“...o espírito não vai                    a lado nenhum sem                           as pernas ...
Download
1 / 60

José Saramago - PowerPoint PPT Presentation


  • 93 Views
  • Uploaded on

“...o espírito não vai a lado nenhum sem as pernas do corpo,. e o corpo não seria capaz de mover-se se lhe faltassem as asas do espírito.”. José Saramago. Dentre todos os seres viventes,.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' José Saramago' - arawn


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

“...o espírito não vai a lado nenhum sem as pernas do corpo,

e o corpo não seria capaz de mover-se se lhe faltassem as asas do espírito.”

José Saramago


Dentre todos os seres viventes, sem as pernas do corpo,

o ser humano é o único a andar com a coluna ereta.


O ser humano, com a sua postura peculiar, representa sem as pernas do corpo,

o ponto onde o Alto e o baixo se tocam,

onde o Céu e a Terra se encontram.


O ponto de contato entre sem as pernas do corpo,

o compacto e o Sutil,

entre as realidades transitórias e eternas.


Aqui chegamos, contamos a nossa história e partimos.

Breve é a vida terrena.


Cada dia vivido, partimos.

mais uma página que escrevemos no livro da nossa vida.



Por sobre a nossa cabeça, o Céu, amores e esperanças...

sob os nossos pés, a Terra.



O cansaço do corpo, a leveza do espírito. consciência.

As horas que continuamente passam...




A vida é um sopro, caminha.

uma brisa ligeira que passa...




Trazer na face um sorriso leve de confiança, de bênção.


E em meio ao âmago do caos de confiança, de bênção.

permitir que o ruflar das asas dos anjos continue a se fazer ouvir no nosso coração.



Acolher a dádiva do agora, louvor.

que nos permite vivenciar alguns momentos de felicidade profunda,

sem motivo, apenas pela gratidão de respirar.


Saciar a sede louvor.

no poço de água viva que jamais seca.


Um manancial que jorra noite e dia, louvor.

que purifica e vivifica.






...mas os tesouros eternos que acumulamos, que contará,...

as nossas posses mais íntimas.


A caridade, a virtude, que contará,...

a compaixão...


Daí a importância da reflexão e da meditação,

para que possamos descobrir qual a nossa pequena parcela no projeto monumental da existência.



A nossa vida espiritual se assemelha a uma harpa. ser vivida.”

Devemos observar se as cordas estão bem,...


...e cuidar daquelas cordas que estiverem faltando, quebradas ou feridas,

para que a nossa existência se torne mais plena.


Permanecer atento às canções do espírito, quebradas ou feridas,

às melodias da alma.




“Bem-aventurados os puros de coração.” grau de pureza.

Jesus Cristo


“O que ama a pureza do coração, grau de pureza.

e é amável de lábios,

terá por seu amigo o Rei.”

Prov 22, 11


O corpo físico se assemelha a uma gaiola; grau de pureza.

e a alma, a uma ave que nela habita.


“Imaginar que o espírito pereça ao morrer o corpo é como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola.

Nosso corpo é apenas a gaiola, enquanto o espírito é o pássaro."

dos Escritos da Fé Bahá’í


“Os dias da nossa vida são setenta anos. como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola.

E se alguns, pela sua robustez, chegam aos oitenta, o melhor deles é canseira e enfado.

Tudo passa rapidamente e nós levantamos vôo.”

Salmos 90, 10


“Tudo passa rapidamente e nós levantamos vôo.” como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola.

O que levanta vôo?

Não será porventura a alma?


Um como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola. pássaro não voa o quanto quer,

mas o quanto pode.


E quando chegar a hora de “levantar vôo”, como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola.

em que condição estarão as nossas asas?


Devemos aproveitar os nossos dias passageiros para fortalecer as asas do nosso espírito.



Educar o nosso olhar, são ilimitadas.

Purificar o nosso coração.




Aproveitar os nossos breves dias para purificar de toda ferrugem o nosso coração, de toda impureza a nossa alma...


...de modo que estejamos aptos a voar até as sublimes alturas onde a felicidade eterna repousa.


Voar livre rumo à nossa Bem-aventurança... alturas onde a felicidade eterna repousa.


Voar livre rumo à nossa Bem-aventurança... alturas onde a felicidade eterna repousa.


A infância, a eternidade, alturas onde a felicidade eterna repousa.

a imensidão do céu, do mar e da esperança...


A infância, a eternidade, alturas onde a felicidade eterna repousa.

a imensidão do céu, do mar e da esperança...


Formatação: alturas onde a felicidade eterna repousa.

[email protected]


ad