ANCILOSTOMOSE (amarelão, doença jeca-tatu, mal-da-terra)
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 18

ANCILOSTOMOSE (amarelão, doença jeca-tatu, mal-da-terra) PowerPoint PPT Presentation


  • 347 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

ANCILOSTOMOSE (amarelão, doença jeca-tatu, mal-da-terra) Família Ancylostomidae ( ankylos=curvo + stomma=boca) Subfamílias Ancylostominae – espécies apresentam dentes na margem da boca. Espécie: Ancylostoma duodenale

Download Presentation

ANCILOSTOMOSE (amarelão, doença jeca-tatu, mal-da-terra)

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • ANCILOSTOMOSE (amarelão, doença jeca-tatu, mal-da-terra)

  • Família Ancylostomidae ( ankylos=curvo + stomma=boca)

  • Subfamílias

  • Ancylostominae – espécies apresentam dentes na margem da boca.

    • Espécie: Ancylostoma duodenale

  • Bunostominae – espécies possuem lâminas cortantes circundando margem da boca.

    • Espécie: Necator americanus


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • Estes nematódeos apresentavam distribuição geográfica restrita aos locais de origem, porém atualmente com a globalização, as espécies tornaram-se cosmopolitas.  

  • A. duodenale era restrito ao continente europeu, africano e asiático, 

  • N. americanus era restrito ao continente americano e parte da África.

  • A. ceylanicum era restrito a Taiwan.

  • A ancilostomíase, no Brasil, tem como maior causador o Necator americanus.


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • Ancylostoma duodenale (clima temperado)

  • Adultos machos e fêmeas cilíndricos (9 a 13mm)

  • Cápsula bucal profunda

  • 2 pares dentes dorsais – margem interna

  • 1 par dentes triangulares subventrais – fundo cápsula


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • MACHOS – menores fêmea, extremidade posterior com bolsa copuladora

  • FÊMEAS – extremidade posterior afilada com processo espinhoso terminal

Bolsa copulatoria

Macho

Processo espinhoso

Fêmea


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • Necator americanus (5 a 11mm) (clima tropical)

  • Cápsula bucal profunda

  • 2 lâminas cortantes –subventral

  • 2 lâminas cortantes –subdorsal

  • fundo cápsula – dente longo


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • MACHO – bolsa copuladora desenvolvida

  • FÊMEA – extremidade posterior afilada – sem processo espinhoso


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

Ovos

Ancilostoma – 20 a 30 mil ovos/dia

Necator – 6 a 11 mil ovos/dia


Larva rabdit ide l1 e l2 solo

Larva Rabditóide (L1 e L2 - solo)

Ovo L1 12 a 24 h

L1 L2 3 a 4 dias

L2 L3 5 dias


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

Intestino delgado HOMEM (verme adulto)

Fezes com ovos

Eclosão e larva rabditóideL1

L2 (rabditóide) e produz nova cutícula interna

L3 - filarióide – LARVA INFECTANTE – não se alimenta


Larvas filari ides l3

Larvas Filarióides (L3)


Ciclo evolutivo

Ciclo Evolutivo

Vermes adultos

Duodeno


Infec o ativa l3 pele

INFECÇÃO ATIVA – L3 – PELE

L3 penetração pele (30 min)

Circulação sangüínea e/ou linfática

Coração  artérias pulmonares

Passando pelos pulmões(L4) retornando faringe  deglutição (Ciclo de Loss)

(L5) Final do duodeno - Adulto

Ciclo varia de 5 a 7 semanas


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • MIGRAÇÃO pelos pulmões (2 a 7 dias) L3 perde cutícula e adquiri nova L4;

  • INTESTINO DELGADO (8 dias) L4 fixa-se duodeno e alimenta-se sangue  transformação L5 após 15 dias L5 em adulta – 30 dias


Infec o l3 via oral

INFECÇÃO L3 – VIA ORAL

Água ou alimento contaminado larvas L3

Estômago L3 perde cutícula

Migram intestino delgado 

duodeno penetram mucosa L4

Voltam luz intestino  fixam-se mucosa e iniciam repasto sangüíneo L5

Adultos  cópula  produção ovos eliminados através fezes


Patologia

Patologia

  • Local penetração

  • Geralmente assintomática;

  • Pele - lesões traumáticas , sensação de “ picada” , prurido e edema resultante processo inflamatório e infecções secundárias.

  • Período incubação – até surgirem sintomas intestinais 1 a 2 meses e pode durar anos


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

ALTERAÇÕES PULMONARES

  • passagem larvas – tosse de longa ou curta duração

    PARASITISMO INTESTINAL

  • Dor epigástrica;

  • Diminuição apetite, indigestão, cólica;

  • indisposição, náuseas, vômitos;

  • Número parasitas alto ocorre:

    • diarréia sanguinolenta;

    • perda de peso;

    • má absorção dos nutrientes.

  • constipação – mais freqüentes quando ocorre deposição dos ovos.


Ancilostomose amarel o doen a jeca tatu mal da terra

  • Crianças com parasitismo intenso, pode ocorrer :

    • diminuição proteínas e atraso no desenvolvimento físico e mental.

  • No intestino parasitas alimentam-se de sangue, provocando :

    • Danos na mucosa e capilares do intestino.

  • Casos crônicos (grande número de parasitas) a perda de sangue devido às hemorragias leva:

    • à anemia por deficit de ferro, com perda de atividade e capacidade intelectual.

  • Os Ancylostoma são mais perigosos cada um consome 0,20ml por dia, enquanto o Necator, consome apenas 0,05ml.


Diagn stico controle e tratamento

Diagnóstico, Controle e Tratamento

  • Diagnóstico:

    • Clínico – sintomas

    • Laboratorial – EPF e hemograma

  • Medidas preventivas:

    • saneamento básico, educação sanitária e

    • suplementação alimentar de Fe e proteínas;

  • Tratamento:

    • Uso anti-helminto – mais de uso curativo;

    • Albendazil, Mebendazol


  • Login