Vis o integrada da resposta inflamat ria
Download
1 / 32

Vis - PowerPoint PPT Presentation


  • 164 Views
  • Uploaded on

Visão integrada da resposta inflamatória &. Infecções e Mecanismos de evasão Imunológica. Inflamação. Inflamação. Inflamação. A migração leucocitária é facilitada por moléculas de adesão e por quimiotaxia. Inflamação. Fases da reacção Inflamatória

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Vis' - betty_james


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Vis o integrada da resposta inflamat ria

Visão integrada da resposta inflamatória&

Infecções e Mecanismos de evasão Imunológica




Inflamação

A migração leucocitária é facilitada por moléculas de adesão e por quimiotaxia


Inflamação

  • Fases da reacção Inflamatória

    1- aumento de fluxo sanguíneo à área afectada

    2- aumento da permeabilidade capilar local

    3- migração de células da via sanguínea para a área afectada


Migração Transendotelial(no processo inflamatório)

  • Tráfico de linfócitos (4 tipos)

    1- migração de percursores para orgão linfóides I

    2-migração de linfócitos diferenciados para orgãos linfóides II

    3- migração de linfócitos activados para local de inflamação

    4- migração entre diferentes orgãos linfóides II

Movimento entre tecidos linfóides

-HEV

-migração selectiva

Movimento entre tecidos não-linfóides

  • (HEV- “High Endothelial venules” consistem em 1 ou 2 camadas de cel. endoteliais dispostas em coluna, presentes na maior parte dos orgãos linfóides II, mas não no baço, medula óssea ou Timo: nos nódulos linfáticos confinam-se á zona paracortical de cél. T )


Migração Transendotelial(no processo inflamatório)

  • Movimento linfocitário

  • O processo de migração e extravasão linfocitária é semelhante ao dos neutrófilos, contudo o que os distingue é que diferentes “sets” de linfócitos migram para diferentes tecidos- chamado de “trafficking ou homing”

  • ( “homing receptors”)



Modelo de migração leucocitária (moléculas de adesão)

  • 1- “Slowing and rolling”- rolar dos leucócitos no endotélio venular depende inicialmente apenas de força hemodinâmica e depois sequencialmente na expressão de moléculas de adesão - selectinas

  • 2- “Activation”- rápida activação das integrinas leucocitárias induzida pela interacção com o endotélio- mecanismo que ocorre na presença e com ajuda de factores quimiotácticos

  • 3- “Strong adesion” - forte interacção das integrinas leucocitárias c/ os seus receptores no endotélio,movimentações no citoesqueleto celular em preparação para a passagem endotelial

  • 4- “cross-endothelium”


Moléculas de adesão(principais pontos)

  • Para os leucócitos recircularem ou entrar em tecidos inflamados necessitam de aderir e extravasar as paredes endoteliais: estas apresentam moléculas de adesão específicas (CAMs)

  • Algumas destas proteínas são expressas constitutivamente outras apenas em resposta a concentrações locais de citoquinas produzidas no processo inflamatório.

  • Para além do papel destas moléculas no processo inflamatório também elas aumentam as interacções funcionais entre as células do SI;

  • algumas contribuem para a interacção entre células Th e APCs e as CTLs e a célula “target”


Moléculas de Adesão: Ag.Ab

  • Envolve ICAMs 1 e 2 e interacção bidireccional com LFA ( ambas as APC e as Células T podem possuí-las); esta interacção é independente do Cálcio, mas requere magnésio.


Agentes que reduzem a Migração

  • A extravasão leucocitária, como parte integrante do SI pode ser travada com o uso de agentes anti-inflamatórios- os targets podem ser as pps moléculas de adesão e anticorpos dirigidos a estas, ex: anti-ICAM1

  • Outra opção na redução da inflamação passa pelo uso de corticoesteróides- derivados do colesterol que causam uma diminuição de linfócitos circulantes, podem também reduzir a capacidade fagocítica dos macrófagos e PMNs

  • Drogas não-esteróides anti-inflamatórias (NSAIDS) são mais uma opção no tratamento da inflamação aguda e crónica



Infec o
Infecção

  • Agentes anti microbianos estão disponíveis à mais de 50 anos, mas as infecções continuam a constituir um problema de saúde:

    • Exposição

    • Desenvolvimento da infecção ( endógena ou exógena)- linfoadenopatia?

    • Consequências clínicas da infecção: agudas ou crónicas – estas (podem levar a anemias)

  • Tratamento: sintomático, antimicrobianos, remoção da infecção

  • Prevenção: evitar contacto, imunização


Infecções Virais

  • Uma série de mecanismos específicos e mecanismos não específicos são chamados para a eliminação viral ao mesmo tempo que o próprio vírus tenta subverter estes mecanismos para sobreviver: o resultado dependerá do SI do hospedeiro e do esquema ofensivo viral –

    • Regra geral o macrófago é a célula que fagocita e destrói o vírus

    • Em alguns casos é o pp macrófago que permite a sua replicação e efeito citopático, que pode ser letal.

  • Infecções virais comuns no adulto: Herpes zoster, CMV, Epstein-Barr………………..


Infecções Virais-Defesa Inata

A resposta inata a infecções virais é primáriamente induzida pelos IFN- e IFN- e pela activação das NK.

  • Uma vez os IFNs ligados aos seus receptores, estes induzem as vias de transdução de sinal na síntese de variados genes; a via mais importante capaz de inactivar a síntese proteíca e como tal bloquear a replicação viral nas células infectada é o PKR


Mecanismos humorais e celulares de defesa viral do SI

  • Humorais bl. “binding”/infec.

    • anticorpos (especial/ IgA) bl re-infecção

    • IgG,IgM e IgA.......................bl fusão env.viral

  • Celulares

    • IFN.......................................actividade antiviral directa

    • CTLs..................................... mata cel. virais

    • NK e macrófagos....................ADCC


Evasão Viral

  • Latência viral

  • Inibição da APC (formação MHC)

  • Inibição do complemento

  • Inibição de IFN

  • Produção de imunossupressores

  • Variação antigénica

    • “antigenic drift” /”antigenic shift”

      • Influenza


Infecção Viral

  • Sumário dos mecanismos imunológicos de combate á infecção viral:

  • a) infecção/replicação no epitélio e nódulos : IFN e Igs (espc.IgA)

  • b) virémia: Igs

  • c) replicação no orgão “target”: mecanismos celulares e humorais: complemento,CTL, Igs e IFN

  • d) morte de células virais infectadas (mecanismo beneficiário mas causador de imunopatologias)


Infecções Bacterianas

  • A parede celular bacteriana muitas vezes providencia o pp mecanismo de escape da bactéria á fagocitose ou á fusão fago-lissossômica: as bactérias Gram- possuem uma camada lipídica á qual as células fagocíticas não aderem facilmente e a clivagem desta camada é também difícil

  • A presença de cápsula é também um factor de escape para a bactéria


Substâncias Antimicrobianas

  • Substâncias

  • Lissozimas

  • Complemento

  • Proteinas/polipeptidos

  • Lactoferrina/transferrina

  • Peroxidase

  • Fibronectina

  • Interferões

  • Interleuquinas

  • Actividade

  • lise bacteriana

  • lise bacteriana ou celular/inflamação

  • disrupção da membrana plasmática bacteriana

  • inibe crescimento bacteriano

  • oxidação celular letal

  • opsonização

  • resistência a infecções virais

  • febre/activação do SI


Infecções Bacterianas Extracelulares- desenrolar da...

  • A) ligação á cel. hospedeira

  • B) proliferação

  • C) invasão do tecido hospedeiro

  • D) danos induzidos ao hospedeiro por toxinas

  • A ligação á célula hospedeira pode ser bloqueada pela presença de IgAs e IgMs; a proliferação bacteriana pode ser evitada de 2 maneiras- pela fagocitose e morte destas bactérias e pela acção directa do complemento - lise local


Infecções Bacterianas Extracelulares

  • A bactéria escapa á fagocitose; activa pobremente o complemento ou desvia-o e resiste ao MAC; assim como os vírus pode apresentar também variação antigénica

  • O hospedeito contra-ataca

    • neutralização de toxinas

    • opsonização Ab.independente

    • aumento de anticorpos

    • defesa das mucosas-IgA


Infecções Bacterianas Extracelulares(defesa do Hospedeiro)

  • Processo de infecção Defesa

  • Aderência bl. por IgAs

  • Proliferação fagocitose e

  • Complemento

  • Invasão de tecido aglutinação

  • Danos por toxinas neutralização


Infecções Bacterianas Intracelulares

  • Algumas bactérias como o bacilo da Tuberculose e da Lepra, Listeria.... escapam ao SI e possuem uma vida intracelular na própria célula, ex: macrófago; a entrada da bactéria opsonizada é facilitada por receptores Fc e C3b, mas uma vez dentro da célula o mecanismo de morte é subvertido:

    • inibição fago-lissossômica

    • radicais de O2 tóxicos para a célula

    • escape para o citoplasma

    • inibição da resposta oxidativa

  • A defesa contra bactérias intracelulares é mediada por células T ( CMI) e macrófagos activados


Infecções Bacterianas Intracelulares(outras)

  • Diphtheria

  • Secreta exotoxina para o SI extremamente potente-1 molécula mata 1 célula;Pode haver imunização, mas combinada para aumentar a sua antigenicidade

  • M.tuberculosis

  • Capacidade de sobrevivência acrescida pela inibição da fusão fago-lissossomica no macrófago; a resposta imune celular -essencialmenteTCD4+, pode ser subvertida pela latência do organismo e formação de granulomas.

  • Borreliose de Lyme

  • Infecção cada vez mais corrente transmitida por carraça, afecta articulações e SNC; parede celular bacteriana rica em LPS que exacerba a acção de citoquinas como IL-1


Infecções por Parasitas(Protozoários)

  • Regra geral desenvolve-se uma resposta humoral se o parasita invade a via sanguínea (Malária e Tripanossoma) enquanto que a resposta celular é despoletada se este cresce nos tecidos (ex:Leishmaniose cutânea)

    • T.brucei ( livre no sangue)-I. humoral

    • Plasmodium (dentro de eritrócitos)-I. celular e humoral

    • Leishmania (dentro de macrófagos)-I. celular

  • Evasão do protozoário:

    • iludir o macrófago

    • formas do parasita

    • mimica molecular

    • imunossupressão


Infecções por Parasitas(Helmintas)

  • A expulsão de helmintas do hospedeiro passa primeiro por danos metabólicos e depois pela expulsão do mesmo. Numa resposta inflamatória as células B vão produzir essencialmente IgE e IgG e as células T produzir citoquinas que estimulam a proliferação celular, desgranulação de mastócitos e o processo de ADCC.


Infec es por fungos
Infecções por Fungos

  • Os fungos no hospedeiro imunocompetente causam apenas pequenos disturbios, sendo poucos aqueles considerados como endémicos.

    • Candida (caracter invasivo a partir de colonização endogena) – SI combativo através de neutrófilos e CMI

    • Aspergillus(adquirido por inalação)

    • Cryptococcus neoformans (individuos normais e imunocomprometidos)


Outras Infecções emergentes

  • Patogéneos emergentes e re-emergentes têm auumentado nos últimos anos devido principalmente ás deslocações constantes populacionais e sobre-população em pequenos ambiente urbanos

    • HIV

    • M.tuberculosis resistente

    • Legionella pneumophilia

    • Ébola/Marburg

    • SARS

    • Varíola (?)


Galectinas novos mediadores de inflama o
Galectinas: novos mediadores de Inflamação



ad