Se o poder público não oferecer gratuitamente à população uma determinada vacina já licenciada no Brasil e recomendada por entidades científicas confiáveis,tem o medico o direito de omitir informações sobre essa vacina aos familiares?


Tica e vacina o43 l.jpg

Ética e vacinação

*Direito do Estado tornar a vacinação compulsória ???

*Direito dos pais recusarem imunização de seus filhos ???

Se as vacinas são tão benéficas como repetidamente enfatizamos,não é um direito básico de cada criança recebê-las?

Seria justificável a vacinação compulsória com sanções para os desobedientes,pelo menos contra algumas doenças?

Têm os pais o direito de decidir por negar as vacinas a seus filhos?

Por que alguns pais não vacinam seus filhos?


Obrigada l.jpg

Obrigada !!!


  • Login