Curso de Mestre Cervejeiro  e Mestre Chopeiro.

Curso de Mestre Cervejeiro e Mestre Chopeiro. PowerPoint PPT Presentation


  • 564 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

2. POVO SUM

Download Presentation

Curso de Mestre Cervejeiro e Mestre Chopeiro.

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


1. 1 Curso de Mestre Cervejeiro e Mestre Chopeiro.

2. 2

3. 3 HISTÓRIA Ao longo dos anos criou-se o costume de acrescentar ingredientes a receita original dos Sumérios até que no século 11 uma mulher chamada Hildegard que depois seria canonizada como Santa Hildegard adicionou o Lúpulo e criou a fórmula mais comum de cerveja, esta formula é utilizada no mundo todo até os dias de hoje.

4. 4 AS GRANDES ESCOLAS CERVEJEIRAS Nestes mais de 6.000 anos 3 grandes regiões se destacaram no mundo da Cerveja: A Belga pela produção dos Monges Trapistas. A Alemanha com as cervejas de baixa fermentação. A Inglesa com as cervejas de alta fermentação.

5. 5 Os ingleses durante as grandes navegações enchiam os porões dos navios com o mosto de uma cerveja tipo Ale que fermentava durante a viagem. Esta cerveja era consumida pela tripulação evitando assim que morressem de cólera pelo consumo da água local e que também tivessem uma viagem muito mais alegre.

6. 6 INGREDIENTES BÁSICOS PARA A FABRICAÇÂO DE CERVEJA ÁGUA Importantíssima para a qualidade do produto, embora alguns digam que se pode corrigir quimicamente a água, a água pura e mineral confere ao produto uma leveza diferenciada daqueles que utilizam água corrigida.

7. 7 MALTE Embora quase todos tenham ouvido falar em malte, poucos sabem realmente do que se trata. Malte é a cevada que passa por um processo de malteação, processo este que consta basicamente na germinação e interrupção da germinação do grão com temperatura e umidade controladas. O grão de cevada quando submetido a este processo se transforma em malte, o trigo se transforma em malte de trigo e assim sucessivamente.

8. 8 Os tipos diferentes de malte definirão os tipos de cervejas produzidas.

9. 9 LÚPULO Trata-se de uma planta trepadeira da família das canabis que só nasce nas regiões frias. O Lúpulo é também responsável pelo amargor e pelo aroma, a curiosidade sobre este ingrediente é que para a produção de cerveja só se utiliza a flor das plantas femininas pois com a masculina não se faz boa cerveja. OUTROS INGREDIENTES Os Cereais não malteados ou extrato de alta maltose originário do milho dão mais leveza e estabilidade ao produto. A Levedura é utilizada para a fermentação da bebida. A levedura é um ser unicelular que come o açúcar e o transforma em álcool e CO2. A cerveja e o chopp são as únicas bebidas do mundo que são naturalmente espumante.

10. 10 AS DUAS GRANDES FAMÍLIAS DE CERVEJA. Existem 2 grandes famílias de Cerveja: As Cervejas de Alta Fermentação ou Ale. As Cervejas de Baixa Fermentação ou Lagger. A diferença básica na produção é que as Cervejas Ale utilizam um tipo de Levedura que fazem a fermentação na parte superior dos tanques de fermentação enquanto que as Laggers utilizam um outro tipo que realiza a fermentação na parte inferior. As diferenças marcantes entre as 2 famílias são: As Ales são mais estáveis com um sabor final mais frutado. As Laggers são mais delicadas e mais refrescantes.

11. 11 A ASHBY E SUA HISTÓRIA A Cervejaria Ashby foi a primeira micro-cervejaria brasileira e também a primeira a introduzir no mercado o conceito de Cervejaria Gourmet. A Ashby é também a única Cervejaria brasileira a seguir o modelo de produção da tradicional escola cervejeira Inglesa. O modo de fazer cerveja, os modelos de controle e a medição são diferentes do modelo alemão. A nome Ashby têm sua origem na região de Burton on Trent – Inglaterra.

12. 12 A ASHBY E SUA HISTÓRIA Burton on Trent é a principal região cervejeira da Inglaterra e onde se encontra uma das mais antigas cervejaria do mundo a Bass e também onde, até hoje, se localiza o castelo Ashby. Esta tradição inglesa está presente em tudo, desde a logomarca onde se encontra o Navio em homenagem as grandes navegações Inglesas até o processo de produção onde todos os controles seguem esta notável escola cervejeira.

13. 13 Cuidados especiais aliado a ingredientes importados das melhores origens e a mais pura Água mineral da Serra da Mantiqueira fazem dos produtos Ashby uma referência no mercado brasileiro de Cerveja. ASHBY PILSENER Pilsen de baixa fermentação com dupla filtragem a frio, médio teor alcoólico de 4,58% e lúpulos aromáticos. Não pasteurizado.

14. 14 A Ashby foi buscar inspiração nas melhores cervejas do mundo e a as adaptou para o paladar brasileiro.

15. 15 CHOPP ESCURO ASHBY PORTER Chopp de baixa fermentação, médio teor alcoólico de 4,9%, maltes especiais, lúpulos aromáticos e de sabor. Não pasteurizado.

16. 16 Inspiração Ashby para a criação do Chopp Escuro Ashby Porter

17. 17 Chopp de Trigo Ashby Weiss Sua receita diferenciada segue a tradição das clássicas cervejas de trigo alemãs. O Chopp Ashby Weiss é um chopp saboroso e mais encorpado. Por não ser filtrado sua coloração é mais opaca. Chopp de alta fermentação, teor alcoólico de 6,3%, maltes especiais de trigo, lúpulos aromáticos e de sabor. Não pasteurizado.

18. 18 Chopp de Vinho Califórnia Chopp de Vinho Califórnia, refrescante e saboroso, produzido com uvas frescas selecionadas, de sabor acentuado e levemente frisante, ideal para o clima brasileiro.

19. 19 Processo de produção da Cervejaria Ashby Tina de mostura onde se inicia o processo de produção com o cozimento inicial do malte. No Brasil , somente a Ashby utiliza o método Inglês de Simples Infusão que proporciona um melhor aproveitamento dos açucares fermentáveis.Alem de manter a casca do grão que realiza a primeira filtragem natural do composto.As demais cervejarias utilizam o processo de Decocção.

20. 20 Panela de cozimento onde será misturado o lúpulo e o extrato de alta maltose.

21. 21 Após a adição da levedura o mosto segue para os Tanques de Fermentação onde permanece por 21 dias com temperatura controlada.

22. 22 Filtragem A Ashby utiliza o processo de dupla filtragem a frio, sendo a primeira filtragem com terra vulcânica e a segunda em placas de micro filtragem. Este processo de dupla filtragem garante maior estabilidade ao produto. Após a filtragem o produto segue para as adegas e posteriormente para as linhas de enchimento.

23. 23 Linha de enchimento automática de barris. Esta linha garante a perfeita lavagem e a esterilização dos barris que em seguida serão cheios.

24. 24 BARRIL Deve sempre ser estocado em local fresco e arejado. O ideal é permanecer em câmara fria com a temperatura entre 0 ° e 2° graus negativos.

  • Login