Proped utida de tubas uterinas e ov rios
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 35

Propedêutida de Tubas Uterinas e Ovários PowerPoint PPT Presentation


  • 85 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Propedêutida de Tubas Uterinas e Ovários. Prof a Izaura dos Santos. Propedêutica das Tubas Uterinas. Histerossalpingografia Indicação: Avaliação da permeabilidade tubárea Época ideal: fase folicular – até o 10 ° dia do ciclo Contraste iodado: hidrossolúvel / lipossolúvel Contra-indicações:

Download Presentation

Propedêutida de Tubas Uterinas e Ovários

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Propedêutida de Tubas Uterinas e Ovários

Profa Izaura dos Santos


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Propedêutica das Tubas Uterinas

  • Histerossalpingografia

  • Indicação: Avaliação da permeabilidade tubárea

  • Época ideal: fase folicular – até o 10° dia do ciclo

  • Contraste iodado: hidrossolúvel / lipossolúvel

  • Contra-indicações:

  • Cervicite / vaginite

  • Sangramento uterino (menstruação)

  • Neoplasia de colo e endométrio

  • Alergia a iodo


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Ultra-Som com Contraste: Histerossonossalpingografia

  • Indicação

  • Restrita à avaliação da permeabilidade tubária

  • Critérios de Permeabilidade Tubária:

  • Líquido no fundo de saco de Douglas

  • Filete ecogênico, por 5 a 10 segundos, na luz tubária

  • Turbulência nas fímbrias

  • Power Doppler: curso e turbulência do contraste

Bailão et al, 2004; Vaz, DCM, 2004


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Histerossonossalpingografia


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Ultra-Som com Contrate: HSG / HSSG

  • Contra- Indicações

  • Atraso menstrual com suspeita de gravidez

    • Corrimento vaginal de padrão infeccioso

    • Muco cervical purulento

    • Doença inflamatória pélvica em atividade

    • Estenose canal cervical

    • Hematométrio

    • Sangramento uterino no momento do exame

    • Bailão et al, 2004


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Propedêutica de Tubas Uterinas e Ovários

Laparoscópica:diagnóstico e terapêutica

Laparoscopia

procedimento diagnóstico na maioria dos protocolos de investigação de infertilidade

Draker et al, 1977; Simon et al 1993; Speroff et al, 1999


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

  • Cirurgia laparoscópica: material dependente

  • Falha de um aparelho: inviabiliza a cirurgia

  • Conferência pré-operatória do funcionamento dos aparelhos

  • Responsabilidade: instrumentador

  • Duplicatas de equipamentos básicos

  • Atenção e presteza na solução dos entraves

  • Consenso Brasileiro de Videoendoscopia Ginecológica, 2001


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

Equipamentos Básicos Geradores de Imagem e Pneumoperitôneo

  • Câmera

  • Fonte de Luz

  • Cabos de Iluminação

  • Ótica

  • Monitores de Vídeo

  • Videocassete

  • Agulha de Verres

  • Insulflador de CO2

Consenso Brasileiro de Videoendoscopia Ginecológica, 2001


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

Instrumental Cirúrgico

  • Cânula de Punção

  • Tesoura

  • Porta-agulha

  • Manipuladores Uterinos Vaginais

  • Trocartes

  • Palpador

  • Forceps Atraumático

  • Fórceps Traumático

Consenso Brasileiro de Videoendoscopia Ginecológica, 2001


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

Ordem de Verificação do Funcionamento do Equipamento

1.Monitor, videocassete e fita, identificar a gravação

2.Fonte de luz, câmera e isulflador

3.Reservas de CO2

4.Sistema de irrigação/aspiração

5.Sistema de cauterização elétrica

6.Aquecimento de solução para irrigação peritoneal

7.Montagem de mesa cirúrgica (funcionamento do instrumental)

Consenso Brasileiro de Videoendoscopia Ginecológica, 2001


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

Técnica Cirúrgica


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica - Cromotubagem (azul de metileno)


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Cirurgia Laparoscópica

Aderências Peri-Tubáreas

Hidrossalpinge


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

  • 29


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Propedêutica de Tubas Uterinas e Ovários

Ultra-Sonografia Pélvica

Ultra-som

Transpélvico

Transabdominal

Endovaginal


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Via Transabdominal

  • Adequada repleção hídrica

  • Janela ultra-sonográfica

  • Estrutura padrão: anecóica

  • Kawakama et al, 1996

Visão Panorâmica

  • Limitações:

  • Baixa resolução

  • Biotipo da paciente

  • Cicatriz cirúrgica

  • Útero retrovertido

  • Holt et al, 1996


Proped utida de tubas uterinas e ov rios

Via Transvaginal

  • EUA e Japão (1980)

  • Abordagem pelo fórnices vaginais permite proximidade órgãos

  • Sondas de alta resolução (5 a 7,5 MHZ)

  • Não necessita de repleção vesical

  • Visão detalhadaBöhm-Vélez et al, 1992


  • Login