“8 DE MARÇO: UMA QUESTÃO DE GÉNERO NA MULHER BIBLIOTECÁRIA PORTUGUESA”
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 32

Introdução PowerPoint PPT Presentation


  • 108 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

“8 DE MARÇO: UMA QUESTÃO DE GÉNERO NA MULHER BIBLIOTECÁRIA PORTUGUESA” Rosa Maria Oliveira Biblioteca Municipal de Lousada [email protected] 6 de Março de 2012.

Download Presentation

Introdução

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Introdu o

“8 DE MARÇO: UMA QUESTÃO DE GÉNERO NA MULHER BIBLIOTECÁRIA PORTUGUESA”Rosa Maria OliveiraBiblioteca Municipal de [email protected] de Março de 2012


Introdu o

  • A situação laboral das mulheres nas bibliotecas portuguesas é um tema que me é muito caro pois há xx anos que trabalho em bibliotecas e experienciado e vivido as dúvidas, as incertezas, as esperanças e as alegrias do que é trabalhar de e para a comunidade, do que é ser mulher num contexto de trabalho em que quem dita as regras são os homens (ou mulheres que lhes aprenderam os gestos e as maneiras…).

  • Por esta ser uma profissão maioritariamente feminina, é impossível deixar de notar no dia-a-dia o esforço que todas fazem para conjugar as exigências desta que é uma profissão cada vez mais técnica e exigente com as suas vidas pessoais, algo que de resto deverá ser extensível a muitas outras profissões que sejam exercidas na maioria por mulheres.

  • Procurei perceber um pouco melhor os contornos desta realidade, na perspetiva de que, conhecendo as causas é possível ajudar a melhorar os efeitos, deste que não deixa de ser um desequilíbrio de representação de homens e mulheres nas várias estruturas das quais se compõem a biblioteconomia. Este desequilíbrio, se optarmos por assumir que de facto existe, manifesta-se das mais diversas formas. Considerando que homens e mulheres têm um contributo válido a dar quer para a estrutura técnica quer para a estrutura decisional, podemos e devemos fazer muito mais para que as Ciências da Informação sejam um espaço de encontro de competências e que tenham uma valorização social equiparada a outras ciências afins que porventura têm sabido gerir melhor a diferença e conquistar um lugar nos mecanismos de recompensa social.


Introdu o

Introdução

Progressiva inserção da biblioteconomia no contexto ciência moderna

Antiguidade …………. Sec XVII e XIX ………………………………………..Sec XXI…..

Registo de conhecimentos técnicos compilados

Aprofundamento da cientificidade das práticas

  • Ciências da

  • Informação

Vive-se atualmente num mundo técnico-científico (união da ciência com a tecnologia) em que a subjetividade se conjuga com padrões específicos de especialização

Contexto da

Inserção laboral da mulher bibliotecária


Introdu o origem e desenvolvimento do tema

Introdução | Origem e desenvolvimento do tema

“The world is made up of great divides - divides of nations, wealth, race, religion, education, class, gender, and sexuality - all constructs created by human agency.”

( Epstein, 2007, p.19)

Limites da desigualdade na profissão de bibliotecária

Feminização

Desvalorização profissional

Avanços e Recuos

Dicotomização

Limites à progressão na carreira e acesso a cargos dirigentes

Desvalorização em função da idade

Aquilo que se espera ser o papel dos agentes produtivos tem as suas fronteiras delimitadas pela “ética”, sendo esta ética em grande parte a ética produtiva com reflexos na esfera laboral


Introdu o

Introdução| Objetivos científicos

Objectivo Geral

1

Refletir sobre os pressupostos e condicionantes desta profissão, nomeadamente no que diz respeito à sua feminização

Analisar, refletir e conhecer o enquadramento laboral das mulheres bibliotecárias em Portugal no contexto das novas exigências da profissão e face à evolução da auto-imagem percebida dos seus profissionais.

Traçar um retrato da profissão na atualidade tendo em conta a sua evolução histórica

2

3

Obter um retrato do auto-conceito dos e das profissionais desta área

4

Identificar as perspetivas e opiniões dos profissionais face ao seu enquadramento de carreira

5

Perspecivaro enquadramento futuro da profissão, num contexto em que o mercado de trabalho se revela cada vez mais competitivo em todas as áreas e exige dos seus profissionais um conjunto alargado de saberes e competências


Considera es hist ricas

Considerações Históricas

A organização de livros e registos escritos permitia manter a estrutura social e de poder e influência de classe. Primeiro sem um método científico definido e, progressivamente, criando-se regras e sistematizando os acervos.

1. Registos eclesiásticos, paroquiais ou de filósofos e intelectuais

Manifestação ancestral do valor dos registos e acervos históricos para a humanidade

2. Renascimento

Surge a figura do bibliotecário e aumenta a importância social dos livros

A laboriosa estruturação ancestral de fontes bibliográficas que deu mais tarde origem à própria Biblioteca foi o primeiro contributo para a democratização do saber!


Considera es hist ricas1

Considerações Históricas

A profissão de bibliotecário/a principiou por ser marcadamente masculina até que um bibliotecário de prestígio internacional, MelvinDewey (considerado o pai da profissão), começa a defender a incorporação das mulheres na profissão

Nos anos 50 e 60, as bibliotecas passaram a ter um papel importante no contexto do novo modelo de desenvolvimento na medida em que funcionavam como suporte à aprendizagem de uma grande quantidade de jovens em idade escolar (baby boomers)

Nos EUA o número de bibliotecas cresceu rapidamente e a 2ª Guerra Mundial acelerou o processo

3. Surgimento das bibliotecas

(séc. XIX – meados séc. XX)

4. Séc. XX e XXI …

A instituição Biblioteca no século XXI foi profunda e subitamente alterada pela disseminação de tecnologias que generalizaram o acesso remoto à informação

A crescente procura de informação arquivística favoreceu que cada vez mais profissionais procurassem esta atividade profissional, alargando a presença feminina neste domínio

No final do século XX a presença física na biblioteca deixou de ser necessário para garantir o acesso á informação e o papel do bibliotecário alterou-se profundamente


Enfoques de an lise

Enfoques de análise

No estudo da situação laboral das mulheres bibliotecárias há a considerar diversos enfoques:


Estado da quest o desigualdade de g nero

Estado da Questão | Desigualdade de género

O surgimento do mainstreaming de género está associado à inscrição do tema da desigualdade de género na agenda política internacional

Mainstreaming de Género


Demarca o profissional

Demarcação Profissional

Concentração do emprego em 20 países da OCDE, por tipo de profissão e sexo –

profissões dominantemente exercidas por mulheres (% de homens e mulheres)

Fonte: OCDE, Emploment Outlook 2004, com base no European Labour Survey (adaptado)


Demarca o profissional1

Demarcação Profissional

Percentagem de mulheres e homens empregada/os como arquivistas, bibliotecária/os e profissionais ligados à informação (Archivists, librariansandrelatedinformationprofessionals)

Fonte: OCDE, 2000


Amostras

Amostras

Questionário a profissionais

Amostra:

176 profissionais de biblioteconomia

Entrevistas a mulheres bibliotecárias

Amostra:

31 mulheres bibliotecárias

Questionário Estudantes

Amostra:

49 estudantes de Ciências da Informação


Resultados question rio aplicado a profissionais de biblioteconomia

Resultados|Questionário aplicado a profissionais de biblioteconomia


Resultados question rio aplicado a profissionais de biblioteconomia1

Resultados|Questionário aplicado a profissionais de biblioteconomia


Resultados question rio aplicado a profissionais de biblioteconomia2

Resultados|Questionário aplicado a profissionais de biblioteconomia


Resultados question rio aplicado a profissionais de biblioteconomia3

Resultados|Questionário aplicado a profissionais de biblioteconomia

Pessoas que fizeram uma opção pela profissão por vocação e depois de terem tido experiência profissional. Traectóriapessoal mais consolidada, participam em pelo menos uma associação profissional e declaram-se felizes na profissão que escolheram.

Pessoas mais novas que fizeram a sua opção de carreira com base na saída profissional. Estão atualmente inseridas na carreira técnica e afirmam não estar totalmente felizes na sua profissão.


Resultados question rio aplicado a profissionais de biblioteconomia4

Resultados|Questionário aplicado a profissionais de biblioteconomia


Resultados entrevista mulheres bibliotec rias com xito na profiss o

Resultados|Entrevista mulheres bibliotecárias com êxito na profissão


Resultados entrevista mulheres bibliotec rias com xito na profiss o1

Resultados|Entrevista mulheres bibliotecárias com êxito na profissão


Resultados entrevista mulheres bibliotec rias com xito na profiss o2

Resultados|Entrevista mulheres bibliotecárias com êxito na profissão


Resultados entrevista mulheres bibliotec rias com xito na profiss o3

Resultados|Entrevista mulheres bibliotecárias com êxito na profissão


Resultados question rio a estudantes de ci ncias da informa o

  • Atitudes

  • 1= menos imp. ….. 5= mais imp.

Resultados|Questionário a estudantes de Ciências da Informação

+

  • DIFERENÇAS ESTATISTICAMENTE SIGNIFICATIVAS NAS RESPOSTAS FEMININAS E MASCULINAS:

    • Boas relações com os superiores

    • O trabalho encaixa na minha vida pessoal

    • Tranquilo

    • Trabalho com prestígio

-


Resultados question rio a estudantes de ci ncias da informa o1

  • Valores

  • 1= menos imp. ….. 5= mais imp.

Resultados|Questionário a estudantes de Ciências da Informação

+

  • DIFERENÇAS ESTATISTICAMENTE SIGNIFICATIVAS NAS RESPOSTAS FEMININAS E MASCULINAS:

    • Liberdade

    • Alegria

-


Resultados question rio a estudantes de ci ncias da informa o2

Resultados|Questionário a estudantes de Ciências da Informação

todos os homensse posicionaram no grupo, associado principalmente aos valores pragmáticos

um terço das mulheres posicionou –se no grupo em que há menor consenso e que apresenta uma maior diferença relativa entre valores subjetivos e pragmáticos

  • Valores: predomina o efeito cultural

    • Distinguem-se dois tipos de valores: subjetivose pragmáticos

    • Em ambos os grupos de estudantes encontrados são mais valorizados os valores pragmáticos


Resultados question rio a estudantes de ci ncias da informa o3

Resultados|Questionário a estudantes de Ciências da Informação

  • Atitudes: espaço de representações com significados distintos

    • Distinguem-se três tipos de atitudes:

    • Colaboração, Responsabilização e Partilha

    • Ambiente de Trabalho e Reconhecimento

    • Ambição,

    • Reflexão e Espírito Analítico

    • Existe heterogeneidade mas as mulheres valorizam mais cada um das tipologias de atitudes encontradas


Conclus es hip teses

Conclusões|Hipóteses

Hip 2. Repercussões do padrão de feminização no desempenho profissional

Hip 1. Condicionantes de género vs Percurso profissional

barreiras institucionais foram largamente ultrapassadas, o mesmo não se aplica às barreiras invisíveis

percurso profissional foi realizado à custa de fatores de ordem pessoal: a atual inserção laboral despende em grande parte da atitude adotada face aos condicionalismos do percurso profissional

trajetórias pessoais e profissionais específicas, bem como a valorização individual da profissão, contribuem para a inserção laboral

desigualdade de género encarada de uma forma pragmática e assertiva ou como um mal da sociedade que se espera que sejam as outras gerações a mudar

afluência de mulheres à profissão de bibliotecária potenciou a sua feminização e persistência do sexo masculino nos cargos de direção

O imobilismo e a inércia organizacionais contribuíram para perpetuar algumas das desigualdades que marcaram o início da feminização de certas profissões, nomeadamente na biblioteconomia

os fatores atitudinais que englobam aspetos de colaboração, responsabilização e partilha e que valorizam uma boa atitude perante o ambiente de trabalho e o reconhecimento, estão mais fortemente correlacionados com os valores subjetivos

atitudes de carácter racional que englobam aspetos de ambição, reflexão e espírito analítico estão mais fortemente relacionadas com aqueles que se designou de valores pragmáticos


Conclus es hip teses1

Conclusões|Hipóteses

Hip 3. perfil de inserção laboral marcado por um fraco auto-conceito profissional.

Hip 4. Estratégias dos futuros profissionais condicionadas pelas limitações da atividade

a reduzida valorização profissional desta atividade surge para os seus profissionais ligada à sua invisibilidade social, bem como à forma como os agentes entendem que esta tem um papel secundário na economia

as mulheres construíam o seu novo enquadramento profissional e apreenderam novos papéis sociais, delimitados por aspetos normativos de grande relevância

há um sentimento generalizado por parte de atuais e futuros profissionais de que a profissão não é suficientemente valorizada

à medida que vão progredindo na sua formação os estudantes vão-se tornando mais reativosaos possíveis constrangimentos que perspetivam encontrar ao longo da sua profissão

a atividade profissional que interessa a uma maior percentagem de alunos do primeiro ano é aquela que agradaria a uma menor percentagem de estudantes do terceiro - trabalhar num arquivo administrativo (sector público)

À medida que progridem no curso, os estudantes vão-se identificando mais com ele e revelam-se menos disponíveis para eventuais desistências, apesar do sentimento de que a profissão não é suficientemente valorizada


Seguir melhorando novos desafios novos protagonistas

Seguir Melhorando… Novos desafios, novos protagonistas

Novos quadros mentais

A participação das mulheres na vida pública, através do mundo do trabalho, fez emergir questões sociais que permaneceram ao longo dos séculos relativamente afastadas da consciência coletiva

Complexidade técnica

As práticas no âmbito da profissão de bibliotecária/o evoluíram no sentido não só de se tornarem mais complexas mas também de se ajustarem à evolução do mercado de oferta de informação e conhecimento

Desafios

Necessidade de novas abordagens


Introdu o

Seguir Melhorando…


Introdu o

“Todos sabemos que as atividades que temos vindo a desempenhar não são negligenciáveis, nem sequer contrárias àquelas que deveremos desenvolver. Temos que lhes acrescentar valor… enquanto profissionais de Informação-Documentação, devemos acompanhar a evolução em diferentes áreas, … integrando-as nos serviços que prestamos, o que exige de nós grande flexibilidade e permanente atenção à mudança”.

( Ochôa & Gaspar, 2006, p .291 e 13)

Muito Obrigado

VIVA A MULHER


  • Login