Crescimento
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 24

CRESCIMENTO PowerPoint PPT Presentation


  • 66 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CRESCIMENTO. REFERE-SE AO ASPECTO QUANTITATIVO DAS PROPORÇÕES DO ORGANISMO. TERMINA TIPICAMENTE EM DETERMINADA IDADE DO SER HUMANO QUANDO SE ALCANÇA A MATURIDADE BIOLOGICA. DESENVOLVIMENTO. REFERE-SE MAIS AO ASPECTO QUALITATIVO , SEM EXCLUIR POR CERTO,ALGUNS ASPECTOS QUANTITATIVO;

Download Presentation

CRESCIMENTO

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Crescimento

CRESCIMENTO

REFERE-SE AO ASPECTO QUANTITATIVO DAS PROPORES DO ORGANISMO.

TERMINA TIPICAMENTE EM DETERMINADA IDADE DO SER HUMANO QUANDO SE ALCANA A MATURIDADE BIOLOGICA.


Desenvolvimento

DESENVOLVIMENTO

  • REFERE-SE MAIS AO ASPECTO QUALITATIVO, SEM EXCLUIR POR CERTO,ALGUNS ASPECTOS QUANTITATIVO;

  • UM PROCESSO QUE ACOMPANHA O HOMEN ATRAVS DE TODA A VIDA;

  • PROCESSO DE INTERAO ENTRE APREDIZAGEM E MATURAO .


Crescimento e desenvolvimento humano

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO HUMANO

EVOLUO DE SEU ESTUDO

  • Desenvolvimento Humano constitui-se do estudo cientifico de como as pessoas mudam, bem como das caractersticas que permanecem estveis ao longo de toda a vida.

  • O estudo do desenvolvimento humano comeou com estudos sobre a infncia durante o sculo XIX.

  • A adolescncia no era considerada uma fase separada de desenvolvimento at o sculo XX.


Crescimento

  • O desenvolvimento muito complexo por isso seu estudo exige uma parceria entre estudiosos de muitas disciplinas: psicologia, psiquiatria, sociologia, antropologia, biologia, gentica, cincias da famlia, educao, histria, filosofia e medicina.

  • Quando os pesquisadores interessaram-se em acompanhar o desenvolvimento durante toda a vida adulta, o desenvolvimento no ciclo vital tornou-se um campo de estudos.


Desenvolvimento do ciclo vital

DESENVOLVIMENTO DO CICLO VITAL

  • A abordagem de desenvolvimento no ciclo vital uma estrutura para o estudo do desenvolvimento no tempo de vida. Os princpios fundamentais do desenvolvimento no ciclo da vida so:


Crescimento

r


Crescimento

  • Perodo Pr-natal (concepo ao nascimento)

  • Primeira Infncia (nascimento aos 3 anos)

  • Segunda Infncia (3 anos aos 6anos)

  • Terceira Infncia (6 aos 11 anos)

  • Adolescncia (11 aos 20 anos)

  • Jovem adulto (20 aos 40 anos)

  • Meia Idade (40 aos 65 anos)

  • Terceira idade (65 anos em diante)


Crescimento

  • 1-DESENVOLVIMENTO VITALCIO:

    Cada perodo do tempo de vida influenciado pelo que acontece antes e ir afetar o que est por vir. Cada perodo tem suas prprias caractersticas e um valor sem igual; nenhum mais ou menos importantes do que qualquer outro.


Crescimento

  • 2-DESENVOLVIMENTO DEPENDE DA HISTRIA E DO CONTEXTO:

    Os seres humanos influenciam seu contexto histrico e social e so influenciados por eles. Eles no s respondem a seus ambientes fsicos e sociais, mas tambm interagem com eles e os mudam.


Crescimento

  • 3-DESENVOLVIMENTO MULTIDIMENSIONAL E MULTIDIRECIONAL:

    Ocorre durante toda a vida envolve um equilbrio entre crescimento e declnio.

  • 4-DESENVOLVIMENTO PLSTICO:

    Capacidade de modificao do desempenho.


Processos de desenvolvimento

PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO

MUDANCA E ESTABILIDADE

  • Mudana quantitativa: uma mudana de nmero ou quantidade, como as do crescimento em altura, peso, vocabulrio ou freqncia de comunicao.

  • Mudana qualitativa: uma mudana no tipo, na estrutura ou na organizao, como a mudana da comunicao no-verbal para a verbal.


Aspectos do desenvolvimento

ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO

  • O desenvolvimento tem trs principais aspectos: fsico, cognitivo e psicossocial. Essas formas de desenvolvimento no ocorrem isoladamente; cada uma delas influenciam as outras.


Crescimento

  • DESENVOLVIMENTO FSICO: crescimento do corpo e do crebro, capacidades sensrias, habilidades motoras.

  • DESENVOLVIMENTO COGNITIVO: aprendizagem, memria, linguagem, pensamento, julgo moral, criatividade.

  • DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL: a mudana e a estabilidade na personalidade e nos relacionamentos sociais constituem juntos o desenvolvimento psicossocial.


Influ ncias do desenvolvimento

INFLUNCIAS DO DESENVOLVIMENTO

  • Hereditariedade: Influncias sobre o desenvolvimento, transmitidos pelos genes herdados dos pais.

  • Ambiente: Totalidade de influencias no-genticas sobre o desenvolvimento, externas a pessoas.

  • Maturao: Desdobramento de uma seqncia geneticamente influenciada e, muitas vezes relacionadas idade, de mudanas fsicas e padres de comportamentos, incluindo a prontido para adquire novas habilidades.


Crescimento

  • INFLUNCIAS CONTEXTUAIS:

    famlia, condio socioeconmica, cultura e etnicidade.

  • INFLUNCIAS NORMATIVAS E NO- NORMATIVAS

    • NORMATIVAS: quando ocorrem na poca certa, afetam pessoas da mesma idade. Incluem eventos biolgicos e eventos sociais.

    • NO- NORMATIVAS: quando ocorrem fora da poca, so eventos incomuns que tem grande impacto sobre vidas individuais. Podem ser eventos tpico ou atpicos.


Crescimento

O Desenvolvimento Fsico-Motor

Cada um de ns inicia a vida como uma nica clula, no maior que

a cabea de um alfinete (COLE e COLE, 2003, p. 24). Quando uma mulher engravida porque um vulo foi fecundado por um espermatozide. Juntos vulo e espermatozide formam um zigoto que contem 46 cromossomos, dos quais, 23 foram enviados pelo pai e 23 foram enviados pela me. Nos cromossomos esto contidos os genes que so a base da hereditariedade e representam todas as informaes genticas do novo indivduo.

Desenvolvimento Pr-natal

O desenvolvimento pr-natal refere-se ao desenvolvimento dentro do tero materno. H 03 perodos principais no desenvolvimento pr-natal:

O perodo de ovo (germinal): este perodo inicia-se com a concepo e estende-se at a implantao do zigoto na parede do tero materno. Este processo ocorre entre 10 a 12 dias aps a concepo.


Crescimento

O perodo embrionrio: este perodo vai

desde a implantao at por volta de 08 semanas de gestao. Na

oitava semana a maioria dos rgos j possui uma forma primitiva,

sendo o crescimento extremamente rpido nesse perodo.

O perodo fetal: este perodo inicia-se por volta da 9. semana de

gestao e permanece at o nascimento. Aqui so formados

todos os rgos, os ossos, os msculos, os nervos e todas as

partes do corpo. No final o beb est pronto para o nascimento e

para viver fora do corpo materno.

Nascimento

Segundo Cole e Cole (2003), o nascimento representa a primeira alterao biossociocomportamental e define-se como uma

das transies mais radicais da vida.

A partir do nascimento, o beb deixa as condies ideais do tero materno e passa a interagir com os meios fsico e social, iniciando suas aprendizagens.


Crescimento

Uma das primeiras o fato de ter que respirar por si mesmo. Os pulmes se inflam ao receber oxignio e a vida d ao novo ser humano um recado: A partir de agora, com voc!

No entanto, se em termos de funcionamento biolgico, ao nascer, o beb torna-se um ser individualizado (porm no independente), em termos

Ao nascer o beb j possui os reflexos, a sua capacidade

perceptiva (v, ouve e sente), algumas capacidades motoras e algumas habilidades sociais (como o choro, por exemplo).

Os reflexos so respostas fsicas automticas desencadeadas involuntariamente por um estmulo especfico.


Crescimento

O universo da criana de 0 a 6anos

  • Aprende atravs de experincias sensoriais (vendo, apalpando, ouvindo, movimentando-se), fala e ouve com o corpo.

  • A criana alarga seu conhecimento.

  • So mais ativas, tem pouco poder de concentrao no desenvolvimento das atividades, fazem mais perguntas e no se deixam convencer com facilidade.

  • Abusar da oralidade, das msicas e histrias.

  • Chamam ateno para elas mesmas e gostam de ser elogiadas.

  • Maior acesso a informao, aos meios de comunicao e tecnolgicos.

  • Atentar-se a cada criana, pois trazem histrias, dramas e mgoas diferentes.

  • Brincadeiras, vivncias infantis, familiar, filmes, histrias e livros da literatura infantil de boa qualidade.

  • So receptivas e abertas para o mundo exterior, espontneas e incapaz de dedues.

  • egocntrica, age e pensa como se fosse o centro do mundo.

  • Oportunizar experincias de cooperao.


Crescimento

  • Mundo real x imaginrio

  • Imita outras pessoas.

  • Tem necessidade de carinho para desenvolver com maior segurana a estabilidade emocional.

  • Toma conscincia de seu corpo e da sua individualidade durante seu desenvolvimento pessoal.

  • Brincar uma necessidade, uma forma de expresso, de aprendizado e de experincia. Brincando a criana organiza o mundo, domina papis e situaes e se prepara para o futuro.

  • A f transmitida atravs dos relacionamentos e na relao com o outro que fao experincia de f e posso aprender f.

  • Imagem de Deus com caractersticas / aspectos humanos. A fala dos adultos sobre Deus influencia.

  • F imitativa- Pais primeiro alicerce de f.

  • Adaptao de linguagem e simplificao de conceitos. Preparao para a catequese sistemtica.

  • Livro1- Criana- PSICOPEDAGOGIA CATEQUTICA- pginas: 97,98 e 99.


Crescimento

Segunda Infncia de 7 a 9 / 10 anos

  • Incio da alfabetizao.

  • Comeam a despedir- se da infncia. Aparecimento das normas e exigncias comportamentais.

  • Estabelecer limites.

  • Desenvolve noes de tempo, espao, velocidade, ordem, causalidade.

  • Ainda precisa do mundo concreto.

  • Identificao com o prprio sexo e a distino do sexo oposto.

  • Interao com outras pessoas, complementando a socializao familiar.

  • Diminuir a proteo no lar afirmao emocional.

  • Intelectualmente passa da intuio para o concreto, torna o julgamento entre certo e errado menos rgido e mostra o esprito de equipe nos julgamentos morais.

  • Desperta para o outro, para o universo do grupo.

  • Prepara-se para cumprir seu papel social.


Crescimento

  • O aprendizado coconstrudo, a criana tem a capacidade de aprender a aprender.

  • A importncia de amigos em que possa confiar.

  • Reorganiza seu mundo.

  • Vive a vida dos outros ou se retrai no mundo de sua prpria criao.

  • O sucesso com o crculo de amizades.

  • Deveres / direitos e responsabilidades.

  • Meninos com meninos / meninas com meninas.

  • Consegue trabalhar bem sozinha e de colaborao quando em grupo.

  • capaz de compreender o ponto de vista dos outros.

  • Desaparece a linguagem egocntrica- meu carro do meu papai.

  • Quer ser til e precisa refletir sobre a pobreza, na violncia, no desperdcio..., que ajudem no gesto concreto.

  • Pensa nas consequncias de suas aes.

  • Distancia-se dos brinquedos.


Crescimento

  • Incentivar a criana a realizar suas atividades auxiliando-a quando no consegue fazer. (INFERIORIDADE).

  • Cada um tem seu tempo e ritmo para aprender.

  • Pensamento operacional- realizadas sobre coisas visveis, palpveis.

  • Trabalhar com coisas que podem ser vistas e manipuladas.

  • preciso ter cuidado ao julgar, condenar e punir a mentira- confuso dos desejos com os fatos.

  • Passagem da moral restritiva para a moral de cooperao e a evoluo do julgamento moral.

  • Regras podem mudar em funo dos interesses do grupo.

  • Tem necessidade de expresso e expanso.

  • Mais prtica que terica.

  • inconstante em sua vida emocional.

  • Saber das coisas catequistas convincente.

  • Livro 1- Criana- PSICOPEDAGOGIA CATEQUTICA pginas 129, 130, 131, 132, 133 e 134.


  • Login