Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público
Download
1 / 42

Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor P blico - PowerPoint PPT Presentation


  • 197 Views
  • Uploaded on

Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público. Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT. Principais Pontos. A Busca da Contabilidade Patrimonial. Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Orçamentárias.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor P blico' - Jims


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Slide1 l.jpg

Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público

Coordenação Geral de Contabilidade

STN/CCONT


Slide2 l.jpg

Principais Pontos Contabilidade Aplicadas ao Setor Público

A Busca da Contabilidade Patrimonial



A nova contabilidade agregando valor l.jpg

Orçamentárias Setor Público

Financeiras

Patrimonial

A Nova Contabilidade Agregando Valor......

Cumprimento Integral da Lei



Slide6 l.jpg

A Contabilidade apoiando o Orçamento Setor Público

O orçamento faz uso das técnicas próprias da contabilidade, mas não utiliza os critérios, conceitos e regimes contábeis.

São técnicas contábeis, utilizadas segundo critérios, conceitos e regimes orçamentários.


Slide7 l.jpg

Estrutura da Lei 4.320/1964 Setor Público

  • Título I – Da Lei do Orçamento (Artigo 2º ao 21)

  • Título II – Da Proposta Orçamentária (Artigo 22 ao 31)

  • Título III – Da Elaboração da Lei do Orçamento (Artigo 32 ao 33)

  • Título IV – Do Exercício Financeiro (Artigo 34 a 39)

  • Título V – Dos Créditos Adicionais (Artigo 40 ao 46)

  • Título VI – Da Execução do Orçamento(Artigo 47 ao 70)

  • Título VII – Dos Fundos Especiais (Artigo 71 ao 74)

  • Título VIII – Do Controle da Execução Orçamentária (Artigo 75 ao 82)

  • Título IX – da Contabilidade (Artigo 83 ao 89)

    • Disposições Gerais (Art 83 a 89)

    • Da Contabilidade Orçamentária e Financeira (Art 90 a 93)

    • Da Contabilidade Patrimonial e Industrial (Art 94 a 100)

    • Dos Balanços (Art 101 a 106)


Slide8 l.jpg

Visão Patrimonial na Lei 4.320/1964 Setor Público

Art. 85. Os serviços de contabilidade serão organizados de forma a permitirem o acompanhamento da execução orçamentária, o conhecimento da composição patrimonial, a determinação dos custos dos serviços industriais, o levantamento dos balanços gerais, a análise e a interpretação dos resultados econômicos e financeiros.

“Art. 89 - A contabilidade evidenciará os fatos ligados à administração orçamentária, financeira, patrimonial e industrial.”

“Art. 100 - As alterações da situação líquida patrimonial, que abrangem os resultados da execução orçamentária, bem como as variações independentes dessa execução e as superveniências e insubsistências ativas e passivas, constituirão elementos da conta patrimonial.”

“Art. 104 - A Demonstração das Variações Patrimoniais evidenciaráas alterações verificadas no patrimônio, resultantes ou independentes da execução orçamentária, e indicará o resultado patrimonial do exercício.”


Slide9 l.jpg

Lei 4.320 Setor Público

Alguns questionamentos que intrigam...

  • Não se pode registrar as despesas incorridas sem autorização orçamentária?

  • O setor público não pode depreciar, exaurir e amortizar?

  • Não se deve fazer provisões de férias e décimo terceiro?

  • É proibido aplicar o Regime de Competência no setor público?

Cumprimos integralmente a Lei 4.320/1964?


Slide10 l.jpg

Lei 4.320/64 Setor Público

Ciência contábil

Contabilidade

orçamentária

Contabilidade

financeira

Contabilidade

patrimonial

Conhecimento

Estratégia da Contabilidade

Nova lei


Slide11 l.jpg

Quem Estabelecerá as Regras? Setor Público

Teoria do Pertencimento

Classe Contábil

Representada

Conselho Federal de Contabilidade

Tesouro Nacional

Grupo Assessor

Grupo Gestor

da Convergência

Grupo Técnico de

Padronização de

Relatórios

Grupo Técnico de

Procedimentos

Contábeis



Slide13 l.jpg

Alinhamento - NBCASP Setor Público

Convergência para as Normas Internacionais

Implantação do PCASP

O Reordenamento da Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Início de Vigência

Publicação

Treinamento

Discussão

com a Classe

Contábil

Tradução

das IPSAS

Elaboração das Minutas

Publicação e Treinamento

Início de Vigência

Aplicação nosMunicípios

Aplicação nos Estados

Discussão GT

Aplicação na União

Versão 4º nível

Estrutura básica (3º Nível)

2013

2012

2008

2009

2010

2011

Lei 11.941/2009

(MP 449/2008)

Setor Privado Separa Contabilidade do Fisco


Slide14 l.jpg

Implementação de um Padrão para o País Setor Público

Entrada

(PCASP)

Saída

(Demonstrativos)

Processamento

Sistema

Integrado de

Administração

Financeira

(SIAFC)

RREO

RGF

LRF (Alterado LC 131/2009): 

“Art. 48.  .....................................................................

Parágrafo único.  A transparência será assegurada também mediante: 

........

III – adoção de sistema integrado de administração financeira e controle, que atenda a padrão mínimo de qualidade estabelecido pelo Poder Executivo da União e ao disposto no art. 48-A.” (NR) 

DCASP


Slide15 l.jpg

Principais Pontos Setor Público

A Busca da Contabilidade Patrimonial


Slide16 l.jpg

NBC TSP 16.1 - Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação Setor Público

  • Conceito: ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de informações, os Princípios Fundamentais de Contabilidadee as normas contábeis direcionados ao controle patrimonial de entidades do setor público. (art. 3)

  • Objetivo: fornecer informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da entidade do setor público e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do controle social (art. 4).

  • Objeto:Patrimônio Público (art. 5).


Slide17 l.jpg

NBC TSP 16.2 – Patrimônio e Sistemas Contábeis Setor Público

  • O patrimônio público é estruturado em três grupos (Art. 4):

  • Ativo – compreende as disponibilidades, os bens e os direitos, tangíveis,e intangíveis adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelo setor público, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerentes à prestação de serviços públicos;

  • Passivo – compreende as obrigações assumidas pelas entidades do setor público para consecução dos serviços públicos ou mantidas na condição de fiel depositário, bem como as contingências e as provisões;

  • Patrimônio Líquido – representa a diferença entre o Ativo e o Passivo.


A estrutura patrimonial na lei 4 320 1964 l.jpg
A Estrutura Patrimonial na Lei 4.320/1964 Setor Público

§ 1º O Ativo Financeiro compreenderá os créditos e valores realizáveis

independentemente de autorização orçamentária e os valores numerários.

§ 2º O Ativo Permanente compreenderá os bens, créditos e valores, cuja mobilização ou alienação dependa de autorização legislativa.

§ 3º O Passivo Financeiro compreenderá “as dívidas fundadas e outras” cujo pagamento independa de autorização orçamentária.

§ 4º O Passivo Permanente compreenderá as dívidas fundadas e outras que dependam de autorização legislativa para amortização ou resgate.


Regime or ament rio x regime cont bil l.jpg
Regime Orçamentário x Regime Contábil Setor Público

Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Regime Orçamentário

  • Pertencem ao exercício financeiro:

    • As receitas (orçamentárias) nele arrecadadas

    • As despesas (orçamentárias) nele legalmente empenhadas

Regime Contábil

  • As receitas (Variações Patrimoniais Aumentativas) e as despesas (Variações Patrimoniais Diminutivas) devem ser incluídas na apuração do resultado do período em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento.


Slide20 l.jpg

1 – ATIVO Setor Público

1.1 Ativo Circulante

1.1.1 Disponível

1.1.2 Créditos em Circulação

1.1.3 Bens e Valores em Circulação

1.1.4 Investimentos dos Regimes Próprios de Previdência

1.2 – Ativo Não Circulante

1.2.1 Ativo Realizável a Longo Prazo

1.2.2 Investimento

1.2.3 Imobilizado

1.2.4 Intangível

2 – PASSIVO e PATRIMÔNIO LÍQUIDO

2.1 Passivo Circulante

2.1.1 Depósitos

2.1.2 Obrigações em Circulação

2.1.3 Provisões

2.2 Passivo Não-Circulante

2.2.1 Obrigações Exigíveis a LP

2.2.2 Provisões

2.5 Patrimônio Líquido / Saldo Patrimonial

2.5.1 Patrimônio/Capital Social

2.5.2 Reservas de Capital

2.5.3 Ajustes de Avaliação Patrimonial

2.5.4 Reservas de Lucros

2.5.5 Ações em Tesouraria

2.5.6 Resultados Acumulados

Relação de Contas – Composição Patrimonial


Slide21 l.jpg

Classes do PCASP x Regime Setor Público

2 - Passivo

2.1 – Passivo Circulante

2.2 – Passivo Não Circulante

2.5 - Patrimônio Líquido

1 – Ativo

1.1- Ativo Circulante

1.2 – Ativo Não Circulante

Contabilidade Patrimonial

Regime de Competência

3 – Variação Patrimonial Diminutiva

3.1 - Pessoal e Encargos

3.2 – Benefícios Previdenciários

...

3.9 – Outras Variações Patrimoniais Passivas

4 – Variação Patrimonial Aumentativa

4.1 – Tributárias

4.2 - Contribuições

...

4.9 – Outras Variações Patrimoniais Ativas

5 – Controles da Aprovação do Planejamento e Orçamento

5.1 – Planejamento Aprovado

5.2 – Orçamento Aprovado

5.3 – Inscrição de Restos a Pagar

6 – Controles da Execução do Planejamento e Orçamento

6.1 – Execução do Planejamento

6.2 – Execução do Orçamento

6.3 – Execução de Restos a Pagar

Contabilidade Orçamentária

Regime (“misto”)

7 – Controles Devedores

7.1 – Atos Potenciais

7.2 – Administração Financeira

7.3 – Dívida Ativa

7.4 – Riscos Fiscais

7.8 - Custos

8 – Controles Credores

8.1 – Execução dos Atos Potenciais

8.2 – Execução da Administração Financeira

8.3 – Execução da Dívida Ativa

8.4 – Execução dos Riscos Fiscais

8.8 – Apuração de Custos


Slide22 l.jpg

Principais Pontos Setor Público

A Busca da Contabilidade Patrimonial


Slide23 l.jpg

NBC TSP 16.4 – Transações no Setor Público Setor Público

  • Conceito de Transações no Setor Público: os atos e os fatos que promovem alterações qualitativas ou quantitativas, efetivas ou potenciais, no patrimônio das entidades do setor público, as quais são objeto de registro contábil em estrita observância aos PFCs e às NBCs.

  • Natureza de Transações no Setor Público:

  • a) econômico-financeira - originadas de fatos que afetam o patrimônio público, em decorrência, ou não, da execução de orçamento, podendo provocar alterações qualitativas ou quantitativas.

  • b) administrativa - originadas de atos administrativos, com o objetivo de dar cumprimento às metas programadas e manter em funcionamento as atividades da entidade do setor público. (art. 3)


Slide24 l.jpg

NBC TSP 16.4 – Transações no Setor Público Setor Público

  • Conceito de Variações Patrimoniais: transações que promovem alterações nos elementos patrimoniais da entidade, mesmo em caráter compensatório, afetando, ou não, o seu resultado. (art. 4)

  • Características de Variações Patrimoniais:

  • - devem manter correlação com as respectivas contas patrimoniais. (art. 5)

  • - correlação é a vinculação entre as contas de resultado e as patrimoniais, de forma a permitir a identificação dos efeitos nas contas patrimoniais produzidos pela movimentação das contas de resultado. (art. 6)

  • - classificam-se em quantitativas e qualitativas. (art. 7)


Slide25 l.jpg

NBC TSP 16.4 – Transações no Setor Público Setor Público

  • Variações Patrimoniais Quantitativas: aquelas decorrentes de transações no setor público que aumentam ou diminuem o patrimônio líquido. (art. 8)

  • Variações Patrimoniais Qualitativas: aquelas decorrentes de transações no setor público que alteram a composição dos elementos patrimoniais sem afetar o patrimônio líquido. (art. 9)


Slide26 l.jpg

Natureza dos Atos e Fatos Contábeis Setor Público

Patrimônio X Orçamento

Lei Orçamentária

Orçamentária

Patrimonial

Variação Quantitativa Decorrentes da Execução Orçamentária

Variação Quantitativa Independente da Execução Orçamentária

Variação Qualitativas Decorrentes da Execução Orçamentária

↓ PL = ↓ A - P

↓ PL = A - ↑ P


Slide27 l.jpg

Classes do PCASP x Teoria das Contas Setor Público

1 – Ativo

1.1- Ativo Circulante

1.2 – Ativo Não Circulante

2 - Passivo

2.1 – Passivo Circulante

2.2 – Passivo Não Circulante

2.5 - Patrimônio Líquido

Contas Patrimoniais

Composição Patrimonial

3 – Variação Patrimonial Diminutiva

3.1 - Pessoal e Encargos

3.2 – Benefícios Previdenciários

...

3.9 – Outras Variações Patrimoniais Passivas

4 – Variação Patrimonial Aumentativa

4.1 – Tributárias

4.2 - Contribuições

...

4.9 – Outras Variações Patrimoniais Ativas

Resultado Patrimonial

Contas de Resultado

5 – Controles da Aprovação do Planejamento e Orçamento

5.1 – Planejamento Aprovado

5.2 – Orçamento Aprovado

5.3 – Inscrição de Restos a Pagar

6 – Controles da Execução do Planejamento e Orçamento

6.1 – Execução do Planejamento

6.2 – Execução do Orçamento

6.3 – Execução de Restos a Pagar

Contas Orçamentárias

Orçamentária

7 – Controles Devedores

7.1 – Atos Potenciais

7.2 – Administração Financeira

7.3 – Dívida Ativa

7.4 – Riscos Fiscais

7.8 - Custos

8 – Controles Credores

8.1 – Execução dos Atos Potenciais

8.2 – Execução da Administração Financeira

8.3 – Execução da Dívida Ativa

8.4 – Execução dos Riscos Fiscais

8.8 – Apuração de Custos

Atos Potenciais

Controle

Custos

Contas de Controle


Slide28 l.jpg

Relação de Contas – Variações Patrimoniais Setor Público

3 – VARIAÇÕES PATRIMONIAIS DIMINUTIVAS

3.1 Pessoal e Encargos

3.2 Benefícios Sociais

3.3 Uso de Bens e Serviços

3.4 Financeiras

3.5 Transferências

3.6 Tributárias e Contributivas

3.9 Outras Variações Patrimoniais Passivas

4 – VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS

4.1 Tributárias

4.2 Contribuições

4.3 Exploração de Bens e Serviços

4.4 Financeiras

4.5 Transferências

4.9 Outras Variações Patrimoniais Ativas


Slide29 l.jpg

NBC TSP 16.5 – Registro Contábil Setor Público

  • Reconhecimento e Bases de Mensuração ou Avaliação

  • - o patrimônio das entidades do setor público, o orçamento e sua execução e os atos administrativos que provoquem efeitos de caráter econômico e financeiro no patrimônio devem ser mensurados ou avaliados monetariamente e registrados pela contabilidade. (art.17)

  • - as transações no setor público devem ser reconhecidas e registradas integralmente no momento em que ocorrerem. Princípio da Oportunidade (art. 18)

  • - os registros da entidade, desde que estimáveis tecnicamente, devem ser efetuados, mesmo na hipótese de existir razoável certeza de sua ocorrência. (art. 19)


Slide30 l.jpg

Lista de Verificação da Liquidação da Despesa Orçamentária

  • Lei 4.320/1964

BÁSICOS

  • a origem e o objeto do que se deve pagar;

Art. 62 O pagamento da despesa só poderá ser efetuado quando ordenado após sua regular liquidação.

  • a importância exata a pagar;

  • a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação.

Art. 63 A liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor tendo por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito.

FORNECIMENTOS E SERVIÇOS

  • o contrato, ajuste ou acordo respectivo;

  • a nota de empenho

  • os comprovantes da entrega de material ou da prestação efetiva do serviço.


Slide31 l.jpg

D 5.2.2 Dotação Orçamentária Inicial Orçamentária

C 6.2.2 Crédito Orçamentário Disponível

D 6.2.2 Crédito Empenhado a liquidar

C 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

D 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

C 6.2.2 Crédito Empenhado Pago

D 3.3 Variação Patrimonial Diminutiva - Uso de Bens e serviços

C 2.1.2 Obrigações em circulação (F)

D 6.2.2 Crédito Orçamentário Disponível

C 6.2.2 Crédito Empenhado a Liquidar

D 2.1.2 Obrigações em Circulação (F)

C 1.1.1 Disponível (F)

Reconhecimento do passivo na liquidação

Contabilidade patrimonial – “Classes 1, 2, 3 e 4”

Execução da despesa

Reconhecimento

do passivo

Contabilidade orçamentária – “Classe 5 e 6”

Empenho

Pagamento

Liquidação

Dotação

Pagamento


Slide32 l.jpg

D 5.2.2 Dotação Orçamentária Inicial Orçamentária

C 6.2.2 Crédito Orçamentário Disponível

D 6.2.2 Crédito Empenhado em Liquidação

C 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

D 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

C 6.2.2 Crédito Empenhado Pago

D 3.3 Variação Patrimonial Diminutiva - Uso de Bens e serviços

C 2.1.2 Obrigações em circulação (F)

D 2.1.2 Obrigações em Circulação (F)

C 1.1.1 Disponível (F)

D 6.2.2 Crédito Empenhado a Liquidar

C 6.2.2 Crédito Empenhado em liquidação

D 6.2.2 Crédito Orçamentário Disponível

C 6.2.2 Crédito Empenhado a Liquidar

Reconhecimento do passivo antes da liquidação

Contabilidade patrimonial – “Classes 1, 2, 3 e 4”

Execução da despesa

Reconhecimento

do passivo

Contabilidade orçamentária – “Classe 5 e 6”

Empenho

Pagamento

Em Liquidação

Liquidação

Dotação

Pagamento


Slide33 l.jpg

D 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar Orçamentária

C 6.2.2 Crédito Empenhado Pago

D 6.2.2 Crédito Empenhado em Liquidação

C 6.2.2 Crédito Empenhado Liquidado a Pagar

D 2.1.2 Obrigações em circulação (P)

C 2.1.2 Obrigações em circulação (F)

D 6.2.2 Crédito Orçamentário Disponível

C 6.2.2 Crédito Empenhado a Liquidar

D 2.1.2 Obrigações em Circulação (F)

C 1.1.1 Disponível (F)

D 6.2.2 Crédito Empenhado a Liquidar

C 6.2.2 Crédito Empenhado em liquidação

D 3.3.2 Variação Patrimonial Diminutiva - Uso de Bens e serviços

C 2.1.2 Obrigações em circulação (P)

Reconhecimento do passivo “Sem suporte orçamentário”

Contabilidade patrimonial – “Classes 1, 2, 3 e 4”

Execução da despesa

Reconhecimento

do passivo (permanente)

Reconhecimento

do passivo (financeiro)

Contabilidade orçamentária – “Classe 5 e 6”

Em Liquidação

Liquidação

Pagamento

Empenho

Pagamento


Slide34 l.jpg

Principais Pontos Orçamentária

A Busca da Contabilidade Patrimonial


Slide35 l.jpg

Para Reflexão Orçamentária

“ O objetivo principal da Contabilidade é de gerar informações úteis para os seus usuários”

Livro: Teoria da Contabilidade, Editora Atlas

“ É muito caro para a sociedade investir recursos humanos e financeiros na geração de informações que cumprem a legislação, mas que ninguém utiliza para tomada de decisão”

Paulo Henrique Feijó


Lei n 4 320 64 art 113 a prerrogativa de altera o dos demonstrativos l.jpg
Lei nº 4.320/64: art. 113 – A prerrogativa de alteração dos demonstrativos

Decreto 6.976/2009

Art. 7oCompete ao órgão central do Sistema de Contabilidade Federal:

.....

XXIV - exercer as atribuições definidas pelo art. 113 da Lei no 4.320, de 17 de março de 1964, a saber: atender a consultas, coligir elementos, promover o intercâmbio de dados informativos, expedir recomendações técnicas, quando solicitadas, e atualizar, sempre que julgar conveniente, os anexos que integram aquela Lei;

Lei nº 4.320/1964

Art. 113. Para fiel e uniforme aplicação das presentes normas, o Conselho Técnico de Economia e Finanças do Ministério da Fazenda atenderá a consultas, coligirá elementos, promoverá o intercâmbio de dados informativos, expedirá recomendações técnicas, quando solicitadas, e atualizará sempre que julgar conveniente, os anexos que integram a presente lei.


Demonstra es cont beis x legisla o l.jpg
Demonstrações Contábeis x Legislação dos demonstrativos

Lei 4.320 e NBCASP

  • Demonstrativo do Fluxo de Caixa

  • Demonstração do Resultado Econômico

NBCASP

  • Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

LRF

  • Balanço Orçamentário

  • Balanço Financeiro;

  • Balanço Patrimonial;

  • Demonstração das Variações Patrimoniais;


Vis o estrat gica das a es da contabilidade l.jpg
Visão estratégica das Ações da Contabilidade dos demonstrativos

Municípios Grandes ou Estruturados

STN/SLTI

(Software Público)

DIVULGAÇÃO (LRF, 48, II)

- Execução Orçamentária

- Execução Financeira

- RREO

- RGF

- Demonstrações

- Lei Haully

Integração entre Sistemas

WEB Services

Portal SLTI

(Software Livre)

Portal Transparência

Padrão de Comunicação

Download

Software Público

Centralização

Linha de Financiamento do PNAFM

(Contabilidade Patrimonial)

Coleta simplificada

Arquivo Padronizado

Ambiente de Apoio

Ambiente de Apoio (União)

Municípios Pequenos

Base Apoio

Entrada (PCASP)

Saída (Demonstrativos)

Processamento

RGF

RREO

DCASP

Sistema Integrado de

Administração Financeira

(SIAFC)

Sistema Padrão SIAFC

Sistema Padrão SIAFC

Sistema Padrão SIAFC

Sistema Padrão SIAFC


Slide39 l.jpg

O momento Exige Ousadia dos demonstrativos

“ Se você pensa ou sonha que pode, comece.

Ousadia tem poder genialidade e mágica.

Ouse fazer e o poder lhe será dado”

Goethe

Alguém sonhou......

Um Grupo Ousou.....

O CFC acreditou no seu poder.

A idéia foi genial!!!

A magia foi encontrar parceiros com o mesmo propósito.

Quem proporcionou o poder? O Universo.....


Slide40 l.jpg

Convivendo com as mudanças.... dos demonstrativos

"Nada existe de permanente a não ser a mudança.“

(Heráclito de Éfeso 540-480 AC)

"Não é o mais forte nem o mais inteligente que sobrevive. É o mais adaptado às mudanças.“

(Charles Darwin 1809-1882)

"Você deve ser a mudança que você deseja ver no mundo.“

(Mahatma Gandhi 1869-1948)


Slide41 l.jpg

Como fazer a mudança de postura ? dos demonstrativos

“ A mudança de cultura é uma porta que abre por dentro”

Vilma Slomsky


Slide42 l.jpg

O que o Profissional deve fazer ? dos demonstrativos

Encontre a chave que existe em cada um de vocês e abra a porta para a Contabilidade.

Secretaria do Tesouro Nacional - STN

Coordenação-Geral de Contabilidade – CCONT

[email protected]


ad