Caso cl nico accr 08ap 01095
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 47

Caso clínico ACCR 08AP-01095 PowerPoint PPT Presentation


  • 59 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Caso clínico ACCR 08AP-01095. Fabielle M. Harth Fabíola M. Machado Junho 2008. Caso clínico. M.Z.K.H., feminino, 58 anos, natural de ..., residente em Ponta Grossa

Download Presentation

Caso clínico ACCR 08AP-01095

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Caso cl nico accr 08ap 01095

Caso clínico ACCR08AP-01095

Fabielle M. Harth

Fabíola M. Machado

Junho 2008


Caso cl nico

Caso clínico

  • M.Z.K.H., feminino, 58 anos, natural de ..., residente em Ponta Grossa

  • HMA: Paciente com diarréia líquida de grande volume, sem sangue, muco ou pus, com restos alimentares, com pequeno número de evacuações e emagrecimento de 20kg em 3 anos. Sem reposta à dieta isenta de glúten.


Caso cl nico1

Caso clínico

  • HMP:

    • Em acompanhamento com Gastroenterologista desde 2000 por refluxo gastroesofágico, pirose e anemia

    • Hipertireoidismo tratado com Propiltiuracil, evoluiu com Hipotireoidismo, atualmente em uso de Levotiroxina 112mcg/d

    • Depressão, em uso de Citalopram e Alprazolam


Caso cl nico2

Caso clínico

  • Neuralgia do trigêmeo, em acompanhamento com Neurologista, em uso de Sertralina

  • Tratamento para H. pylorino ano 2000

  • Colecistectomia em 1999


Caso cl nico3

Caso clínico

  • AGO: Menopausa aos 54 anos

  • HMF: Tia com colelitíase

    Nega hx familiar de câncer de intestino

  • CHV: Sedentária


Lista de problemas

Lista de problemas

  • Anemia

  • Diarréia crônica

  • Emagrecimento

  • Hipotireoidismo

  • Depressão

COMENTÁRIOS


Exames complementares previamente realizados

Exames complementares(previamente realizados)

  • US abdome total (10/04/07):

    • Pequena dilatação de vias biliares extra-hepáticas.

  • Colangiorressonância (23/04/07):

    • Mínima ectasia biliar extra-hepática com extensão até porção peri-ampolar do colédoco


Exames complementares previamente realizados1

Exames complementares(previamente realizados)

  • EDA (03/05/07):

    • Normal

    • Bx duodeno: duodenite crônica e aguda, erosiva moderada com atrofia vilositária intensa e eosinofilia


Exames complementares previamente realizados2

Exames complementares (previamente realizados)

  • Anticorpo antigliadina: negativo (<2,00)

  • Anticorpo anti-endomísio: não reagente


Hip teses diagn sticas

Hipóteses diagnósticas


Exames complementares

Exames complementares

  • HMG:

    • VG:32,3Hb:10,9 VCM:84 CHCM:33

    • Leucócitos:2.300 Eosinófilos 2% Linfócitos 40% Bastões 3% Segmentados 47% Neutrófilos 50%

    • Plaquetas 254.000

    • Ferro sérico: 24 (N: 43-181)

    • Ferritina: 29 (N:10-204)


Exames complementares1

Creatinina: 0,72

Potássio: 3,8

Glicose: 74

Fósforo: 4,0

Cálcio: 7,8 (N:8,8-11)

Magnésio: 1,3 (N: 1,5-2,5)

Sódio: 138

TAP: 15,4s

TGP: 39 (N até 35)

Albumina: 3,0 (N:3,5-5,2)

Globulinas: 1,4 (N:2,2-4,2)

TSH: 4,22

T4 l: 1,13

Ác fólico:4 (N >1,3)

Vitamina B12: >1200 (N:180-900)

Exames complementares


Exames complementares2

Parcial de urina: normal

Parasitológico de fezes: negativo

Coprocultura: negativa

Pesquisa de leucócitos: negativa

Ig G: 1023 (N:952-1538)

Ig A: 327 (N:70-400)

Ig E: 38 (N<160)

Exames complementares


Exames complementares3

Exames complementares

  • EDA com biópsia de estômago (27/03/08):

    • Gastrite crônica discreta e inespecífica

  • EDA com biópsia de duodeno (27/03/08):

    • Enteropatia inflamatória difusa com atrofia vilosa acentuada


Marsh

MARSH 0:

Arquitetura mucosa normal, sem infiltração linfocítica intra-epitelial significante

MARSH I (enterite linfocítica):

Arquitetura mucosa normal com infiltração predominante do epitélio viloso por linfócitos

MARSH II (enterite linfocítica com hiperplasia críptica):

Consiste em linfocitose intra-epitelial e alongamento e ramificação das criptas nas quais há proliferação aumentada de células epiteliais

MARSH III:

Linfocitose intra-epitelial, hiperplasia críptica e atrofia vilosa

MARSH


Marsh1

MARSH

  • MARSH III A:

    • Atrofia parcial dos vilos

  • MARSH III B:

    • Atrofia vilosa subtotal; vilos estão claramente atróficos mas ainda reconhecíveis

  • MARSH III C:

    • Atrofia vilosa total; vilos são rudimentares ou ausentes; a mucosa assemelha-se à colônica


Exames complementares4

Exames complementares

  • Colonoscopia (01/04/08):

    • Ileíte terminal discreta

    • Íleo terminal, biópsia endoscópica:

      • Ileíte crônica discreta, difusa e inespecífica com esparsos granulócitos em fragmentos mucosos entéricos com citoarquitetura geral alterada com vilos encurtados e algo alargados e criptas regulares sem evidências de hiperplasia

    • Pólipos, biópsia endoscópica:

      • Pólipos do intestino grosso padrão hiperplásico com predomínio de células caliciformes demonstrando discretas alterações inflamatórias crônicas inespecíficas e sem evidência de displasia significativa


Diagn sticos diferenciais

Diagnósticos diferenciais


Diagn sticos diferenciais1

Hipercrescimento bacteriano

Giardíase

Intolerância à lactose

Doença de Crohn

Doença celíaca

Doença celíaca refratária

Espru tropical

Doença Whipple

Drogas

Abetalipoproteinemia

Deficiência seletiva de Ig A

Imunodeficiência comum variável

Enteropatia auto – imune

Diagnósticos diferenciais


Hipercrescimento bacteriano

Hipercrescimento bacteriano

  • Diarréia crônica , má absorção, esteatorréia

  • Dor abdominal

  • Perda peso

  • Náuseas

  • Anemia macrocítica


Hipercrescimento bacteriano1

Hipercrescimento bacteriano

  • Fatores predisponentes:

    • Diabetes mellitus

    • Antimicrobiano

    • Gastrojejunostomia Billroth II

    • Hipo /acloridria

    • Esclerodermia

    • Doença de Crohn – fístulas

    • Enteropatia por radiação

    • Aderências

    • Linfoma; tuberculose

    • Fibrose cística


Giard ase

Giardíase

  • Protozoário intestinal

  • Endêmica

  • Diarréia aguda ou crônica

  • Esteatorréia ou constipação


Intoler ncia lactose

Intolerância à lactose

  • Deficiência adquirida de lactase

  • Diarréia explosiva, fezes aquosas e espumosas

  • Distensão e dor abdominal, flatulência, eructação


Doen a de crohn

Doença de Crohn

  • Diarréia

  • Dor abdominal, principalmente QID

  • Febre, astenia, emagrecimento

  • Alterações perianais


Doen a de crohn1

Doença de Crohn

  • Manifestações extra-intestinais

  • Complicações características: fístulas e estenoses

  • Comprometimento de vários seguimentos do trato gastrointestinal


Doen a cel aca

Doença Celíaca

  • Enteropatia sensível a glúten

  • Doença crônica

    • Lesão na mucosa do intestino delgado

    • Diminuição da absorção de nutrientes

  • Reação inflamatória com componente auto-imune

  • História familiar (HLA-DQ2 ou HLA-DQ8)


Doen a cel aca1

Doença Celíaca

  • Endoscopia (biópsia):

    • Enterite difusa

    • Importante atrofia ou perda total das vilosidades

  • Alterações mais proeminentes no intestino proximal (duodeno e jejuno)

    • Expostos às concentrações mais altas do glúten alimentar


Doen a cel aca2

Doença Celíaca

  • Diarréia, flatulência, perda de peso, fadiga

  • Manifestações extra-intestinais

  • Atrasos no crescimento na infância


Doen a cel aca3

Doença Celíaca

  • Favorecem o diagnóstico:

    • Ac antigliadina

      • Sensibilidade: 75- 90%

      • Especificidade: 82-95%

    • Ac antiendomísio

      • Sensibilidade: 85-98%

      • Especificidade: 97-100%

    • Ac contra a transglutaminase tecidual

      • Sensibilidade: 90-98%

      • Especificidade: 94-97%


Doen a cel aca4

Doença Celíaca

  • Diagnóstico definitivo:

    • Documentação clínica da má absorção

    • Demonstração da lesão intestinal na biópsia do intestino delgado

    • Melhora dos sintomas e da histologia da mucosa após retirada do glúten da dieta


Doen a cel aca refrat ria inclassific vel intrat vel

Doença celíaca refratária/ inclassificável /intratável

  • Causa mais comum de sintomas persistentes em pacientes com diagnóstico de doença celíaca: não aderência à dieta restrita de glúten

  • 90% dos casos respondem à dieta restrita de glúten

  • Doença intestinal sintomática severa, que não responde à dieta isenta de glúten por ao menos 6 meses e sem outras causas de atrofia vilosa


Doen a cel aca refrat ria inclassific vel intrat vel1

Doença celíaca refratária/ inclassificável /intratável

  • Inclui:

    • Resposta a outras dietas com restrição protéica, por ex. soja, leite , ovo

    • Resposta a glicocorticóides

    • Doença celíaca “ temporária”

      • Achados clínicos e morfológicos desaparecem após alguns meses/anos

    • Sem resposta ao tratamento e com evolução desfavorável – com complicações como linfoma intestinal de células T


Espru tropical

Espru tropical

  • Doença celíaca-like

  • Lesão em quase todos os níveis do intestino delgado

  • Diarréia aguda em visitantes de locais endêmicos

  • Tratamento com antibióticos de amplo espectro


Doen a de whipple

Doença de Whipple

  • Doença rara

  • Homens, 4-5ª década

  • Diarréia, má absorção, perda de peso

  • Artropatia geralmente é o sintoma inicial


Doen a de whipple1

Doença de Whipple

  • Bactéria Tropheryma whippelii

  • Outras manifestações:

    • Intestino

    • Sistema nervoso central

    • Articulações

  • Diagnóstico patológico: Macrófagos na mucosa do intestino delgado contendo grânulos PAS-positivos


Les o intestinal induzida por drogas

Lesão intestinal induzida por drogas

  • Enterocolite induzida por medicamentos

    • Mais comum por AINE

    • Antibióticos

  • Padrão inespecífico de inflamação do intestino delgado

    • Má absorção

    • Diarréia aguda/ crônica

    • Ulceração

    • Formação de estenose


Abetalipoproteinemia

Abetalipoproteinemia

  • Raro erro inato do metabolismo

    • Herança autossômica recessiva

  • Atraso no desenvolvimento , diarréia e esteatorréia

  • Defeito na síntese e exportação de lipoproteínas nas células mucosas intestinais


Defici ncia seletiva de ig a

Deficiência seletiva de Ig A

  • Imunodeficiência primária mais comum

    • Ausência Ig A secretória e sérica

  • Susceptibilidade às infecções respiratória, urogenital e gastrointestinal

  • Doenças auto-imunes e alérgicas concomitantes

  • Lesões intestinais espru-like

  • Diarréia severa e má absorção


Imunodefici ncia comum vari vel hipogamaglobulinemia adquirida

Imunodeficiência comum variável (Hipogamaglobulinemia adquirida)

  • Decréscimo níveis séricos de Ig G

  • Início geralmente em adultos

  • Infecções respiratórias e gastrointestinais recorrentes

  • Pacientes com tendência para doenças neoplásicas e doenças auto–imunes

  • Diarréia e má absorção em 9- 40% pacientes

  • Biópsia intestino : semelhante doença celíaca


Enteropatia auto imune

Enteropatia auto-imune

  • Afeta intestino delgado predominantemente

  • Diarréia não responde à restrição dietética isenta de glúten

  • Coexistência com outras doenças auto-imunes

  • Anticorpo “globet cells”


Enteropatia auto imune1

Anticorpo anti-enterócitos

Não são específicos – HIV AIDS

Biópsia : EDA e colonoscopia

Atrofia vilositária, mitoses criptas,linfócitos intraepiteliais aumentados

Enteropatia auto-imune


Caso cl nico4

Caso clínico

  • Paciente encontra-se internada em Curitiba, com NPT e em tratamento para Pneumonia

  • Apresentou crise convulsiva

  • Estabilizou o peso


  • Login