Modernismo 2 gera o poesia de 30
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 33

MODERNISMO – 2º GERAÇÃO – POESIA DE 30 PowerPoint PPT Presentation


  • 48 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

MODERNISMO – 2º GERAÇÃO – POESIA DE 30. Professora Vivian Trombini.

Download Presentation

MODERNISMO – 2º GERAÇÃO – POESIA DE 30

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Modernismo 2 gera o poesia de 30

MODERNISMO – 2º GERAÇÃO – POESIA DE 30

Professora Vivian Trombini


Modernismo 2 gera o poesia de 30

Exposto ao horror de duas grandes guerras, o ser humano vive tempos sombrios em meados do século XX. O que significa estar no mundo? A esperança deve ser depositada nos indivíduos ou projetada na espiritualidade? Confrontada com questões como essas, a literatura precisa encontrar novos caminhos, abandonando a relativa leveza que a marcou no inicio do século XX.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

  • CONTEXTO HISTÓRICO

  • A quebra da bolsa de Nova York, em 1929;

  • A Revolução de 1930;

  • Estado Novo;

  • Quebra da bolsa de Nova York;

  • Segunda Guerra ;


Modernismo 2 gera o poesia de 30

Estava criado o contexto para que a arte assumisse uma perspectiva mais intimista e procurasse respostas para as muitas dúvidas existenciais desencadeadas por todo esse cenário de horror e de destruição.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

Em 1930, a vitória da primeira geração modernista na luta travada contra o academicismo já estava consolidada. Muitas de suas propostas, como o verso livre, a afirmação de uma língua brasileira, a priorização de uma paisagem nacional e a abordagem de temas ligados ao cotidiano, estavam definitivamente consolidados em nossa literatura.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

A segunda geração, livre do compromisso de combater o passado, manteve muitas das conquistas da geração anterior, mas também se sentia inteiramente à vontade para voltar a cultivar certos recursos poéticos que o radicalismo da primeira geração tornara objeto de desprezo, tais como os versos regulares (metrificados), a estrofação criteriosa e as formas fixas, como o soneto, a balada, o rondó e o madrigal.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

A publicação, em 1930, do livro Alguma poesia, de Carlos Drummond de Andrade, é considerada a referencia do inicio da poesia da segunda geração modernista. Os críticos adotam o ano de 1945 como data para o fim da poesia dessa geração, embora os escritores pertencentes a ela continuem a produzir.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

  • PROJETO LITERÁRIO

  • Diferentes modos de interpretar a realidade e de responder às grandes questões humanas;

  • Refletir sobre o sentido de estar no mundo;

  • Resgatar a crença de que a nossa espécie pode ser realmente “humana”;

  • A análise do ser humano e de suas angustias, o desejo de compreender a relação entre o individuo e a sociedade;

  • Produção com forte dimensão social.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

PROJETO LITERÁRIO DA SEGUNDA GERAÇAO MODERNISTA

* Reflexão sobre o sentido de estar no mundo *Renovação da linguagem

*Foco no contexto sociopolítico *Versos com estruturas sintáticas mais elaboradas


Modernismo 2 gera o poesia de 30

1. VINICIUS DE MORAES

(1913-1980)

“Escritor da modernidade amorosa”

“Celebrou a sensualidade”


Modernismo 2 gera o poesia de 30

SONETO DE FIDELIDADE – VINICIUS DE MORAES

De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

  • CARACTERÍSTICAS DA OBRA

  • Poesia:

  • Temática:

  • - da transcendência espiritual ao amor sensual

  • - canto ao amor e à mulher

  • o amor em suas múltiplas manifestações: saudade, carência, desejo, paixão, espanto

  • 1ª fase transcendental e mística;

  • angústia existencial (solicitação da alma e do corpo – até 1936).

  • 2ª fase concepção mais realista da vida e do amor (mundo material, impressões

  • sensoriais, erotismo);

  • inovações de forma e conteúdo.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

  • Prosa:

  • crônica do cotidiano;

  • - literatura extraída do cotidiano e das experiências concretas da vida.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

2. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

(1902-1987)

“Verdadeiro mito da poesia brasileira de todos os tempos”


Modernismo 2 gera o poesia de 30

MÃOS DADAS – CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Não serei o poeta de um mundo caduco.

Também não cantarei o mundo futuro.

Estou preso à vida e olho meus companheiros.

Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.

Entre eles, considero a enorme realidade.

O presente é tão grande, não nos afastemos.

Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,

não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,

não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,

não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,

a vida presente.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

CARACTERÍSTICAS DA OBRA

Vasta obra em poesia e prosa

a) Estilo

- linguagem seca, exata, direta, precisa;

- poesia artesanal: trabalhada, elaborada e não fruto apenas da inspiração

momentânea;

- Anti-lirismo intencional (poemas isentos de sentimentalismo ou expressões

enfáticas);

- predomínio de versos livres;

- valorização de aspectos sonoros e visuais (a partir do movimento concretista);

- humor e poema-piada (mais no início da carreira);

- acentuada ironia.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

b) Temas

1. Temática do Eu (autobiografia):

- o passado (lembranças da infância, da família, da terra natal, de fatos marcantes

em sua existência);

- o amor (questionamento, desencontro, dúvida).

2. Temática do Mundo:

- visão pessimista, desencantada do mundo;

- a solidariedade, o compromisso com a humanidade sofredora;

- a destruição (indagação metafísica, a solidão humana, a perda, o nada).

3. Temática da Metapoesia (a metalinguagem):

- Indagação sobre a função da poesia, ou mesmo de como fazê-la.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

4. Temática do questionamento existencial:

- a angústia do poeta e do homem;

- a tentativa de entender o mundo, integrar-se nele.

5. Temática da retratação da realidade:

- compromisso com o presente;

- retrato da realidade brasileira de diferentes épocas.

6. Temática do tempo:

- o compromisso de não afastar-se do presente;

- o passado que o persegue


Modernismo 2 gera o poesia de 30

c) Fases

1. “Gauche” (anos 30) – Dimensão humana:

- ser às avessas, o deslocado, o torto, o que não consegue estabelecer

comunicação com a realidade circundante;

- o pessimismo, o individualismo, a reflexão existencial.

2. Poesia Social (1940-1945):

- sentimento de solidariedade;

- consciência da debilidade do mundo;

- poesia engajada a uma causa política.

Obras: Alguma Poesia (1930); Brejo das Almas (1934)

Obras: Sentimento do Mundo (1940); José (1942), A Rosa do Povo (1945).


Modernismo 2 gera o poesia de 30

3. O Signo do Não (anos 50-60):

- poesia reflexiva, filosófica e metafísica;

- emprego de recursos visuais e gráficos.

4. Fase da Memória (anos 70-80):

- temas universais, a infância, a família, a terra natal (Itabira);

- síntese de vários aspectos de fases diferentes (humor, pessimismo,

existencialismo).

Obras: Claro Enigma (1951); Viola de Bolso (1952); Fazendeiro do Ar e Poesia

até Agora (1953) etc.

Obras: Boitempo (1968); Menino Antigo (1973); As Impurezas do Branco (1973);

Discurso da Primavera (1978); A Paixão Medida (1980); Corpo (1984); Amar se

Aprende Amando (1985), Amor Natural (1992) e outros.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

3. JORGE DE LIMA

(1893-1953)

“Príncipe dos poetas alagoanos”

“O católico engajado”


Modernismo 2 gera o poesia de 30

O ACENDEDOR DE LAMPIÕES – JORGE DE LIMA

Lá vem o acendedor de lampiões da rua!

Este mesmo que vem, infatigavelmente,

Parodiar o sol e associar-se à lua

Quando a sombra da noite enegrece o poente!

Um, dois, três lampiões, acende e continua

Outros mais a acender imperturbavelmente,

À medida que a noite, aos poucos, se acentua

E a palidez da lua apenas se pressente.

Triste ironia atroz que o senso humano irrita:

Ele, que doira a noite e ilumina a cidade,

Talvez não tenha luz na choupana em que habita.

Tanta gente também nos outros insinua

Crenças, religiões, amor, felicidade

Como este acendedor de lampiões da rua!


Modernismo 2 gera o poesia de 30

  • CARACTERÍSTICAS DA OBRA

  • Poesia

  • 1. Fase Nordestina (Regionalismo):

  • - caráter memorialista;

  • - reencontro com a infância (recordações da infância de menino de engenho);

  • - o folclore africano;

  • - a miséria do povo, a consciência social;

  • - presença marcante do negro.

  • 2. Fase Mística e Católica:

  • - conversão do poeta ao catolicismo;

  • - simbologia bíblica;

  • - pessimismo frente ao destino do mundo;

  • - sentimento de fraternidade;

  • - visão paradisíaca e painéis apocalípticos;

  • - Neo-barroquismo (conciliação dos contrários).


Modernismo 2 gera o poesia de 30

3. Poesia Surrealista (Obra: Invenção de Orfeu – 1952):

- biografia épica do próprio homem, em busca de sua plenitude espiritual;

- misto de invenção e memória, passado e presente, sonho e realidade, história e

futuro;

- virtuosismo técnico e hermetismo.

b) Prosa

- cristianismo, surrealismo, regionalismo, urbanidade, crítica social, reflexão

filosófica

Obras: Salomão e as Mulheres (1927); Calunga (1935); A Mulher Obscura (1939);

Guerra Dentro do Beco (1950); O Anjo (novela - 1934).


Modernismo 2 gera o poesia de 30

4. CECÍLIA MEIRELES

(1901-1964)

“O efêmero e o eterno”


Modernismo 2 gera o poesia de 30

RETRATO – CECÍLIA MEIRELES

Eu não tinha este rosto de hoje,

assim calmo, assim triste, assim magro,

nem estes olhos tão vazios,

nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,

tão paradas e frias e mortas;

eu não tinha este coração

que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,

tão simples, tão certa, tão fácil:

- Em que espelho ficou perdida a minha face?


Modernismo 2 gera o poesia de 30

CARACTERÍSTICAS DA OBRA

- poesia delicada, intimista, subjetiva, compassiva, reflexiva, filosófica;

- imagens naturais (mar, ar, areia, espuma, lua, vento);

- forte herança simbolista (neo simbolismo);

- estados de ânimo vagos e quase incorpóreos;

- atmosfera de dor existencial;

- caráter passadista e pouco inovador;

- linguagem limpa e bem comportada;

- versos curtos;

- tom melancólico e sereno.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

Temáticas:

- a precariedade da existência humana;

- a fugacidade do tempo e dos bens materiais;

- a falta de sentido da vida;

- a solidão a que o indivíduo está condenado;

- a distância, a perda, a falta;

- a criação artística;

- a natureza.


Modernismo 2 gera o poesia de 30

5. MURILO MENDES

(1901-1975)

“O católico visionário”


Modernismo 2 gera o poesia de 30

O RENEGADO – MURILO MENDES

Cortina que vela a face de Deus,

O céu fecha-se violentamente sobre mim [...]

Que tenho eu com a sociedade dos meus irmãos?

Acaso serei responsável pela sua vida?

Sou o membro destacado de um vasto corpo.

Sou um na confusão da massa insaciável:

Entretanto vejo por todos, penso por todos, sofro por todos. [...]


Modernismo 2 gera o poesia de 30

CARACTERÍSTICAS DA OBRA

- retrato da realidade sem artificialismo;

- crítica à sociedade massacrada pela técnica e pela mecanização;

- paródia;

- influência surrealista (exploração do inconsciente);

- temática voltada para desmistificação do cotidiano;

- sensualidade na figura da mulher, projetada através de suas formas amplificadas,

simbolizando a seiva da vida, o lugar do encontro com o mistério da existência;

- o senso de humanidade e a consciência social associados à dimensão espiritual;

- metalinguagem.


  • Login