Título
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 53

Título PowerPoint PPT Presentation


  • 80 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Título. Análise CEPLAN. Recife, 09 de fevereiro de 2011. Temas que serão discutidos na VIII Análise Ceplan:. A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe especial: novas tend ências do mercado de trabalho; Perspectivas para 2012. Título.

Download Presentation

Título

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


T tulo

Título

Análise CEPLAN

Recife, 09 de fevereiro de 2011.


T tulo

Temas que serão discutidos na VIII Análise Ceplan:

  • A economia em 2011:

    • Mundo;

    • Brasil;

    • Nordeste, com destaque para Pernambuco;

    • Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho;

    • Perspectivas para 2012.


T tulo

Título

A economia em 2011


T tulo

Título

A economia em 2011: Mundo


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

  • O contexto

  • A evolução do PIB mostra uma desaceleração da economia mundial após a recuperação assinalada em 2010;

  • A desaceleração é maior nos países desenvolvidos em comparação com os países em desenvolvimento e emergentes;

  • Nas economias desenvolvidas prevalecem taxas pouco significativas de crescimento, especialmente na Zona do Euro;

  • As economias emergentes e em desenvolvimento apresentam desaceleração, mas mantêm taxas de crescimento médias acima de 5% ao ano.


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

Diferença significativa entre os emergentes e países da Zona do Euro nas diferentes fases da evolução recente: antes dos anos mais agudos na crise, na fase mais crítica e no processo posterior de recuperação.

Áreas Selecionadas¹: Variação do PIB real² - (%) – 2007-2013


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

Mantém-se crescimento da dívida líquida dos governos centrais dos países da Zona do Euro e dos Estados Unidos. Brasil e China seguem trajetória diferente de redução da sua dívida líquida.

Áreas Selecionadas: Dívida líquida do governo central como proporção no PIB¹(%) 2007-2013


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

O desemprego se elevou na Zona do Euro, em especial na Espanha, Grécia e Irlanda. Nos EUA, a queda se prenuncia lenta, e no Brasil e China a taxa de desocupação se situa entre moderada e baixa.

Áreas Selecionadas: Taxa de desemprego aberto – (%) – 2007-2013


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

  • Resumo

  • Repique da crise que eclodiu em 2008 nos Estados Unidos agora tem foco na Zona do Euro;

  • Agentes do Sistema Financeiro mostram força e deslocam ônus da crise para os Governos (dívidas públicas se elevam) e sociedades (desemprego em alta e consumo travado);

  • Países Emergentes mantêm-se menos impactados e ancoram dinâmica econômica internacional, com destaque para a China;

  • O Brasil recebe impactos negativos, desacelerando o ritmo da retomada de 2010.


T tulo

1. A economia em 2011: Mundo

Perspectivas:

  • Dificuldades para definir uma política coordenada de recuperação, notadamente nas regiões mais críticas, ampliam possibilidade de adiamento e prolongamento da recuperação;

  • Aumento de tensões na Zona do Euro, perspectiva de recessão em 2012 e reduzido crescimento em 2013. As tensões se acentuam na relação entre os países com alto grau de endividamento e o sistema financeiro que reduz crédito para governos ou o concede a taxas de juros mais altas;

  • Perspectiva de desaceleração do crescimento dos países emergentes e em desenvolvimento, em razão da deterioração do ambiente externo e redução do crescimento da demanda interna;

  • Propostas em discussão: (i) de imediato, resolver as tensões na Zona do Euro, (ii) em relação aos emergentes, centrar em medidas voltadas para conter a desaceleração da demanda externa e reverter a tendência de redução do crescimento interno, (iii) no médio prazo, sanear e reformar o sistema financeiro.


T tulo

Título

A economia em 2011: Brasil


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

Desaceleração acentuada do crescimento da economia brasileira a partir do primeiro trimestre de 2010: reflexos da crise internacional, da maior concorrência asiática, do câmbio desvalorizado e de medidas macro prudenciais.

Brasil : Taxa de crescimento do PIB trimestral com respeito ao mesmo período do ano anterior (%) Período: I trimestre de 2010 a III trimestre de 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

Indústria perde força, e serviços e agropecuária lideram o crescimento até o terceiro trimestre de 2011.

Brasil : PIB Setorial - Crescimento do PIB acumulado no ano (até o 3° trimestre) (%) janeiro a setembro 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

No acumulado de 2011 até o terceiro trimestre a demanda externa (exportação) puxa o crescimento da demanda agregada. Consumo das famílias e Investimento ficam atrás. As importações mostram dinamismo.

Brasil Crescimento (%) dos componentes da demanda agregada acumulado no ano (até o 3º trimestre) – janeiro a setembro 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

Inflação está no teto da banda superior, mas apresenta indícios de queda no final do ano, tendência a prevalecer nos próximos meses.

Brasil : IPCA Acumulado nos últimos 12 meses (%): jan/10 a dez/11


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

O preços das commodities pesou no Índice de Preços ao Produtor (IPP) que puxou o IGP-DI para baixo. Isso irá se refletir mais adiante na evolução dos preços ao consumidor.

Brasil : IGP-DI Acumulado em 12 meses – (%) – jan/10 a dez/11


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

Câmbio mudou discretamente de patamar, mas mantém-se sobrevalorizado.

Brasil : Índice da taxa de câmbio real – (%) – janeiro 2010 a dezembro 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

A Selic continua sua trajetória de queda. A taxa de juros real se situa em torno de 4%, a mais baixa em muitas décadas. Como os juros americanos e europeus mantêm-se baixos, o país ainda é rentável para o capital especulativo.

Brasil : Taxa Selic–(% a.a) – 2000-2012


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

A crise internacional e as boas oportunidades de negócios no Brasil conduziram a um substancial ingresso de IED no país.

Brasil : Investimento Estrangeiro Direto (líquido) – Trimestral 2000-2011 –US$ (bilhões)


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

O desempenho recente do IED coincide com o período de incertezas e crise nas economias avançadas. O IED cresceu 37,4% em 2011.

Brasil : Investimento estrangeiro direto (líquido) – 2009-2011 –US$ (bilhões)


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

A despeito da crise internacional e do câmbio a balança comercial foi positiva, mas continua estreita em comparação com o período 2003-2007.

Brasil: Saldo da Balança Comercial – 2002-2011¹ –US$ (milhões)


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

O Brasil continua usando poupança externa. O déficit crescente no BTC preocupa pela sua persistência e magnitude, embora esteja bem financiado pela entrada de IED e de investimentos em portfólio.

Brasil : Saldo da Balança de Transações Correntes (BTC) - 2000-2011¹ - Em US$ (bilhões)


T tulo

1. A economia em 2011: Brasil

A balança de serviços continua crescentemente deficitária. As despesas com viagens internacionais cresceram e a remessa líquida de lucros e dividendos é crescente refletindo os bons negócios e a necessidade de socorrer as matrizes.

Brasil : Balanço de Serviços – 2000-2011 –US$ (milhões)


T tulo

Título

Síntese da Conjuntura: Brasil 2011


T tulo

Síntese da Conjuntura: Brasil 2011

  • Um ano mais difícil que 2010. Economia desacelera, especialmente na industria de transformação (a competitividade de nossa indústria, em especial a de maior conteúdo tecnológico, preocupa);

  • Mas o mercado de trabalho se manteve dinâmico: taxa de desemprego média anual ficou em 6% (a menor desde 2003) e a massa de rendimento médio mensal nas RMs cresceu 4,8%;

  • Inflação fica no topo da meta mas desacelera, num ambiente de juros declinantes associado a política fiscal mais restritiva e ao Real em modesta desvalorização;

  • A demanda dos emergentes foi quem ajudou ao Brasil: consumo das famílias e investimentos crescem menos que exportações;

  • Comércio externo com saldo positivo levemente crescente, mas Transações Correntes com déficit crescente (US$ 53 Bi), merecendo destaque o crescimento do turismo de brasileiros e as remessas de lucros das transnacionais.


T tulo

Título

A economia em 2011: Nordeste


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

PIBs de Pernambuco, Bahia e Cearácresceramacimado Brasil, o primeiropuxadosobretudopelaconstrução civil e osoutrosdoispelaagropecuária.

Brasil, Bahia, Ceará e Pernambuco: Crescimento do PIB trimestral (%) -

3º Trimestre de 2011/ 3°Trimestre de 2010


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

No acumulado de janeiro a novembro de 2011, a produçãodaindústria de transformação do Nordesteapresentouretração, destaquepara o Ceará e Bahia.

Brasil, Nordeste, Bahia, Ceará e Pernambuco: Crescimento da produção industrial – (%) – janeiro a novembro de 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

Varejo no Nordeste continua emexpansão, com Paraíba, Maranhão e Cearácrescendo bemacimadamédianacional.

Brasil e Estados do Nordeste: Crescimento do comércio varejista ampliado – (%) – janeiro a novembro de 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

Arrecadação do ICMS tevecomodestaquespositivos: Pernambuco (10,7%) e Maranhão (5,5%); e negativos: Bahia (-1,1%) e Alagoas (-9,5%).

Brasil, Nordeste e estados: Crescimento da arrecadação* de ICMS (%) -

janeiro a outubro 2011/ janeiro a outubro 2010


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

Tendência de quedadataxa de desempregoainda se confirmana RMR em 2011, masse mantém num patamarligeiramente superior àsdo conjunto das RMs.

RMR e Total das RMs: Evolução da taxa de desemprego aberto –(%) – janeiro a novembro de 2011 e janeiro a novembro de 2010


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

A variação do rendimento médio de RM Salvador em 2011 ficou bem acima da média total das RMs, enquanto da a RM Recife situou-se um pouco abaixo.

RM’s : Rendimento médio real (em R$) das pessoas ocupadas – média de janeiro a dezembro 2010 e média de janeiro a dezembro de 2011


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

O Nordeste apresentou crescimento dos empregos formais inferior à média brasileira, mas os estados de Sergipe e principalmente Pernambuco registraram incrementos superiores.

Brasil, Nordeste e Estados: Criação de empregos formais – estoque dez//2010 e estoque dez/2011


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

Ressaltam-se na expansão de 5,8% dos novos postos de trabalho formal em Pernambuco, o crescimento da construção civil (17,3%), da extrativa mineral (11,7%) e dos serviços (9,4%).

Pernambuco: Criação de empregos formais por setor – estoque dez/2010 e estoque dez/2011

Atenção: Série com Ajuste!


T tulo

1. A economia em 2011: Nordeste

Ipojuca reflete SUAPE. São Lourenço, as obras em andamento na Cidade da Copa e Itaquitinga, a construção do presídio. Grandes investimentos em pequenos municípios afetam fortemente o nível de emprego.

Ranking dos dez municípios que geraram mais empregos formais no período - Janeiro a Dezembro 2011

A soma dos empregos formais criados pelos dez municípios, corresponde a 81,3% do total de emprego gerado no ano..

Atenção: Série com Ajuste!


T tulo

Título

Síntese da Conjuntura: Nordeste 2011


T tulo

Síntese da Conjuntura: Nordeste 2011

  • Economia regional continua apresentando de bons a moderadosindicadores de crescimento em 2011, exceto na indústria de transformação;

  • O desemprego nas principais metrópoles da região mantém tendência de queda;

  • O incremento do emprego formal em 2011 ficou abaixo da taxa verificada no Brasil, mas Pernambuco lidera o Nordeste com base na Construção Civil;

  • As vendas do Varejo, com algumas variações, mantêm-se em ritmo elevado no Nordeste;

  • Na arrecadação de ICMS chama atenção o contraste do bom desempenho de Pernambuco e Maranhão com as taxas apresentadas por Alagoas e Bahia.


T tulo

Título

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

A importância relativa dos desocupados se reduz, no Brasil, a quase metade, tendência que mesmo com menor intensidade é confirmada para o Nordeste e para PE.

Brasil, Nordeste e Pernambuco: Composição das pessoas de 10 anos ou mais de idade, por condição de atividade na semana de referência –(%) – 2000 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Trabalho infantil cai, mas persiste. A queda na taxa de participação dos jovens indica maior retenção escolar. Nos demais, o aumento da taxa de participação sinaliza maior atração do mercado de trabalho.

Brasil, Nordeste e Pernambuco: Taxa de participação por faixa etária – (%) – 2000 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Queda generalizada na taxa de desemprego significa mercado de trabalho dinâmico com aproveitamento das oportunidades oferecidas.

Brasil, Nordeste e Pernambuco: Taxa de desocupação por faixa etária –(%) – 2000 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Nordeste, Pernambuco incluído, ainda apresenta uma alta concentração de pessoas com baixa (1 s.m.) ou nenhuma remuneração.

Brasil, Nordeste e Pernambuco: Composição das pessoas de 10 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por classes de rendimento nominal mensal - (%) - 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Forte dinamismo no mercado de trabalho representado por um expressivo crescimento do peso dos empregados.

Pernambuco: Distribuição das pessoas de 10 anos ou mais de idade por idade, ocupadas na semana de referência, por posição na ocupação – (%) – 2000 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Dinamismo econômico se destaca também pela formalização do mercado de trabalho onde cresce o emprego com carteira assinada e se reduz a gravitação dos sem carteira.

Pernambuco: Distribuição dos empregados – (%) – 2000 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

No mercado formal, taxa de 24% a.a. na Construção Civil não tem precedente em Pernambuco. Outro setores, exceto a Agropecuária, apresentam taxas significativas de expansão do emprego.

Pernambuco: Estoque de emprego formal por setor de atividade econômica – 2000, 2005 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Comércio, Construção e Serviços lideram o crescimento do emprego, enquanto cai a participação do emprego público.

Pernambuco: Composição do estoque de emprego formal por setor de atividade econômica – (%) - 2000, 2005 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Pessoas com ensino fundamental completo, médio e superior lideram o crescimento no emprego, reiterando importância da capacitação para se colocar no mercado de trabalho.

Pernambuco: Estoque de emprego formal por grau de instrução – 2000, 2005 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Emprego formal cresce de forma generalizada, independentemente do sexo.

Pernambuco: Estoque de emprego por gênero – 2000, 2005 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Faixa etária dos 18 aos 39 anos com forte entrada no mercado de trabalho e, sinalizando que experiência ainda conta, o maior crescimento foi observado para o extrato de 50 a 64 anos.

Pernambuco: Estoque de emprego por faixa etária – 2000, 2005 e 2010


T tulo

Informe especial: novas tendências do mercado de trabalho

Consistentemente com a dinâmica recente, cresce mais o emprego de categorias profissionais típicas das atividades que concentram os investimentos em Suape.

Pernambuco: Estoque do emprego pelos grupos de ocupação mais dinâmicos – 2005-2010


T tulo

Título

Síntese do Informe Especial


T tulo

Síntese do Informe Especial: transição para novo perfil

  • Geral

  • Mercado de trabalho com forte expansão, com tendência à formalização em todo o País, NE e PE, aumentando a rede de proteção social do trabalhador;

  • Mesmo assim, mantêm-se disparidades na distribuição dos rendimentos: quase metade dos ocupados em PE e no NE (48%) ganham até 1 salário mínimo, bem acima da média brasileira (31,2%); Em PE, 70% dos ocupados ganham até 2 S.M., contra media de 63% no Brasil.

  • Pernambuco

  • Crescimento setorial do emprego foi pujante na Construção, 24% entre 2005 e 2010, mas outros setores também apresentaram bom desempenho;

  • Demanda mais dinâmica para os trabalhadores com ensino médio completo e superior incompleto. E muito dinâmica para os experientes;

  • Comércio, Construção e Serviços dividem maior participação no emprego, enquanto cai o emprego público.


T tulo

Título

OBRIGADO!

WWW.CEPLANCONSULT.COM.BR


  • Login