slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
Classe Placodermi Era Paleozoica, Período Devoniano

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 33

Classe Placodermi Era Paleozoica, Período Devoniano - PowerPoint PPT Presentation


  • 252 Views
  • Uploaded on

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Classe Placodermi Era Paleozoica, Período Devoniano' - azana


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Filo ChordataGrupo CraniataSubfilo VertebrataClasse Agnatha (desprovidos mandíbulas) Subclasse Ostracodermi (peixes extintos) Subclasse Ciclostoma (Lampréias e feiticeiras)Classe Placodermi(com mandíbulas primitivas) peixes extintosClasse Chondrichthyes(tubarões, raias, quimeras) Subclasse Elasmobranchii (tubarões e raias) Subclasse Holocephali (quimeras)Classe Osteichthyes(peixes ósseos) Subclasse Actinopterygii (nadadeiras com raios) Subclasse Sarcopterygii (nadadeiras carnosas)

slide2

Classe Placodermi

  • Era Paleozoica, Período Devoniano
  • Eram animais grandes e pesados apresentando mandíbulas e maxilas, placas ósseas, nadadeiras pares, manutenção da notocorda, formação inicial das estruturas internas sejam elas cartilaginosas ou ósseas (para formar o endoesqueleto) e a presença de uma estrutura existente nos peixes até os dias atuais, a bexiga natatória.
  • Um dos primeiros grupos de peixes a desenvolver dentes e mandíbulas, que evoluíram provavelmente a partir dos arcos branquiais.
slide3

Classe Chondrichthyes (gr. Chondros=cartilagem; ichthys=peixe)

  • tubarões, raias, quimeras
  • Peixes cartilaginosos espécies menos diversificados que peixes ósseos;
  • Chondrichthyes são derivados de ancestrais que tinham ossos desenvolvidos;
  • Quase todos marinhos, somente 28 espécies água-doce.

Tubarão Branco

slide4

SuclasseHolocephali(grego holo, todo + cephalo, cabeça) - Quimeras

  • Peixe-rato, peixe-coelho ou peixe-fantasma – remanescentes de uma linhagem que divergiu da mais antiga linhagem de tubarões (Era Paleozóica);
  • Atualmente – 31 espécies viventes, habitam mares hemisfério Norte.
  • Semelhantes aos Elasmobrânquios;
  • Distribuição Geográfica: Pacífico

Hydrolagus sp.Ordem Chimaeriformes

slide5

Habita profundidades chegando até 913 m.

  • Mede até 97 cm
  • Cabeça grande em forma de cabeça de coelho, e corpo comprido.
  • Linha lateral composta por canais proeminentes.
  • Pele sem escamas - lisa e escorregadia.
  • Tem um grande espinho na parte frontal da primeira barbatana dorsal.
  • Olhos verdes.
  • Barbatana peitoral grande, triangular com uma base carnuda.
  • Alimenta-se de moluscos, crustáceos, peixes, equinodermas e vermes.
  • Prateado ou acastanhado, geralmente com sombras iridescentes douradas, verdes e azuis; possui pontos brancos no dorso.
  • Margens escuras nas barbatanas dorsal e caudal.
  • Suclasse Holocephali: Quimera

Hydrolagus colliei;

Ordem Chimaeriformes

slide6

Chimaera monstrosa (peixe-rato)

  • Cabeça comprimida.
  • Um espinho à frente da primeira nadadeira dorsal, cuja base é maior que o espaço que a separa da segunda dorsal.
  • Barbatana anal separada da caudal.
  • Habitat: 200 a 2000m profundidade
  • Cor acastanhada ou acinzentada com manchas escuras longitudinais.
  • Dimensões: 1 m
  • Distribuição Geográfica:Oceano Atlântico
slide7

Caracteres únicos das quimeras:

  • Boca – maxilas com placas achatadas substitui os dentes;
  • Medem menos de 1,5 m
  • Marinhas,
  • Maxila superior completamente fundida ao crânio;
  • Alimentação: algas marinhas, moluscos, equinodermas, crustáceos e peixes.
slide8

Subclasse Elasmobranchii (gr elasmo, placa + branch, brânquia) - Tubarões e Raias

  • Há 9 ordens de elasmobrânquios viventes – 815 espécies;
slide9

MORFOLOGIA EXTERNA

  • Corpo fusiforme
  • BOCA ventral e rostro (parte frontal) pontudo;
  • Extremidade posterior coluna vertebral desvia-se para cima terminado lobo superior da cauda -CAUDA HETEROCERCA
  • Nadadeiras pares – peitorais e pélvicas (macho clásper)
  • 1 ou 2 dorsais
  • 1 caudal
  • 1 anal (maioria tubarões)
slide10

MACHO – parte medial da nadadeira pélvica modificada -CLÁSPER

  • NARINAS pares (bolsas de fundo cego)
    • Ventrais e anteriores a boca.
  • OLHOS LATERAIS – sem pálpebras
  • ESPIRÁCULOS – atrás dos olhos (remanescentes da 1ª fenda branquial)
  • 5 fendas branquiais anteriores a nadadeira peitoral
slide11

PELE resistente coriácea

  • Coberta por ESCAMAS PLACÓIDES DÉRMICAS – semelhantes a dentes;
  • Dispostas de forma a reduzir a turbulência da água que flui ao longo do corpo durante natação
slide12

Tubarões podem localizar presas a longas distâncias pelos:

  • Mecanorreceptores do sistema da linha lateral – percepção de vibrações de baixa frequência (pressão, tato)
  • Sistema composto por órgãos receptores especiais – neuromastos – em tubos interconectados e poros estendendo-se ao longo dos lados do corpo e sobre a cabeça.
slide13

Tubarões utilizam eletrorrecepção para encontrar presas enterradas na areia (percepção campos elétricos mínimos).

  • ELETRORRECEPTORES – as ampolas de Lorenzinisão localizadas na cabeça do animal
slide14

SISTEMA ESQUELÉTICO

  • Crânio cartilaginoso completo – conhecido como condrocrânio;
  • Crânio parcialmente calcificado – ausência de osso verdadeiro;
  • 1º arco branquial – origina as maxilas superior e inferior – conhecidas como cartilagem palatoquadrada e cartilagem de Meckel;
  • Tubarões e raias - maxila superior liga-se frouxamente ao crânio e sustentada na parte posterior pelo 2º arco branquial;
  • Quimeras- maxila superior firmemente fundida ao crânio.
slide15

SISTEMA MUSCULAR

  • Realização de movimento de várias partes do corpo;
  • Movimento muscular serve para abrir e fechar a boca, as aberturas branquiais, movimentar olhos e nadadeiras e produzir movimentos laterais a fim de promover a locomoção através da água;
  • Peixes cartilaginosos e ósseos a musculatura axial dividida por septo lateral ou horizontal em músculos epaxiais dorsais e músculos hipoxiais ventrais
slide16

SISTEMA CIRCULATÓRIO

  • Dos Ciclóstomos aos Teleósteos (exceto Dipnóico)
  • Sistema simples – o sangue não-oxigenado passa pelo coração é bombeado para brânquias - oxigenado e distribuído para corpo
  • Oxigênio é transportado para tecidos pela hemoglobina contida nas hemáceas e transportada para todas partes do corpo
slide17

Coração - 4 câmaras seio venoso, átrio, ventrículo e cone arterioso;

  • SANGUE flui peloseio venoso (câmara receptora) → átrio (parede fina) → ventrículo(paredes espessas) → pelo cone arterioso bombeado para fora pela aorta ventral → região branquial para ser oxigenado → por vasos branquiais aferentes → sai das brânquias através de alças coletoras eferentes → aorta dorsal
  • Peixes cartilaginosos – cone arterioso tem vários conjuntos de válvulas - impedem refluxo sanguíneo;
slide19

SISTEMA RESPIRATÓRIO

  • Fendas branquiais desenvolvem-se de uma série de evaginações da faringe → crescem para fora → vão encontro de invaginações vindas de fora para dentro;
  • Cada ponto junção forma fenda ou abertura → água entra pela boca passa para faringe (fora);
  • Divisões entre passagens contêm suportes ósseos ou cartilaginosos para os filamentos branquiais localizados de cada lado;
  • Cada brânquia ou holobrânquia é dividida em 2 partes – hemibrânquias separadas por septo interbranquial;
  • Distalmente cada septo interbrânquial forma uma aba → cada abertura branquial abre-se separadamente para meio exterior
slide20

Lamelas branquiais – constituídas por pregas finas – recobertas por epitélio respiratório – com redes vasculares → de modo que o dióxido de carbono do sangue pode ser trocado por oxigênio dissolvido na água;

  • Tubarões e raias – possuem 5 a 7 pares fendas branquiais funcionais e 1 par de aberturas anteriores não-respiratórias – os espiráculos.
slide21

SISTEMA DIGESTIVO

  • Tubarões possuem conjuntos de dentes altamente desenvolvidos – permitem agarrar e lacerar organismos;
  • Raias e quimeras – dentes assumiram forma de placas largas – trituram moluscos e outros organismos de concha dura;
slide24

SISTEMA UROGENITAL

  • Regula conteúdo de água no corpo, mantém equilíbrio salino adequado e elimina resíduos nitrogenados;
  • Desenvolvimento embrionário - vertebrados amnióticos desenvolveram 3 tipos de rins : pronefro, mesonefro e metanefro.

Pronefro – mais primitivo – somente presente nos embriões vertebrados; localizado na região anterior do corpo;

Funcional apenas peixes-bruxa adulto nos demais degenera.

slide25

Mesonefro – substitui protonefro – localizado mais centralmente;

  • Funcional dos embriões de répteis, aves e mamíferos e contribui para formação do rim adulto de peixes e anfíbios – chamado de opistonefro.
  • Consiste série de túbulos renais - cada túbulo é enrolado na porção distal e proximal - dirige-se para um ducto coletor longitudinal comum chamado ducto arquinéfrico - comunica-se com meio externo pela cloaca;
slide26

Metanefro – característico de adultos, localizado mais caudalmente;

  • Funcional dos répteis, aves e mamíferos adultos.
slide27

Produtos excretados incluem moléculas tóxicas e moléculas em excesso no organismo.

  • Podem ser eliminados de diversas formas, dependendo do animal e do meio em que vive:
  • Amônia – do metabolismo dos aminoácidos resulta amoníaco que ao reagir com a água origina amônia que é muito solúvel na água.
    • Excreção típica de animais aquáticos, onde a perda de água não constitui problema;
slide28

Ácido úrico – em animaisterrestres a perda de água é perigosa e a amônia é tóxica para ser armazenada.

  • Répteis, aves e insetos transformam a amônia no fígado em ácido úrico, menos tóxico e insolúvel;
  • Será removido do sangue pelos rins e excretado com as fezes, numa forma quase seca;
  • Uréia – formada no fígado a partir da amônia, é o modo encontrado pelos mamíferos, peixes cartilaginosos e anfíbios para reduzir a toxicidade e a solubilidade dos resíduos.
  • Retirada dos fluidos pelos rins e excretada sob a forma de urina.
slide29

Peixes cartilaginosos e ósseos

  • GÔNODAS pares e sexos geralmente distintos
  • Fêmea – 2 ovidutos
  • Elasmobrânquios – extremidades superiores ovidutos fundidas - uma única abertura infundibular ou óstio - saída óvulos do ovário.
  • Cada oviduto possui glândula de casca - ovos fertilizados internamente e encerrados casca córnea.

(Chondrichthyes, Rajidae)

Galíndez, 2010

slide30

Macho - testículo liga-se região anterior do

ducto arquinéfrico por meio túbulos renais.

  • Fertilização interna – macho desenvolvem

órgãos copuladores nas partes internas das

nadadeiras pélvicas.

  • Cada nadadeira tem clásper – sulcado medialmente.
  • Alguns ovíparos – depositam ovos na água.
  • Ovovivíparos – incubam internamente – região dilatada da extremidade inferior do oviduto – útero
slide31

O saco de ovos de um tubarão esqualídeo, popularmente conhecido como "Bolsa de Sereia“

  • Nas espécies ovíparas (20% do total) a fêmea realiza a postura dos ovos retangulares, protegidos por uma membrana filamentosa, para que se grude em algas ou pedras.
  • Nas espécie ovovivíparas (70%), o desenvolvimento dos ovos ocorre no oviduto da fêmea, e o filhote já nasce pronto.
  • Nas espécies vivíparas (10%), o desenvolvimento do embrião realiza-se internamente, com ligações placentárias, e os filhotes também já nascem prontos.
  • A viviparidade garante que os filhotes sejam bem alimentados durante o seu desenvolvimento, estando prontos para sobreviver imediatamente após o nascimento.
slide32

SISTEMA NERVOSO

  • SNC surge embriologicamente - placa medular - forma tubo neural;
  • Extremidade anterior origina encéfalo primitivo constituído 3 vesículas:
  • Encéfalo anterior ou prosencéfalo.
  • Mesencéfalo.
  • Encéfalo posterior ou rombencéfalo- continuo origina medula espinhal e restante sistema nervoso.
slide33

Encéfalos anterior e posterior originam:

  • Telencéfalo- função olfativa – origem hemisférios cerebrais;
  • Diencéfalo- centros impulsos olfativos e visuais associado estruturas glandulares – controle hormonal;
  • Mesencéfalo- centro coordenação nervosa;
  • Metencéfalo (cerebelo) - coordenação muscular, mais desenvolvido peixes grandes;
  • Mielencéfalo (bulbo) - centro da linha lateral , respiração, ação cardíaca e metabolismo;
  • 10 pares nervos cranianos
ad