Ibipor coleta seletiva na zona rural
Download
1 / 17

IBIPORÃ COLETA SELETIVA NA ZONA RURAL - PowerPoint PPT Presentation


  • 83 Views
  • Uploaded on

IBIPORÃ COLETA SELETIVA NA ZONA RURAL. XVIII Exposição de Experiências Municipais em Saneamento De 4 a 9 de maio de 2014 - Uberlândia - MG. HISTÓRICO. Resumo.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' IBIPORÃ COLETA SELETIVA NA ZONA RURAL' - andres


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Ibipor coleta seletiva na zona rural

IBIPORÃ COLETA SELETIVA NA ZONA RURAL

XVIII Exposição de Experiências Municipais em Saneamento

De 4 a 9 de maio de 2014 - Uberlândia - MG



Resumo
Resumo

  • Após a consolidação da coleta de lixo seletiva na zona urbana em vigor desde 2009 no município de Ibiporã, o SAMAE, em junho de 2013 implantou a coleta seletiva na zona rural.

  • A operacionalização da coleta segue um cronograma especifico e a coleta é feita toda sextas-feira, em pontos definidos, capelas e comunidades rurais.

  • Hoje é coletado pelo SAMAE, em média 2.000 litros por semana, de resíduos recicláveis na zona rural do município. Esse material, seria queimado a céu aberto, liberando para atmosfera gases prejudiciais ao meio ambiente e aos seres humanos, se não houvesse a coleta.



Introdu o objetivos
Introdução/Objetivos

  • A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define "lixo" ou "resíduos sólidos" como os "restos das atividades humanas, considerados pelos geradores como inúteis, indesejáveis ou descartáveis, podendo-se apresentar no estado sólido, semisólido ou líquido, desde que não seja passível de tratamento convencional".

  • Atualmente considerada como um dos setores do saneamento básico, a gestão dos resíduos sólidos historicamente não tem merecido a atenção necessária por parte do poder público. Além de comprometer cada vez mais saúde da população, degradam os recursos naturais, provocando poluição e contaminação do solo, da atmosfera e principalmente dos recursos hídricos. 


  • Antigamente o “lixo” encontrado nas comunidades, nas vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre esses, o gerenciamento dos resíduos sólidos, cuja atribuição pertence à esfera da administração pública municipal.  

  • Por sua vez, os resíduos dispostos sem tratamento causam a poluição do ar, das águas, do solo e das florestas e por conseqüência afetam a saúde humana.

  • Este trabalho é de suma importância na medida em que oferece uma solução para o problema de gestão de resíduos nesses ambientes. Seu objetivo é apresentar as medidas tomadas na gestão de resíduos sólidos, no que tange aos problemas que acarretam, a falta de gestão desses resíduos na zona rural do município de Ibiporã, Estado do Paraná.


  • Como objetivo geral vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre buscou a implantação do sistema de coleta seletiva de resíduos sólidos domiciliares nas tipologias de recicláveis, orgânicos e rejeitos na zona rural do município de Ibiporã. Como objetivo específico, destinar somente rejeitos para o aterro municipal; compostar os resíduos orgânicos; reaproveitar ao máximo os recicláveis por meio da triagem dos resíduos coletados:

  • Fornecer um serviço de coleta eficiente, com rigorosa programação de dia e horário para a coleta diferenciada; promover a educação ambiental para a separação dos resíduos na fonte geradora, ou seja, residências da zona rural do município de Ibiporã.


Dispositivos para coleta
DISPOSITIVOS PARA COLETA vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre


Diposi o dos recipientes
DIPOSIÇÃO DOS RECIPIENTES vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

PONTO BARRA DO JACUTINGA


Metodologia
Metodologia vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

  • Após a efetiva consolidação da gestão dos resíduos sólidos domiciliares urbanos, constatou-se a necessidade de se planejar e implantar uma coleta seletiva também na zona rural do município.

  • Ibiporã é uma cidade com alto potencial de balneabilidade, uma vez que esta localizado na bacia hidrográfica do rio Tibagi, sendo o mesmo marco físico de divisa do município de Ibiporã com o município de Jataizinho, ao Sul. Assim a área rural é bastante explorada por proprietários de chácaras de eventos, tanto que nos períodos de festas, a população rural duplica, e a geração de resíduos aumenta na mesma medida. Em julho de 2013, foi implantada a coleta seletiva na zona rural do município de Ibiporã, com o apoio da sociedade civil organizada, sindicatos e clubes de serviço.


Comunica o da coleta
COMUNICAÇÃO DA COLETA vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

FOLDER DISTRIBUIDO DURANTE AS MISSAS


Resultados
Resultados vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

  • Ao longo da implantação da coleta seletiva na zona rural do Município de Ibiporã, foram tomados diversos procedimentos de cunho educativo com vista a conquistar a participação da população no novo sistema. As ações concentraram-se em aprimorar a coleta seletiva e promover a educação ambiental com ênfase na temática de resíduos sólidos.

  • Concluído o período de implantação de coleta seletiva, em julho de 2013, foi possível observar em dezembro resultados muito positivos, com um aumento significativo na quantidade de recicláveis e rejeitos coletados e uma diminuição dos orgânicos. comparando a novembro.


Graficos totais
GRAFICOS TOTAIS vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre


Resultados1
Resultados vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

  • Em pesquisas de opinião, pessoas que alegaram participar da coleta seletiva, passaram de 87% em julho de 2013, para 96% em outubro de 2013.

  • Pessoas que declararam ter dúvidas quanto a como segregar os resíduos, passou de 39% na primeira pesquisa para apenas 7% na segunda pesquisa


Disciplina dos agricultores na separa o do lixo
Disciplina dos Agricultores na separação do lixo vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

Romilda mostra material reciclável separado em sua residência


Conclus o
CONCLUSÃO vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

  • Implantação do cronograma específico da coleta que são realizadas todas as sextas-feiras.

  • Em média de 8.850 litros de resíduos recicláveis têm sido coletados mensalmente na

  • zona rural do município.

  • O volume coletado de resíduos superou as expectativas.

  • O custo mensal do município com a coleta de material reciclável na zona rural é de

  • aproximadamente R$ 3.500,00

  • Um dado positivo, é a disciplina dos agricultores na separação do lixo. A taxa de rejeito

  • misturado ao reciclável corresponde a 1,46% do total recolhido.

  • O orgânico está em 0,75%. Já na zona urbana, a taxa de mistura é de 20% do material

  • reciclável no rejeito e de 12% de orgânico no rejeito“;

  • A coleta seletiva na zona rural além de oportunizar melhor qualidade de vida ao

  • morador do campo, a prática também colabora com o meio ambiente. Este material,

  • seria queimado a céu aberto, liberando para a atmosfera gases prejudiciais ao meio

  • ambiente e aos seres humanos, se não fosse a coleta.


Refer ncias
Referências vias e nos ambientes rurais eram facilmente degradados pela natureza. Hoje, porém, a produção de resíduos sólidos nas residências da zona rural é diversificada, é possível encontrar de tudo: resíduos inservíveis de grande volume, como móveis e eletrodomésticos, ainda outros mais comuns em área urbana como vidro, metais, plásticos, o que reforça a preocupação com os problemas ambientais urbanos, entre

  • ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, disponível em: www.abnt.org.br, acesso em Janeiro de 2014.

  • BRASIL. Lei Federal n° 6.938, de 02 de Setembro de 1981. Dispõe sobre a política nacional

  • do meio ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação e dão outras providencias. Disponível em www.interlegis.gov.br, acesso em dezembro de 2013.

  • BRASIL. Lei Estadual n° 12.493, de 22 de Janeiro de 1999. Estabelecem princípios, procedimentos, normas e critérios referentes à geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos no Estado do Paraná, visando controle da poluição, da contaminação e a minimização de seus impactos ambientais e adota outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 05 fev. 1999.

  • BRASIL. Lei Municipal n° 2.449/2011, de 18 de Abril de 2011. Institui a Política Municipal de Resíduos Sólidos de Ibiporã e dá outras providências. Disponível em http://www.cmibipora.pr.gov.br/legis/2011/LEI2449-11.pdf, acesso em janeiro de 2014.

  • Manual de Gerenciamento Integrado do Lixo Municipal (Programa Bio Consciência, 2002).

  • REVIVERDE. Disponível em www.reviverde.org.br, acesso em janeiro de 2014.


ad