Centro Espírita Ismael
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 37

Centro Espírita Ismael Departamento de Ensino Doutrinário Palestra Pública Doutrinária PowerPoint PPT Presentation


  • 54 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Centro Espírita Ismael Departamento de Ensino Doutrinário Palestra Pública Doutrinária. Seja bem vindo. Provas e Expiações A vida de cada um e a possibilidade de aprender com erros e com os acertos. Quem somos?. 76. Que definição se pode dar dos Espíritos?

Download Presentation

Centro Espírita Ismael Departamento de Ensino Doutrinário Palestra Pública Doutrinária

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Centro Espírita Ismael

Departamento de Ensino Doutrinário

Palestra Pública Doutrinária

Seja bem vindo.

Provas e Expiações

A vida de cada um e a possibilidade de aprender com erros e com os acertos.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Quem somos?

76. Que definição se pode dar dos Espíritos?

– Pode-se dizer que os Espíritos são os seres inteligentes da Criação. Eles povoam o universo, fora do mundo material.

☼ Nota: A palavra Espírito é empregada aqui para designar a individualidade e não mais o elemento inteligente universal.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Escala Espírita?

96. Os Espíritos são iguais ou há entre eles alguma hierarquia?

– Eles são de diferentes ordens, de acordo com o grau de perfeição a que chegaram.

Grande descoberta???

Somos Espíritos e não somos iguais.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Somos espíritos e como fomos criados?

Simples e ignorantes, como isso?

Como evoluimos?

Encarnação???


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Criação do Espírito?

133. Os Espíritos que, desde o princípio, seguiram o caminho do bem, têm necessidade da encarnação?

– Todos são criados simples e ignorantes e se instruem nas lutas e tribulações da vida corporal. Deus, que é justo, não podia fazer só alguns felizes, sem dificuldades e sem trabalho e, por conseguinte, sem mérito.

Outra grande descoberta???

Fomos criados iguais e nos diferenciamos com o tempo por conta do nosso mérito


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Espírito?

23. O que é o Espírito?

– Espírito é o princípio inteligente do universo.

24. Espírito é sinônimo de inteligência?

– A inteligência é um atributo essencial do Espírito, mas ambos se confundem num princípio comum, de modo que, para vós, são a mesma coisa.

Mais uma grande descoberta???

O espírito é o ser inteligente, e a inteligência é atributo do espírito.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Espírito?

25. O Espírito é independente da matéria ou é apenas uma propriedade dela, como as cores são propriedades da luz e o som uma propriedade do ar?

– Ambos são distintos, mas é preciso a união do Espírito e da matéria para que a inteligência se manifeste na matéria.

Mais uma grande descoberta???

O Espírito é precisa da matéria para se manifestar.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Livre Arbítrio?

843. O homem tem sempre o livre-arbítrio?

– Uma vez que tem a liberdade de pensar, tem a de agir. Sem o livre-arbítrio o homem seria como uma máquina.

Mais uma grande descoberta???

O Espírito tem livre-arbitrio.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Livre Arbítrio?

O que é livre-arbítrio

"O homem é, por natureza, dono de si mesmo, isto é, tem o direito de fazer tudo quanto achar conveniente ou necessário à conservação e ao desenvolvimento de sua vida" (As leis morais - Rodolfo Calligaris - Editora FEB).

Mais uma grande descoberta???

O livre arbítrio é ferramenta do Espírito.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Somos espíritos e estamos sujeitos a quê?

Lei de Evolução?

Lei de Ação e reação?

Encarnação???


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Lei de Evolução

776. O estado natural e a lei natural são a mesma coisa?

– Não. O estado natural é o estado primitivo. A civilização é incompatível com o estado natural, enquanto a lei natural contribui para o progresso da humanidade.

☼ O estado natural é a infância da humanidade, é o ponto de partidade seu desenvolvimento intelectual e moral. O homem, tendendo à perfeição e tendo em si o germe de seu aperfeiçoamento, não está destinado a viver perpetuamente no estado natural, como não foi destinado a viver perpetuamente na infância. O estado natural é transitório, o homem liberta-se dele pelo progresso e pela civilização. A lei natural, ao contrário, rege a humanidade inteira e o homem se aperfeiçoa à medida que melhor compreende e pratica essa lei.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Lei de Evolução

779. O homem traz em si o impulso de progredir ou o progresso é apenas fruto de um ensinamento?

– O homem se desenvolve naturalmente, mas nem todos progridem ao mesmo tempo e do mesmo modo; é assim que os mais avançados ajudam pelo contato social o progresso dos outros.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Lei de Evolução

781. O homem pode deter a marcha do progresso?

– Não; mas pode impedi-lo algumas vezes.

783. O aperfeiçoamento da humanidade segue sempre uma marcha progressiva e lenta?

– Há o progresso regular e lento que resulta da força das coisas; mas quando um povo não avança rápido o suficiente a Providência provoca, de tempos em tempos, um abalo físico ou moral que o transforma.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Lei de Ação e Reação

781. O homem pode deter a marcha do progresso?

– Não; mas pode impedi-lo algumas vezes.

783. O aperfeiçoamento da humanidade segue sempre uma marcha progressiva e lenta?

– Há o progresso regular e lento que resulta da força das coisas; mas quando um povo não avança rápido o suficiente a Providência provoca, de tempos em tempos, um abalo físico ou moral que o transforma.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Manipula o FCU

(matéria Mental)

ESPÍRITO

SER DESENCARNADO

Pensamento e Vontade

Parte vai de encontro com o objeto

PERISPÍRITO

O perispírito é composto por :

Matéria Mental

Matéria sentimental

Matéria emocional

E outras espécies

Manipulação de Energias

CORPO

FÍSICO

Parte se grupa na matéria mental que compõe o perispírito

SER ENCARNADO

Prática do Ato

Consequência

CENTRO ESPÍRITA ISMAEL

Departamento de Ensino Doutrinário


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

CENTRO ESPÍRITA ISMAEL

Departamento de Ensino Doutrinário


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

CENTRO ESPÍRITA ISMAEL

Departamento de Ensino Doutrinário


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Encarnação?

132. Qual é o objetivo da encarnação dos Espíritos?

– A Lei de Deus lhes impõe a encarnação com o objetivo de fazê-los chegar à perfeição. Para uns é uma expiação; para outros é uma missão. Mas, para chegar a essa perfeição, devem sofrer todas as tribulações da existência corporal: é a expiação.

A encarnação tem também um outro objetivo: dar ao Espírito condições de cumprir sua parte na obra da criação. Para realizá-la é que, em cada mundo, toma um corpo em harmonia com a matéria essencial desse mundo para executar aí, sob esse ponto de vista, as determinações de Deus, de modo que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Encarnação?

132. Qual é o objetivo da encarnação dos Espíritos?

☼ A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do universo. Deus, em sua sabedoria, quis que, numa mesma ação, encontrassem um meio de progredir e de se aproximar Dele. É assim que, por uma lei admirável da Providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na natureza.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Encarnação?

Grandes descobertas???

1ª) o homem encarna para participar do progresso do Universo.

4ª) Deus quis que o Espírito (homem) evoluisse pelo seu mérito (que nada mais é que seus esforços no aprendizado, seja nas provas ou nos estudos de provas alheias).

5ª) As tribulações são as dificuldades naturais que fazem parte das provas e das expiações.

3ª) Se erra precisa repetir a prova, e a isso se dá o nome de provação, posto que as dificuldades se renovam.

6ª) O homem não precisa passar por todas as provas, logo também nem por todas as provações. Eis que poderá aprender com seu esforço nos estudos.

2ª) o homem encarna para desenvolver-se através das provas. Onde usando seu livre arbítrio faz escolhas. Se acerta, novas provas lhe surgem. Se erra...


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Necessidade da Encarnação?

133. Os Espíritos que, desde o princípio, seguiram o caminho do bem, têm necessidade da encarnação?

– Todos são criados simples e ignorantes e se instruem nas lutas e tribulações da vida corporal. Deus, que é justo, não podia fazer só alguns felizes, sem dificuldades e sem trabalho e, por conseguinte, sem mérito.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Necessidade da tentação?

120. Todos os Espíritos passam pelo mal para chegar ao bem?

– Pelo mal, não, mas sim pela fieira da ignorância.

121. Por que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal?

– Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, ou seja, com as mesmas aptidões tanto para o bem quanto para o mal. Os que são maus o são por vontade própria.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Necessidade da Encarnação?

127 Os Espíritos são criados iguais quanto às aptidões intelectuais?

– Eles são criados iguais, mas, não sabendo de onde vêm, é preciso que o livre-arbítrio prossiga seu curso. Progridem mais ou menos rapidamente em inteligência como em moralidade.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Necessidade da Encarnação?

☼ Os Espíritos que seguem desde o princípio o caminho do bem nem por isso são Espíritos perfeitos. Se não têm tendências más ainda precisam adquirir a experiência e os conhecimentos necessários para atingir a perfeição. Podemos compará-los a crianças que, qualquer que seja a bondade de seus instintos naturais, têm necessidade de se desenvolver, se esclarecer e não passam, sem transição, da infância à idade adulta. Assim como há homens bons e outros maus desde sua infância, há também Espíritos bons ou maus desde sua origem, com a diferença fundamental de que a criança tem os instintos todos formados, enquanto o Espírito, na sua formação, não é mau, nem bom; tem todas as tendências e toma uma ou outra direção por efeito de seu livre-arbítrio.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As provas na encarnação?

258. Na espiritualidade, antes de começar uma nova existência corporal, o Espírito tem consciência e previsão das coisas que acontecerão durante sua vida?

– Ele mesmo escolhe o gênero de provas que quer passar. Nisso consiste seu livre-arbítrio.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As provas na encarnação?

259. Se o Espírito tem a escolha do gênero de prova que deve passar, todas as dificuldades que experimentamos na vida foram previstas e escolhidas por nós?

– Todas não é a palavra, porque não se pode dizer que escolhestes e previstes tudo que vos acontece neste mundo, até nas menores coisas. Vós escolhestes os gêneros das provas; os detalhes são conseqüência da situação em que viveis e, freqüentemente, de vossas próprias ações.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As provas na encarnação?

Se o Espírito quis nascer entre criminosos, por exemplo, sabia dos riscos a que se exporia, mas não tinha conhecimento dos atos que viria a praticar; esses atos são efeito de sua vontade ou de seu livre-arbítrio. O Espírito sabe que, ao escolher um caminho, terá uma luta a suportar; sabe a natureza e a diversidade das coisas que enfrentará, mas não sabe quais os acontecimentos que o aguardam. Os detalhes dos acontecimentos nascem das circunstâncias e da força das coisas. Somente os grandes acontecimentos que influem na vida estão previstos.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As expiações na encarnação?

264 Como o Espírito escolhe as provas que quer suportar?

– Ele escolhe as que podem ser para ele uma expiação, pela natureza de seus erros, e lhe permitam avançar mais rapidamente. Uns podem, ao escolher, se impor uma vida de misérias e privações para tentar suportá-la com coragem; outros querem se experimentar nas tentações da riqueza e do poder, muito perigosas, pelo abuso e o mau uso que delas se possa fazer e pelas paixões inferiores que desenvolvem; outros, enfim, preferem se experimentar nas lutas que têm que sustentar em contato com o vício.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As expiações na encarnação?

267. O Espírito pode escolher suas provas, quando já encarnado?

– Seu desejo pode ter influência, dependendo da intenção com que as deseja; mas, como Espírito, vê freqüentemente as coisas muito diferentes. É apenas o Espírito que faz a escolha; mas, afirmamos mais uma vez, é possível. Ele pode fazê-la na vida material, porque para o Espírito há sempre momentos em que fica independente da matéria que habita.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As expiações na encarnação?

268. Até que atinja o estado de pureza perfeita, o Espírito tem que passar constantemente por provas?

– Sim, mas não são como as entendeis, visto que chamais de provas às adversidades materiais. Porém, o Espírito que atingiu um certo grau, sem ser ainda perfeito, nada mais tem a suportar; embora sempre tenha deveres que o ajudam a se aperfeiçoar, e que nada têm para ele de constrangedor ou angustiante, ainda que seja para ajudar os outros a se aperfeiçoar.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

As expiações na encarnação?

269 O Espírito pode se enganar sobre a eficácia da prova que escolheu?

– Ele pode escolher uma que esteja acima de suas forças e, então, fracassar. Pode também escolher alguma que não lhe dê nenhum proveito, que resulte numa vida ociosa e inútil; mas, então, uma vez de volta ao mundo dos Espíritos, percebe que nada ganhou e pede para reparar o tempo perdido, numa outra encarnação.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

E se somos espíritos, a infelicidade é da terra e a felicidade é dos céus (quando desencarnados)?


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Espíritos errantes?

231 Os Espíritos errantes são felizes ou infelizes?

– São felizes ou infelizes de acordo com seu mérito. São infelizes e sofrem por causa das paixões das quais ainda conservaram a essência ou são felizes segundo estejam mais ou menos desmaterializados. No estado de erraticidade, o Espírito entrevê o que lhe falta para ser mais feliz e procura os meios de alcançá-lo. Porém, nem sempre lhe é permitido reencarnar conforme sua vontade, o que para ele é uma punição.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Que concluo de tudo isso?

Deus me oferece as ferramentas para minha perfeição.

Meu dia-a-dia é meu laboratório. É nele que aprendo e me experimento.


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

O Espiritismo, codificado por Allan Kardec, me permitiu compreender as coisas?

E eu tenho coragem de assumir então minha desídia?


Centro esp rita ismael departamento de ensino doutrin rio palestra p blica doutrin ria

Semana que vem

Cenas do Próximo Capítulo

Deus Castiga?

Analisando o ser perante Deus.

Palestrante:

Natália Fernandes


  • Login