Universidade federal da bahia faculdade de medicina cirurgia tor cica
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 64

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Cirurgia torácica PowerPoint PPT Presentation


  • 107 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Cirurgia torácica. Fisiopatologia das arritmias cardíacas e Principais indicações de Estimulação artificial Diane Nunes Tamires Couto. Sumário. Princípios de eletrofisiologia Arritmias Estimulação Cardíaca Invasiva

Download Presentation

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Cirurgia torácica

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Universidade Federal da BahiaFaculdade de MedicinaCirurgia torácica

Fisiopatologia das arritmias cardíacas e Principais indicações de Estimulação artificial

Diane Nunes

Tamires Couto


Sumário

  • Princípios de eletrofisiologia

  • Arritmias

  • Estimulação Cardíaca Invasiva

  • MarcapassoDefinitivo

  • Cardioversor Desfibrilador Implantável

  • Referências Bibliográficas


Princípios de eletrofisiologia

  • Propriedades elétricas do coração:

  • Células cardíacas são excitáveis;

  • Potenciais de ação

  • Contração

  • Ritmo cardíaco


Princípios de eletrofisiologia

Potencial de ação:


Princípios de eletrofisiologia

  • Excitabilidade cardíaca:


Princípios de eletrofisiologia

  • Propriedades :

  • Automatismo;

  • Ritmicidade.


Princípios de eletrofisiologia


Arritmias

“São o resultado de anormalidades na geração do impulso elétrico e/ou na condução do impulso elétrico levando a um ritmo cardíaco anormal”.

Harrison, 17ª Edição.


Arritmias

Alterações no automatismo

Alterações na condução do impulso

Reentrada


Arritmias

  • Alteração do automatismo

  • Ação do SNA

  • Redução da atividade da Na-K-ATPase

  • Alterações do K

  • Ativação de marcapasso subsidiário


Arritmias

2. Alteração na condução do impulso

  • Bloqueios (1º, 2º e 3º graus)

    3. Alteração no automatismo e na condução

  • Reentrada


Arritmias

Fenômeno de reentrada:

  • Mecanismo mais comum;

  • Desvio para alcançar um obstáculo inexcitável;

  • Requisitos:

  • Duas vias eletrofisiológicas distintas;

  • Bloqueio unidirecional em uma das vias;

  • Região com tecido excitável a frente da onda de propagação.


Arritmias

  • Fenômeno de reentrada:


Classificação das arritmias

1)Taquiarritmias

2) Bradiarritmias

  • Primárias

  • Secundárias


Carneiro BV, Pires HHM, Nogueira ACC, Brick AV. Arritmias: fisiopatologia, quadro clínico e diagnóstico


Arritmias

  • Quadro clínico:

  • Palpitação

  • Dor precordial

  • Síncope

  • Pré síncope

  • Morte súbita


Carneiro BV, Pires HHM, Nogueira ACC, Brick AV. Arritmias: fisiopatologia, quadro clínico e diagnóstico


Estimulação cardíaca Invasiva

  • 1932 –Primeiro marcapasso

  • 1958 – Instalado o primeiro marcapasso

  • Marcapasso

  • Cardioversor Desfibrilador implantável


MARCAPASSO

  • Como são feitos?

  • Um ou mais cabos

  • Eletrodos

  • Gerador de pulso

  • Implante através do sistema venoso.


MARCAPASSO

  • Dispositivos eletrônicos capazes de substituir impulsos elétricos ou ritmos ectópicos.

  • Temporários ou definitivos;


Marcapasso

  • Modo de estimulação:


Marcapasso


Marcapasso

  • Complicações:

  • Infecção

  • Hematoma

  • Pneumotórax

  • Perfuração cardíaca

  • Estimulação diafragmática

  • Deslocamento de eletrodos


Marcapasso definitivo

  • Indicações:

  • Disfunção do nó sinusal

  • Síndrome do Seio Carotídeo

  • Bloqueio Atrioventricular

  • Bloqueio Intraventricular

  • Cardiomiopatia Hipertrófica Obstrutiva

  • Síndromes Neuromediadas ou Vasovagais


Marcapasso definitivo

  • Disfunção do Nó Sinusal:

  • Bradicardia sinusal, parada sinusal, bloqueio sino-atrial, taquicardia supra - ventricular alternada com bradicardia sinusal ou assistolia.

  • Síncope, pré síncope, palpitação e tontura.


Marcapasso Definitivo

  • Disfunção do Nó Sinusal:

  • Mulheres , 60 – 69 anos

  • Primária ou secundária

  • Principal alternativa terapêutica: MarcapassoReduz FA e trombose


Marcapasso Definitivo


Marcapasso Definitivo


Marcapasso Definitivo

B) Síndrome do Seio Carotídeo:

  • Síncope ou pré-síncope consequente à resposta reflexa exacerbada à estimulação do seio carotídeo.

  • Compressão involuntária do pescoço e movimentos bruscos da cabeça.


Marcapasso Definitivo

  • Síndrome do Seio Carotídeo:

  • Respostas reflexas:

  • Cardioinibitórias

  • Vasodepressora

  • Mista

  • Resposta exclusiva ou predominantemente cardioinibitórias!!


Marcapasso Definitivo


Marcapasso Definitivo

C) Bloqueios Atrioventriculares:

  • Retardo ou falha na transmissão do impulso elétrico do átrio para o ventrículo.

  • Congênito ou adquirido

  • Átrio, Nó AV, Feixe de His, Fibras de Purkinje.

  • Deve-se pesquisar causas reversíveis.


Marcapasso Definitivo

  • Bloqueios Atrioventriculares:

  • Intermitente, agudo ou crônico.

  • Classificação:

    1° Grau – Condução normal

    2° Grau – Condução Intermitente

    3° Grau - Condução ausente


Marcapasso Definitivo

  • Bloqueios Atrioventriculares:

  • Abordagem terapêutica do BAV - Vantagens clínicas e hemodinâmicas

  • Assintomáticos - identificação de riscos

    potenciais ou comprovação de distúrbios importantes da condução infra-nodal


Marcapasso Definitivo


Marcapasso Definitivo


Marcapasso Definitivo


Distúrbios da Condução Intraventricular

Baixa prevalência

5%-10% dos pacientes com IAM

Fascículos do sistema His-Purkinje:

  • Divisão anterior e divisão posterior do ramo esquerdo;

  • Ramo direito


Distúrbios da Condução Intraventricular

Marca-passo Provisório:

  • Bloqueio de ramo ‘novo’ durante fase aguda de IAM (BAV de 1º grau associado*)

  • Bloqueios trifasciculares e ou um bloqueio bifascicular ‘novo’ na fase aguda de IAM

    Marca-passo Definitivo

  • Distúrbio fascicular crônico e história de BAV de 3º grau intermitente ou síncope inexplicada


Síndromes Neuromediadas ou Vagais

Resposta reflexa, predominantemente parassimpática resultando em tonturas, pré-síncopes e síncopes

Autolimitada

  • Vasodilatação periférica associada à bradicardia ou assistolia


Síndromes Neuromediadas ou Vagais

Forma vasodepressora:

  • Vasodilatação e diminuição do fluxo sanguíneo cerebral

    Forma cardioinibitória:

  • Bradicardia importante ou assistolia

    Forma mista.


Indicações: SNM


Cardiomiopatia Hipertrófica Obstrutiva

Hipertrofia Septal Assimétrica (Idiopática)

Miectomia septal, ablação percutânea septal

  • Indicação de MP apenas em pacientes muito sintomáticos, refratários ao tratamento farmacológico, não candidatos à miectomia ou ablação percutânea septal


Indicações: CHO


Cardioversor Desfibrilador Implantável


Cardioversor Desfibrilador Implantável

Prevenção primária de Morte Súbita Cardíaca (MSC) por cardiopatia estrutural

Prevenção secundária de MSC por cardiopatia estrutural

Situações especiais:

  • Taquicardia ventricular polimórfica catecolaminérgica (TVPC);

  • Síndrome de QT longo congênito;

  • Síndrome de Brugada;

  • Cardiomiopatia hipertrófica


Prevenção Primária de MSC

MSC responsável por 50% da mortalidade em pacientes com cardiopatia isquêmica ou não-isquêmica e grave disfunção sistólica de VE

  • 95% das MSC são arritmogênicas


FV/TV

Mecanismos mais comuns de morte súbita

  • FV: Ondulações irregulares no traçado, com frequência geralmente maior que 320/min, sem discernimento de complexos QRS

  • TV: Ritmo taquicárdico originário do ventrículo (miocárdio ventricular ou feixe His-Purkinje). Complexos QRS alargados e de morfologia aberrante


Fibrilação Ventricular


Taquicardia Ventricular


Prevenção Primária de MSC


Prevenção Secundária de MSC

Risco de recorrência de taquiarritmias fatais de 10% (6-12 meses após parada cardíaca por TV/FV)

  • Tratamento da cardiopatia estrutural

  • Drogas antiarrítmicas

  • CDI


Prevenção Secundária de MSC


Taquicardia Ventricular Polimórfica Catecolaminérgica

Síndrome clínica autossômica dominante ou recessiva

  • Aumento dos níveis de catecolaminas: Estresse emocional, esforços físicos

  • Betabloqueador + CDI


Indicações: TVPC


Síndrome do QT Longo Congênito

Doença hereditária caracterizada por repolarização ventricular prolongada

  • Anomalias nos canais iônicos dos miócitos cardíacos que provocam TV polimórfica

  • Palpitações, síncopes e MSC

  • Desencadeada por estresse emocional ou físico


Indicações: Síndrome do QT Longo Congênito


Síndrome de Brugada

Hereditária Autossômica Dominante

  • 90% dos afetados são do sexo masculino

  • 3ª e 4ª décadas de vida (pode ocorrer em neonatos em crianças)

  • Síncopes e MSC (Arritmias ventriculares malignas - TV polimórfica - durante repouso ou sono)

  • A CDI é o único tratamento efetivo


Indicações: Síndrome de Brugada


Cardiomiopatia Hipertrófica

  • Graus variáveis de hipertrofia ventricular esquerda assimétrica

  • IC diastólica, obstrução da via de saída do VE, arritmias atriais e ventriculares

  • MSC não raramente é a primeira manifestação

  • Dificuldade na identificação de indivíduos de risco


Indicações: CMH


Referências Bibliográficas

  • 1- Diretrizes Brasileiras de Dispositivos Cardíacos Implantáveis. ArqBrasCardiol 2007; 89(6) : e210-e237.

  • 2.B M Ribeiro, Principios básicos da estimulação cardíaca artificial. Revista da SOCERJ - Abr/Mai/Jun 2002.

  • 3. Ramos G, Ramos Filho J, Rassi Jr A, Pereira E, Gabriel Neto S,

  • Chaves E - Marcapasso Cardíaco Artificial: Considerações Pré

  • e Per-Operatórias. RevBrasAnestesiol 2003; 53: 6: 854 - 862 .

  • 4. Carneiro BV, Pires HHM, Nogueira ACC, BrickAV. Arritmias: fisiopatologia, quadro clínico e diagnóstico. RevMedSaudeBrasilia 2012; 1(2):93‐104

  • 5. Berne & Levy - Fisiologia - 6ª Ed. Autor: Stanton, Bruce A.; Koeppen, Bruce M. Editora: Elsevier / Medicina Nacionais.

  • 6.Medicina Interna - Harrison 2 Volumes 17a. Ed. McGrawHill


Referências Bibliográficas

  • 7. Goldman, D Ausiello (eds.) Cecil Tratado de Medicina Interna. Tradução da 22º ed. Rio de Janeiro: Elsevier editora, 2005.

  • 8. GUYTON, Arthur C.; EDWARD, John Edward. Tratado defisiologia médica. 12. ed. Rio de Janeiro: Elsevier,..


  • Login