M dulo cirurgia vascular
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 24

Módulo Cirurgia Vascular PowerPoint PPT Presentation


  • 68 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Módulo Cirurgia Vascular. Aula 2: Aneurisma de aorta Membro: Airton Madureira. Conceito. Considera-se aneurismática uma artéria com mais de 50% do diâmetro local esperado ou em comparação com o segmento imediatamente proximal e que envolva todas as camadas da parede arterial.

Download Presentation

Módulo Cirurgia Vascular

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Módulo Cirurgia Vascular

Aula 2:

Aneurisma de aorta

Membro:

Airton Madureira


Conceito

  • Considera-se aneurismática uma artéria com mais de 50% do diâmetro local esperado ou em comparação com o segmento imediatamente proximal e que envolva todas as camadas da parede arterial.


Aneurisma x Pseudo-aneurisma


Etiopatogenia

  • Herança genéticaAutossômica dominante ligada ao X.

    Metaloproteinases

    Elastase > α1-antitripsina

    Síndrome de Marfan e Ehlers-Danlos

  • Trauma

  • Infecções (sífilis e fungos)


Risco de Ruptura

Cronenwett e cols

TABAGISMO

Sterpetti et al

JOURNAL OF VASCULAR SURGERY 2003


Risco de Ruptura

Adaptado do Journal of vascular surgery

JOURNAL OF VASCULAR SURGERY 2003


Risco de Ruptura

  • Metade das mortes causadas por ruptura de aneurisma ocorrem antes do socorro.

  • Dos sobreviventes,30 a 50% morrem em virtude da operação de emergência.

  • A mortalidade geral causada pela ruptura alcança 80% dos casos


Quadro Clínico

  • 80% assintomáticos

  • HDA:Dor lombar, dor abdominal, isquemia dos MI, choque hipovolêmico.

  • Exame Físico:Tumoração abdominal pulsátil.


Exames Complementares

  • Ultra-sonografia

  • Tomografia Computadorizada

  • Ressonância Magnética

  • Angiografia


Ultrassonografia

  • Exame de escolha para diagnóstico inicial e acompanhamento posterior.

  • Limitações:Avaliação do segmento torácico ou abdominal proximal as artérias renaisGás interposto.


Tomografia Computadorizada

  • Vantagens:Precisão, diagnóstico de doenças abdominais concomitantes e variações anatômicas.

  • Limitações:Radiação ionizante, contraste nefrotóxicos.


Ressonância Magnética

  • Fornece as mesmas informações da TC, mas não precisa de contraste.

  • Limitações:Marcapasso, clipes metálicos, claustrofóbicos e alto custo.


Angiografia

  • É indicada quando há suspeita de doença obstrutiva periférica ou visceral e na eventual correção endovascular.


Cirurgia

  • Avaliação pré-anestésica: controle dos fatores de risco.

  • Eventos isquêmicos cardíacos são responsáveis por 60% dos óbitos pós-operatórios.

  • A mortalidade operatória é de cerca de 3 a 5% para eletivas e de 47% para artéria rota.


Indicações de Cirurgia

  • Diâmetro transverso > 5cm ou crescimento maior que 5mm em 6 meses.

  • Indicações especiais: Trombose,embolia distal, infecção, fistulação, pseudo-aneurisma, dissecção da parede arterial.


Cirurgia Endovascular

  • PRINCÍPIO BÁSICO: a endoprótese é introduzida no interior do aneurisma através das artérias femorais e fixado ao colo infrarenal não-aneurismático e às artérias ilíacas com próteses auto-expansíveis ou expansíveis por balão, em vez de suturas.


Reparo endovascular de um aneurisma da aorta abdominal, envolvendo a exclusão do aneurisma com uma endoprótese aórtica introduzida a distância, usualmente, através da artéria femoral. O enxerto endovascular estende-se da aorta infrarenal até ambas as artérias ilíacas comuns, preservando o fluxo nas artérias ilíacas internas. AS, aorta supra-renal; Cl, colo aórtico infra-renal; AIC, artéria ilíaca comum; Ali, artéria ilíaca interna, RD, rim direito; RE, rim esquerdo; AIE, artéria ilíaca externa.


Bibliografia

  • Townsend et al. Sabiston Textbook of Surgery, 18° edição.Editora Elsevier.

  • Kumar et al.Patologia,Robbins&Cotran: Bases Patológicas das Doenças.7° edição.Editora Elsevier.

  • Lopes,AC.Diagnóstico e Tratamento,vol.2. 1° edição.Editora Manole.


  • Login