Aplica es do treinamento complexo no esporte
Download
1 / 40

Aplicações do Treinamento Complexo no Esporte - PowerPoint PPT Presentation


  • 66 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Aplicações do Treinamento Complexo no Esporte. Prof. MS.Wagner Silva. Wagner Silva. Treinamento complexo. Atividade principal (AP). Atividade condicionante (AC). Treinamento complexo. Atividade condicionante. Atividade principal. Wagner Silva. Potencialização pós-ativação - PPA.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha

Download Presentation

Aplicações do Treinamento Complexo no Esporte

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Aplicações do Treinamento Complexo no Esporte

Prof. MS.Wagner Silva


Wagner Silva

Treinamento complexo

Atividade principal (AP)

Atividade condicionante (AC)


Treinamento complexo

Atividade condicionante

Atividade principal


Wagner Silva

Potencialização pós-ativação - PPA

  • A melhora do desempenho contrátil estaria associada a um fenômeno denominado Potencialização pós ativação.


Mecanismos propostos

Fosforilação da cadeia leve regulatória de miosina (CLRM).

Sweeney et al . Am J Physiol 1993; 264(33): C1085-C1095

Aumento do recrutamento das fibras de grosso calibre.

DESEMPENHO

Gullich et al. NSA; 1996 11(4): 67-81

Modificações da arquitetura muscular (AM).

Mahlfeld et al. Muscle Nerve 2004; 29:597-600.


Fosforilação da CLRM


Retículo Sarcoplasmático

CLM Kinase

Complexo Ca+ Calmodulina

+

+

Sweeney et al. 1993; Am J Physiol 264 (Cell Physiol. 33): C1085-C1095


Fosforilação da CLRM


Mecanismos fisiológicos

  • Aumento do recrutamento das fibras de grosso calibre.

  • Young e Griffiths . J Strength Cond Res 1998 1998;12.

  • Gullich et al. NSA; 1996 11(4): 67-81.


Medula Espinhal

Fibras Musc

OTG

Eferente

Motoneurônio

FUSO

Eferente

Motoneurônio

Interneurônio

Músculo

Imagem adaptada de Komi PV. Strengthand Power in Sports, 2003; pág 28.


Mecanismos fisiológicos

  • Modificação na arquitetura muscular.

  • Ângulo entre a linha de ação de força gerada pelas fibras com a aponeurose profunda do músculo.

Mahlfeld et al. Muscle Nerve 2004; 29:597-600.


Ângulo de penação

Comprimento do fascículo

Espessura muscular


Wagner Silva

Variáveis que influenciam a PPA

DESEMPENHO


Gouvêa et al 2012 J Sport Sci 2012; DI:10.1080/022640414.2012.738924

Pico da PPA

8-12 MIN

0-3 MIN

Desempenho

3-8 MIN

Potencialização pós e pré

Pico da fadiga

Janela 1

Janela 2

Controle do volume

Tempo de recuperação

Tilin et al. Sports Med; 2009 39 (2): 147-166


J Sports Sci. 2013;31(5):459-67. doi: 10.1080/02640414.2012.738924. Epub 2012 Nov 9

Gouvêa AL, Fernandes IA, César EP, Silva WA, Gomes OS.

  • (0 – 3 minutos) ↓ Na altura do salto

  • (4 - 7 minutos) ---- Na altura do salto

  • (8 - 12 minutos) ↑ Na altura do salto

  • (> 16 minutos) ---- Na altura do salto


Estado da Arte (Estudos agudos)


  • 12 Jogadores Profissionais de Rugby

  • 1 Série de 3 RM

  • 65%, 80% e 93% de 1 RM

  • Tempo de Vôo, Tempo de contato com o solo e Rigidez muscular.


Redução no tempo de contato com o solo.


Aumento da Rigidez.


  • 16 Jogadores Profissionais de Rugby

  • 1 Série de 3 RM

  • 91% de 1 RM

  • 5 e 10 metros de corrida.


Wagner Silva

Estudo 1

Efeito agudo de uma atividade condicionante sobre o desempenho da corrida de velocidade e a arquitetura muscular de jogadores de futebol.


Wagner Silva

Métodos

Amostra

  • 18 jogadores de futebol profissional.

  • 21±1,5 anos.

  • Treinados em TCR por no mínimo 6 meses

  • 2 condições (CON x EXP).


26

Wagner Silva

Atividade principal (T30)

Corrida de velocidade

Barreira fotoelétrica

5 metros

Distância entre o ponto de partida e a primeira célula fotoelétrica (início).

5 metros

Distância entre o ponto onde a última barreira se encontrava e aonde o atleta deveria parar de correr (fim).

30 metros

Distância total de corrida.


27

Wagner Silva

Medida de ultrassonografia (AM)


28

Wagner Silva

Resultados

6,7 e 6,6%

†Diferença significativa entre MB e EXP (P < 0,001). *Diferença entre as condições CON e EXP (P < 0,002).


29

Wagner Silva

Resultados


30

Wagner Silva

Resultados

16,6 e 16,9 %


Estado da Arte (Estudos crônicos)


  • 35 Jogadores de futebol

  • 30 Metros de corrida;

  • 13 Semanas de treinamento

  • Agachamento (1 série de 1 RM).


Encontraram redução de 0,25s -3,5%;


34

Wagner Silva

Estudo 2

Efeito crônico de uma atividade condicionante sobre o desempenho da corrida de velocidade e a arquitetura muscular de jogadores de futebol.


35

Wagner Silva

Descrição dos sujeitos

  • 18 jogadores de futebol;

  • 21±1,5 anos;

  • Treinados em T.C por no mínimo 6 meses;

  • 2 grupos (CON x EXP);

  • Quatro semanas;

  • Treinamento realizado duas vezes por semana;

Amostra


36

Wagner Silva

Resultados

2,1%

2,2% ETM

3,2%


37

Wagner Silva

Resultados


38

Wagner Silva

Resultados


39

Wagner Silva

Conclusões

  • Respeitar as Variáveis de treinamento

    • Volume

    • Intensidade

    • Tempo de recuperação

  • Respeitar Individualidade biológica de cada atleta

  • Cada atleta responde de forma diferente a um determinado protocolo de treinamento.


Obrigado

Obrigado

Obrigado

Wagner.fisioex@gmail.com

Wagner.fisioex@gmail.com

Wagner.fisioex@gmail.com


ad
  • Login