Slide sem t 822811
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 42

O INVERNO NUCLEAR PowerPoint PPT Presentation


  • 50 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

O INVERNO NUCLEAR. Por: Ronaldo Garcia UMA VEZ, JÁ FAZ ALGUM TEMPO, PERGUNTARAM A UM VELHO CIENTISTA COMO SERIA A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL. ELE RESPONDEU: “NÃO TENHO A MENOR IDÉIA DE COMO SERÁ A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL, MAS TENHO CERTEZA DE COMO VAI SER A QUARTA GUERRA:. O INVERNO NUCLEAR.

Download Presentation

O INVERNO NUCLEAR

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

Por: Ronaldo Garcia

UMA VEZ, JÁ FAZ ALGUM TEMPO, PERGUNTARAM A UM VELHO CIENTISTA COMO SERIA A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL.

ELE RESPONDEU:

“NÃO TENHO A MENOR IDÉIA DE COMO SERÁ A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL, MAS TENHO CERTEZA DE COMO VAI SER A QUARTA GUERRA:


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO

RÚSSIA

ESTADOS UNIDOS


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

A BOMBA ATOMICA

V

V

POTENCIAS NUCLEARES

A GUERRA NUCLEAR

V

CONSEQUENCIAS ATMOSFERICAS

`

V

CONSEQUENCIAS BIOLOGICAS

`

O FIM DO MUNDO


Slide sem t 822811

V

A BOMBA ATOMICA

1 QUILOTON: MIL QUILOS DE TNT

1 MEGATON: UM MILHÃO DE QUILOS DE TNT

... E ESSA MESMA BOMBA MATOU ENTRE 100.000 E 200.000 PESSOAS

A BOMBA ATÔMICA DE HIROXIMA TINHA 12 QUILOTONS DE POTÊNCIA...


Slide sem t 822811

V

A BOMBA ATOMICA

COMO FUNCIONA


Slide sem t 822811

V

A BOMBA ATOMICA


Slide sem t 822811

V

A BOMBA ATOMICA


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

SISTEMAS BÉLICOS:

ICBM

SLBM

BOMBARDEIROS

MÍSSEIS DE TEATRO

MÍSSEIS TÁTICOS

COMUNICAÇÃO, COMANDO, CONTROLE E INTELIGÊNCIA

DEFESA AÉREA

DEFESA DE MÍSSEIS

ARMAS BIOLÓGICAS

ARMAS QUÍMICAS

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

FORCA 1

FORCA 4

FORCA 3

FORCA 2

,

,

,

,

FRANÇA

ISRAEL

CHINA

ÍNDIA

RÚSSIA

REINO UNIDO

PAQUISTÃO

ESTADOS UNIDOS


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

SISTEMAS BÉLICOS:

MÍSSEIS NUCLEARES

ARMAS BIOLÓGICAS

ARMAS QUÍMICAS

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,

IRÃ

COREA DO NORTE

IRAQUE


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

SISTEMAS BÉLICOS:

MÍSSEIS NUCLEARES

ARMAS QUÍMICAS

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,

SUDÃO

ARGÉLIA

LÍBIA

SÉRVIA

SIRIA


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

SISTEMAS BÉLICOS:

MÍSSEIS NUCLEARES

FORCA 2

FORCA 3

FORCA 4

FORCA 1

,

,

,

,


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

FORCA 4

FORCA 3

FORCA 2

FORCA 1

,

,

,

,

ARGENTINA

ÁFRICA DO SUL

BIELORRUSSIA

BRASIL

CASAQUISTÃO

EGITO

JAPÃO

ROMÊNIA

TAIWAN

UCRÂNIA


Slide sem t 822811

POTENCIAS NUCLEARES MUNDIAIS

V

FRANÇA

ISRAEL

CHINA

ÍNDIA

RÚSSIA

REINO UNIDO

PAQUISTÃO

ESTADOS UNIDOS

NÚMERO DE BOMBAS NO MUNDO EM 1997

410

12.000 - 19.000

492

60 +?

100 +?

15 - 25

200

14.000 - 23.000

TOTAL NO MUNDO (MÁXIMOS):43.277

TOTAL NO MUNDO (MÍNIMOS):27.267


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

AEROPORTOS ESTRATÉGICOS, SILOS DE MISSEIS, SUBMARINOS, CENTROS DE COMANDO, FÁBRICAS E DEPÓSITOS DE ARMAS

ATAQUES DE CONTRAFORÇA

ATAQUES DE CONTRAVALOR

REFINARIAS, DEPÓSITOS E DUTOS DE PETRÓLEO, RIOS, FERROVIAS, ESTRADAS, ESTAÇÕES DE TV, RÁDIOS, AEROPORTOS CIVIS

ARMAS TÁTICAS

GERALMENTE ARMAS DE POUCA POTENCIA, USADAS EM MÍSSEIS AR-AR E AR-SUPERFÍCIE

ARMAS DE TEATRO

GERALMENTE ARMAS DE POUCA POTENCIA, USADAS EM COMBATES NUMA REGIÃO

MÍSSEIS NUCLEARES INTERCONTINENTAIS LANÇADOS DE SILOS OU DE SUBMARINOS

ARMAS ESTRATÉGICAS

DEFINIÇÕES


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

SISTEMAS DE ATAQUE

MÍSSEIS NUCLEARES DE UMA OGIVA

MINUTEMAN III


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

SISTEMAS DE ATAQUE

MÍSSEIS NUCLEARES DE MÚLTIPLAS OGIVAS (MIRV’s)

OGIVAS NUCLEARES

REENTRADA NA ATMOSFERA


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

SISTEMAS DE DEFESA

“ESPELHOS NO ESPAÇO”

SATÉLITE DE IMPACTO E FRAGMENTAÇÃO


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

SISTEMAS DE DEFESA

PROJETO AMERICANO “GUERRA NAS ESTRELAS”


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

O CENÁRIO DA GUERRA


Slide sem t 822811

A GUERRA NUCLEAR

CENÁRIO

CONDIÇÃO

POTÊNCIA

TOTAL DE EXPLOSÕES

NOMINAL

0,1 (MT)

NOMINAL

1 - 10 (MT)

SEVERO

5 - 10 (MT)

SEVERO

0,1 - 10 (MT)

SEVERO

0,1 - 10 (MT)

CENÁRIOS REPRESENTATIVOS DO COMFLITO NUCLEAR

100 MEGATONS EM CONTRAVALOR

1000 BOMBAS

3.000 MEGATONS EM CONTRAFORÇA

2150 BOMBAS

5.000 MEGATONS EM CONTRAFORÇA

700 BOMBAS

5.000 MEGATONS EM CONTRAVALOR E CONTRAFORÇA

10.400 BOMBAS

10.000 MEGATONS EM CONTRAFORÇA E CONTRAVALOR

16.160 BOMBAS


Slide sem t 822811

EFEITOS ATMOSFERICOS DA GUERRA NUCLEAR

POTÊNCIAS DAS BOMBAS NUCLEARES

100 KILOTONS

CAPAZ DE LANÇAR UMA COLUNA DE FUMAÇA ATÉ 13 KM DE ALTURA TROPOPAUSA

1 MEGATON

CAPAZ DE LANÇAR UMA COLUNA DE FUMAÇA ATÉ 22 KM DE ALTURA ESTRATOSFERA


Slide sem t 822811

REFERÊNCIA: 5000 MEGATONS

1H

1D

1S

1M

3M

6M

1A

2A

5A

10A

EFEITOS ATMOSFERICOS DA GUERRA NUCLEAR

EVENTO/DURAÇÃO

VENTOS

RADIAÇÃO TÉRMICA

RADIAÇÃO PRIMÁRIA

INCÊNDIOS

GASES TÓXICOS

ESCURIDÃO

FRIO

ÁGUA CONGELADA


Slide sem t 822811

REFERÊNCIA: 5000 MEGATONS

1H

1D

1S

1M

3M

6M

1A

2A

5A

10A

EFEITOS ATMOSFERICOS DA GUERRA NUCLEAR

?

SINERGISMOS

EVENTO/DURAÇÃO

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA

PRECIPITAÇÃO RADIOATIVA

DISTURBIOS PSÍQUICOS

DOENÇAS CONTAGIOSAS

EPIDEMIAS E PANDEMIAS

ESCASSEZ DE ALIMENTOS

COLAPSO DO APARELHO MÉDICO


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

UM DIA AINDA NORMAL, ANTES DA QUERRA NUCLEAR


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

DEPOIS, FORMAR-SE-IA GELO DE ESPESSURA CONSIDERAVEL


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

CONÍFERAS SECAS SERVIRIAM PARA PROVOCAR INDÊNDIOS


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

IMPACTO NA AGRICULTURA

NO CASO DE UMA GUERRA NA PRIMAVERA OU VERÃO, A TEMPERATURA ABAIXO DO PONTO DE CONGELAMENTO DESTRUIRIAM TODAS AS CULTURAS DO HEMISFÉRIO NORTE

DESLOCAMENTO URBANO

UMA SEMANA APÓS A GUERRA, A QUANTIDADE DE LUZ DIMINUI DRÁSTICAMENTE. FALTA ÁGUA, COMIDA E COMBUSTÍVEL E OS SOBREVIVENTES RECEBERIAM FORTE RADIAÇÃO


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

O FRIO E A ESCURIDÃO

CONDIÇÕES EXTREMAS DE TEMPERATURA DESTRUIRIAM FLORESTAS TROPICAIS ÚMIDAS. COM EM LUGARES DA AMÉRICA CENTRAL E DA AMÉRICA DO SUL

VAZAMENTOS QUÍMICOS

EXPLOSÕES NUCLEARES PRÓXIMA DE CIDADES INCENDIARIAM INSTALAÇÕES DE PETRÓLEO E GÁS E ROMPERIAM TANQUES CONTENDO PRODUTOS TÓXICOS


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

UMA VISTA EM CORTE DOS OCEANOS EM CONDIÇÕES NORMAIS


Slide sem t 822811

EFEITOS BIOLOGICOS DA GUERRA NUCLEAR

O DIFERENCIAL TÉRMICO GERA INTENSAS TEMPESTADES NO LITORAL


Slide sem t 822811

O FIM DO MUNDO

DEPOIS DE INICIADA, FICA IMPOSSÍVEL CONTROLAR A GUERRA. NÃO EXISTE UMA “PEQUENA GUERRA NUCLEAR”

OS SOBREVIVENTES RETORNARÃO A UMA ESPÉCIE DE CAÇADOR-APANHADOR NUM AMBIENTE JAMAIS EXPERIMENTADO POR NINGUÉM

SISTEMAS SOCIAIS, ECONÔMICOS E DE VALORES SERÃO ESFACELADOS

O ESTADO PSICOLÓGICO DOS SOBREVIVENTES NÃO É FÁCIL DE IMAGINAR.

GRUPOS MUITOS REDUZIDOS DE SOBREVIVENTES PODEM GERAR CRUZAMENTOS COSANGÜÍNEOS E NUM PRAZO DE CENTENAS DE ANOS, PODEM ACABAR POR COMPLETO

EM OUTRAS PALAVRAS, NÃO HÁ COMO EXCLUIR A POSSIBILIDADE DE UMA GUERRA NUCLEAR ACARRETAR A EXTINÇÃO DO HOMEM


Slide sem t 822811

O FIM DO MUNDO

UMA VEZ, JÁ FAZ ALGUM TEMPO, PERGUNTARAM A UM VELHO E IMINENTE CIENTÍSTA COMO SERIA A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL.

ELE RESPONDEU:

“NÃO TENHO A MENOR IDÉIA DE COMO SERÁ A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL, MAS TENHO CERTEZA DE COMO VAI SER A QUARTA GUERRA:

...COM PAUS E PEDRAS.”

ALBERT EINSTEIN


Slide sem t 822811

O INVERNO NUCLEAR

BIBLIOGRAFIAS

O INVERNO NUCLEAR

CARL SAGAN, PAUL R. EHRLICH, DONALD KENNEDY E WALTER ORR ROBERTS

FAS FEDERATION OF AMERICAN SCIENTISTS

NUCLEAR WEAPONS DATABASE


  • Login