GESTÃO E POLÍTICAS DE ENERGIA
Download
1 / 10

Anabela Piedade Eugénia Ramiro - PowerPoint PPT Presentation


  • 107 Views
  • Uploaded on

GESTÃO E POLÍTICAS DE ENERGIA A GESTÃO DA ENERGIA E O REGULAMENTO DE GESTÃO DO CONSUMO DE ENERGIA (R.G.C.E.). Anabela Piedade Eugénia Ramiro. Porquê gerir a Energia?. Importância da Energia para o desenvolvimento de todas as actividades, nomeadamente para as actividades económicas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Anabela Piedade Eugénia Ramiro' - baakir


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
GESTÃO E POLÍTICAS DE ENERGIAA GESTÃO DA ENERGIA E O REGULAMENTO DE GESTÃO DO CONSUMO DE ENERGIA(R.G.C.E.)

Anabela Piedade

Eugénia Ramiro


Porqu gerir a energia
Porquê gerir a Energia?

Importância da Energia para o desenvolvimento de todas as actividades, nomeadamente para as actividades económicas.

Visão Tradicional

Crescimento, Progresso, Desenvolvimento Sócio-Económico

Forte crescimento do consumo de energia

Visão Actual

(A crise de 1973 e, a consequente necessidade de reduzir os consumos energéticos, repercutiu-se negativamente sobre o desenvolvimento)

Energia = Factor de produção que, bem gerido, permite a mesma produção com menores consumos energéticos

Crescimento sócio-económico não está necessariamente associado a aumento de consumo de energia

Desenvolvimento da humanidade assente nas premissa do crescimento económico aliado a melhoria das condições de vida, sem custos demasiado elevados “nem a exaustão dos recursos finitos”.


Ministério da Indústria, Energia e Exportação Secretaria de Estado da EnergiaDirecção-Geral de Energia

É num contexto de agravada crise energética que, em 1982, Portugal regulamenta a Gestão da Energia como medida atenuante das dificuldades resultantes da crise.

•Decreto-Lei n.º58/82, de 26 de Fevereiro

• Portaria n.º359/82, de 7 de Abril


Decreto lei n 58 82 de 26 de fevereiro
Decreto-Lei n.º 58/82, de 26 de Fevereiro

Principais objectivos da Gestão de Energia:

Utilização de técnicas de custo não elevado, de fácil aplicação e de resultados positivos a curto prazo.

Investimentos que se traduzem economia efectiva de energia para as empresas que os suportam, tornando-se a breve prazo em benefícios para os próprios consumidores.

Minorar os efeitos negativos da crise energética sem todavia agravar as condições de utilização de energia por parte dos consumidores.


Principais aspectos do Decreto-Lei 58/82:

• Destinatários: Entidades proprietárias ou utentes de unidades consumidoras intensivas de energia

• Responsabilidade de examinar as condições em que operam no que concerne à utilização de energia; elaboração de plano de racionalização de consumo de energia; cumprimento do plano, sob responsabilidade de um técnico qualificado.

• Possibilidade de subsídios com vista à melhoria das condições das condições de utilização de energia.

• Em caso de incumprimento das obrigações previstas: perda de direito aos subsídios e multas

•Possibilidade de atribuição dos subsídios a entidades proprietárias ou utentes que, tendo sido multadas, tenham cumprido as obrigações no espaço de um ano


Portaria n 359 82
Portaria n.º 359/82

Trata-se do 1º Regulamento do Decreto-Lei n.º58/82

•Aplicabilidade

• Reconhecimento de técnicos

• Exames de instalações

• Plano de racionalização

• Controle de execução e progresso do plano de racionalização

• Aprovação do plano de racionalização e do relatório anual

• Penalidades

• Disposições diversas


Situação energética portuguesa é difícil.Não tendo sido descoberto petróleo ou gás natural no nosso país, ou jazigo de carvão explorável a nível económico.

.Não temos sabido usar conveniente e totalmente as energias endógenas de que dispomos.

.Forte dependência externa (importamos cerca de 90% de energia que consumimos).


«…A questão da energia é uma preocupação de todos os dias, deixando de ser um problema eternamente adiado…»É IMPORTANTE GERIR A ENERGIA:.Factor de produção..Processo continuado e indispensável em qualquer empresa..Utilização cada vez mais racional da energia..Conhecimento dos sistemas de consumidores / elaboração de Programas de actuação e de investimento.


Uma nova abordagem das questões energéticas dias, deixando de ser um problema eternamente adiado…»:.Regulamento de Gestão do Consumo de Energia.publicado em 27 de Maio de 1988, Decreto – Lei 188/88 – Sistema de Incentivos à Utilização Racional de Energia - SIURE ( aplicação prática no sector industrial)..Portaria 228/90, de 27 de Março, foi aprovado o RGCE para os transportes que entrou em vigor em Janeiro de 1991.


Anabela piedade eug nia ramiro
Anabela Piedade dias, deixando de ser um problema eternamente adiado…»Eugénia Ramiro

Modelos para Auditorias Energéticas e Planos de Racionalização

Decreto-Lei nº 58/82Portaria nº 359/82Despacho da DGE, D.R. nº 98,Decreto- Lei nº 428/83Despacho da DGE, D.R. nº 222Despacho da DGE, D.R. nº 252 Despacho da DGE, D.R. nº 25 Despacho Nº 10/88 do SEE, D.R.nº 25Despacho conjunto nº 68/88 D.R. nº 154Portaria nº 228/90, D.R. nº 72


ad