panorama da sociedade brasileira s culo xx
Download
Skip this Video
Download Presentation
Panorama da sociedade brasileira: Século XX

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 16

Panorama da sociedade brasileira: S culo XX - PowerPoint PPT Presentation


  • 109 Views
  • Uploaded on

Panorama da sociedade brasileira: Século XX. Antecedentes. Café, Trabalho escravo e imigração. Antecedentes: 1822-1850- Brasil: exportador de matérias primas e gêneros agrícolas (açúcar, fumo, algodão) e consumidor de produtos manufaturados.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Panorama da sociedade brasileira: S culo XX' - cambree


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
caf trabalho escravo e imigra o
Café, Trabalho escravo e imigração
  • Antecedentes:
  • 1822-1850- Brasil: exportador de matérias primas e gêneros agrícolas (açúcar, fumo, algodão) e consumidor de produtos manufaturados.
  • Pacto colonial: a Metrópole portuguesa impedia a fabricação de produtos manufaturados e incentivava a produção agrícola.
modo de produ o
Modo de produção
  • Escravista
  • 1850: marco das pressões para o fim do tráfico negreiro. Extinção do tráfico e Lei de Terras.
  • Lei de terras: instituiu a propriedade privada da terra, impedindo o acesso a ela, or parte de ex escravos e imigrantes.
  • Pressão para o fim do escravismo e busca de alternativa para o abastecimento de mão de obra.
caf economia cafeeira
Café- economia cafeeira
  • Produção doméstica até final do século XVIII.
  • 1820: cultura comercial- Vale do Paraíba entre Sp e Rio
  • 1831- café se torna líder das exportações brasileiras.
  • Concentraçaõ de terras- “barões do café”- base de sustentação do Império.
  • Caminho da cultura cafeeira: RJ, Sul de minas, Vale do Paraíba, Oeste de SP.
ferrovias
Ferrovias
  • Necessidade de escoaento da produção cafeeira
  • “O complexo cafeeiro”: diversificação de atividades urbanas (reflexo no urbano): comercialização, transporte, sacarias, beneficiamento (máquinas)
  • Antes- tropas de mulas, estradas de terra até portos do Rjaneiro, Parati e Santos.
estradas de ferro
Estradas de ferro
  • Símbolo da Revolução Industrial Inglesa
  • 1a. No Brasil: 1867- a São Paulo Railway, ligando santos a Jundiaí
  • Campo de investimento para o capital cafeeiro
  • Escoamento mais rápido- consolidação do grupo cafeeiro em São Paulo.
  • Residências nas cidades- processo de urbanização. Ex: cidade de São Paulo.
comercializa o do caf
Comercialização do café
  • São Paulo como entreposto comercial e financeiro: crescimento da população/ migraõçes e imigração estarngeira.
  • Comissários do café e primeiros Bancos nacionais.
  • Empréstimos da Inglaterra e endividamento do Estado.
  • Capital inglês: subsidiava as ferrovias e outros serviços de urbanização.
escravid o
Escravidão
  • Ao mesmo tempo: alicerce da econimia e do estado Nacional, mas minava a cidadania e a nacionalidade brasileiras. Aos poucos: consciência dos prejuízos da escravidão: à economia e pela degradaçaõ moral e cultural.
  • Preconceito contra o trabalho manual, embrutecimento das relações sociais e de trabalho.
experi ncias de trabalho livre
Experiências de trabalho livre
  • Sistema de Parceria: 1847- 1o. Fazendeiro a introduzir mão de obra estrangeira: Nicolau de Campos Vergueiro- imigrantes alemães e suíços- Fazenda Ibicaba, interior de SP.
  • Sistema de “meia”, mas que endividava o trabalhador (1a. Colheita do café- 4 anos)
  • Em 1855: havia 3.500 imigrantes em 30 fazendas da Província de SP.
homens livres na ordem escravocrata transi o para o trabalho livre
Homens livres na ordem escravocrata: Transição para o trabalho livre
  • Coexistência do trabalho livre com o trabalho escravo- padrão escravista nas relações de trabalho.
  • Fracasso do sistema de parceria (endividamento dos trabalhadores, revoltas , não cumprimento dos contratos, falta de liberdade dos trabalhadores).
  • Não havia um mercado de trabalho livre para substituição dos trabalhadores
transi o para o trabalho livre
Transição para o trabalho livre
  • 1850- proibição do tráfico (escassez de mão de obra).
  • 1871- Lei do Ventre Livre, Lei dos sexagenários – continuação do tráfico entre as regiões N/ NE e Sudeste.
  • A Lei de Terras forçou o assalariamento dos imigrantes impedindo o acesso às terras.
fim do tr fico
Fim do tráfico
  • Forçou a mecanização da cafeicultura, o descaroçamento, a classificação e ensacamento, incentivando a produção de maquinaria.
  • Deslocamento da produção cafeeira, do Vale do Paraíba (esgotamento do solo) para o interior do estado de SP, Oeste, regiões de Franca, Ribeirão Preto, São Carlos, Araraquara e expansão das ferrovias.
  • 1871/1886 até 1927- política de Imigração subsidiada de mão de obra estrangeira.
estradas de ferro x regi es cafeeiras interior do estado
Estradas de Ferro X Regiões cafeeiras: interior do estado
  • 1- R.Norte: Vale do Paraíba e Litoral
  • 2- R.Central: R da Capital e Campinas
  • 3- Mogiana: parte de Campinas a Ribeirão preto até M.Gerais.
  • 4- Paulista: de Limeira a Araraquara.
  • 5- Araraquarense:Araraquara a S.J.R.Preto
  • 6- Noroeste:de Bauru a Pres. Alves
  • 7- Sorocabana: de Botucatu a Pres.Prudente
  • (MILLIET, Sérgio. Roteiro do café e outros ensaios. HUCITEC: SP, 1982.
imigra o
Imigração
  • Estado como agenciador de mão de obra: custos de transporte, abastecimento do mercado de trabalho, baixos salários- sistema de colonato.
  • A partir de 1871- entrada em massa de imigrantes- período da “Grande Imigração”- Fluxo e maioria de italianos. Maiores nacionalidades; portugueses, italianos e espanhóis. Entre 1886 e 1903- os italianos representam 60% do total dos imigrantes.
imigra o italiana
Imigração Italiana
  • Para o total do estado: 1.654.830. Entre 1887 e 1900, entraram em SP 564.800 italianos. A população total do Estado era de 2.822.790 em 1900. Nesse ano, 21% da população era estrangeira. Em 1920, para uma população total do Estado, de 4.592.188, 18% era estrangeira.
  • Construção e Hospedaria em SP e Santos.
  • Período das grandes epidemias: final do século XIX até 1904: febre amarela, cólera, tracoma, etc.
forma o da cultura e do povo brasileiro
Formação da cultura e do povo brasileiro.
  • Formação étnica, social e econômica
  • Brancos, Negros, índios mestiços e imigrantes europeus.
  • Política de “branqueamento da população”
  • A elite era branca, letrada e liberal, formada nas Faculdades de Direito, Medicina e Engenharia.
  • Questão racial: Sílvio Romero e Nina Rodrigues: valorização da raça branca. Idéia de que a raça branca devia preponderar. Ataque à miscigenação como causa dos males da nação.
  • Mestiços e jagunços do interior- marcas da “degeneração”. (M. Lobato, Jeca Tatu-homem do interior)
ad