Slide1 l.jpg
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 15

Sérgio Biagi Gregório PowerPoint PPT Presentation


  • 51 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Título. Ação e Reação. Sérgio Biagi Gregório. Ação e Reação Introdução. O objetivo deste estudo é mostrar que o acaso não existe. O futuro promissor depende das boas ações praticadas no presente. . Ação e Reação Conceito. Ação – Manifestação de uma força, de uma energia, de um agente.

Download Presentation

Sérgio Biagi Gregório

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Slide1 l.jpg

Título

Ação e

Reação

Sérgio Biagi Gregório

Ação e Reação


Slide2 l.jpg

Ação e Reação

Introdução

O objetivo deste estudo é mostrar que o acaso não existe.

O futuro promissor depende das boas ações praticadas no presente.

Ação e Reação


Slide3 l.jpg

Ação e Reação

Conceito

Ação – Manifestação de uma força, de uma energia, de um agente.

Em termos espirituais, a ação inteligente do homem é um contrapeso que Deus dispôs para estabelecer o equilíbrio entre as forças da Natureza.

Reação - Resposta a uma ação qualquer.

Em termos espirituais, a reação é a conseqüência que a ação humana acarreta ao ser defrontada com a Lei Natural.

Ação e Reação


Slide4 l.jpg

Ação e Reação

Considerações Iniciais

Numa fase rudimentar, funciona o determinismo divino.

Com o desenvolvimento do ser, Deus faculta-lhe o livre-arbítrio.

Coloca-lhe, porém, na sua consciência, a Lei Divina ou Natural.

As reações devem ser baseadas na Lei Natural.

O encadeamento de ação e reação objetiva a perfeição do Espírito.

Ação e Reação


Slide5 l.jpg

Ação e Reação

Ação: Princípios da Ação

Fazer ou deixar de fazer assenta-se no princípio da ação.

Exemplo: barbear-se é um princípio que o indivíduo forjou para si. Poderia não se barbear.

Assistir a ou proferir uma palestra é uma ação.

O princípio subjacente a este encontro está calcado na conduta do expositor e do ouvinte.

O expositor tem o dever de preparar o assunto;

O ouvinte tem o dever se preparar para ouvir.

Ação e Reação


Slide6 l.jpg

Ação e Reação

Ação: Meios e Fins da Ação

Pergunta: qual é o fim de uma palestra? De uma religião?

Resposta: o fim de uma palestra é difundir a verdade; o fim da religião é salvar os seus adeptos.

Confundindo os meios com os fins

O Expositor pode fazer prosélitos à custa da verdade.

Os Religiosos podem proibir os seus adeptos de se salvarem em outra Igreja

Ação e Reação


Slide7 l.jpg

Ação e Reação

Ação: Autonomia de uma Ação

Há uma lenda japonesa que retrata a autonomia da ação.

Vários guerreiros tentavam, sem êxito, mover um enorme sino.

Um menino pede para amarrar o seu corpo ao sino. Depois de várias tentativas o sino começou a mover-se.

Qual a lição moral deste conto?

Devemos nos amoldar à situação e não o contrário.

Ação e Reação


Slide8 l.jpg

Ação e Reação

Reação: Não é só Sofrimento

Reação é geralmente impregnada de dor.

Fala-se do carma, que implica sofrer e resgatar as dívidas do passado.

A reação é simplesmente uma resposta – boa ou má –, em função de nossas ações.

Suponha que estejamos praticando boas ações.

Por quê esperar o sofrimento?

Ação e Reação


Slide9 l.jpg

Ação e Reação

Reação: Lei de Deus

A Lei de Deus é o móvel da reação.

Desobedecendo-a, teremos dor e sofrimento.

Obedecendo-a, teremos paz e tranquilidade.

A escolha está em nossas mãos.

Ação e Reação


Slide10 l.jpg

Ação e Reação

Reação: inexorabilidade da Lei

Deus não perdoa e nem dá prêmios.

“Infelizmente o que está feito, feito está, e o que há de vir virá seguramente”.

Como nos comportarmos ante o sofrimento?

Com muita paciência, pois além do arrependimento, temos de sofrer e reparar o mal.

Deus se vale das pessoas, mas o nosso problema é com relação à radicalidade de sua Lei.

Ação e Reação


Slide11 l.jpg

Ação e Reação

Entre a Ação e a Reação: Antecedentes e Consequentes

A mal (causa) no passado gera dor no presente.

A mal (causa) no presente provoca dor no futuro.

Um fato social deu-se em tal dia (quantitativo).

A passagem do tempo transforma o fato quantitativo em fato qualitativo.

Exemplo: 2 elementos de hidrogênio e 1 de oxigênio formam a água. Mas a água é qualitativamente diferente do hidrogênio e do oxigênio.

Ação e Reação


Slide12 l.jpg

Ação e Reação

Entre a Ação e a Reação: Tempo modifica qualitativamente a Causa

Há 300 anos houve um assassinato entre duas pessoas que se odiavam. (fato real e quantitativo)

Consequência: criou-se um processo obsessivo entre os dois.

Os 300 anos modificaram o criminoso e o assassinado.

Embora o assassino tenha que reparar o seu erro, a pena pode ser abrandada, se tiver praticado atos benevolentes.

O assassinado pode também ter perdoado o assassino.

Ação e Reação


Slide13 l.jpg

Ação e Reação

Entre a Ação e a Reação: Perda do dedo e não do braço

É a história de Saturnino que, sendo espírita e benévolo, perdera o dedo.

Parecia um fato que ia de encontro com a justiça divina.

Ele, numa encarnação passada, havia triturado o braço do seu escravo num engenho rústico.

Deveria perder o braço, mas os seus atos de caridade, ajudaram-no a perder apenas o dedo.

Ação e Reação


Slide14 l.jpg

Ação e Reação

Conclusão

A prática da caridade tem valor científico.

Ajuda-nos a reparar os danos que causamos à Lei Divina.

Se soubermos viver sóbrios e sem muitos agravos à Lei, certamente faremos uma passagem tranqüila ao outro plano de vida.

Ação e Reação


Slide15 l.jpg

Ação e Reação

Bibliografia Consultada

BOULDING, K. E. Princípios de Política Econômica. São Paulo, Meste Jou, 1967. BUZI, ARCÂNGELO R. A Identidade Humana: Modos de Realização. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2002. EQUIPE DA FEB. O Espiritismo de A a Z. Rio de Janeiro, FEB, 1995. XAVIER, F. C. Ação e Reação, pelo Espírito André Luiz. 5. ed., Rio de Janeiro, FEB, 1976. XAVIER, F. C., VIEIRA, W. A Vida Escreve, pelo Espírito Hilário Silva. 3. ed., Rio de Janeiro, FEB, 1978.

Texto em HTML

http://www.sergiobiagigregorio.com.br/palestra/acao-e-reacao.htm

Ação e Reação


  • Login