Hospital municipal de novo hamburgo l.jpg
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 28

HOSPITAL MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO PowerPoint PPT Presentation


  • 209 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

HOSPITAL MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO. Estudo de Caso: COLECISTECTOMIA. 25 AGOSTO DE 2007. Anelise Mallmann. ESTUDO DE CASO. NOME: I. O. S. SEXO: F EC:V NH IDADE: 66 Anos. DATA DE INTERNAÇÃO; 12/07/07. MOTIVO DE INTERNAÇÃO: Cálculo na vesícula.

Download Presentation

HOSPITAL MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


HOSPITAL MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO

Estudo de Caso:

COLECISTECTOMIA.

25 AGOSTO DE 2007.

Anelise Mallmann.

www.sogab.com.br


ESTUDO DE CASO

  • NOME: I. O. S.

  • SEXO: F EC:V NH

  • IDADE: 66 Anos.

  • DATA DE INTERNAÇÃO; 12/07/07.

  • MOTIVO DE INTERNAÇÃO: Cálculo na vesícula.

  • PRINCIPAIS SINTOMAS ANTES DA INTERNAÇÃO: Mal estar, vômitos, queixas abdominais.

  • DIAGNÓSTICO CLÍNICO: Dor em epicôndrio direito e epigástrico, histórico de colestíase.

  • CIRURGIA: Colecistectomia, coliperitório.

www.sogab.com.br


Ferida cirúrgica

www.sogab.com.br


www.sogab.com.br


VESÍCULA BILIAR

  • A vesícula é um órgão com forma de forma de pêra, com cerca de 7-10cm de comprimento em humanos e com uma aparência verde escuro devido ao seu conteúdo(bile) e não ao tecido. Localizada abaixo do fígado na parte superior direita do abdômen. Sua função é armazenar a bile. Está unida ao ducto biliar que tem origem no fígado e traz a bile para a vesícula e ao intestino. Neste local a bile ajuda na digestão de alimentos. A vesícula é um órgão dispensável para uma vida saudável.

www.sogab.com.br


COLECISTECTOMIA

  • É a retirada da vesícula biliar. Apesar de técnicas não cirúrgicas, ela é o método mais comum de se tratar a colelitíase sintomática, embora existam outras razões pela a qual a cirurgia deve ser feita.

  • Todo ano mais de 500.000 norte-americanos fazem cirurgia de vesícula biliar. As opções cirúrgicas incluem o procedimento padrão chamado de colecistectomia laparoscópica, e um método invasivo mais antigo, chamado de colecistectomia aberta.

www.sogab.com.br


INDICAÇÕES

  • A colecistectomia geralmente é indicada na presença de cálculos dentro da vesícula biliar, formando colecistite aguda ou crônica ou até neoplasias.

www.sogab.com.br


TÉCNICA

  • A colecistectomia pode ser realizada por videolaparoscopia (cirurgia a laser), através de pequenas incisões de 10 a 5mm, ou por laparotomia ( convencional), realizada incisão que pode variar de poucos a mais de 25cm, dependendo das características biótipicas do paciente e de achados intraoperatórios.

www.sogab.com.br


VIDEOLAPAROSCOPIA

  • Incisão pelo umbigo, CO2, aumentando o espaço abdominal.

  • Introduzindo um tubo metálico chamado trocáter, por onde é colocado o laparoscópio (telescópio), visualizando a cavidade abdominal + 3 pequenos cortes (0,5cm), que serão utilizados durante a cirurgia.( proteção da artéria, esvaziamento, sangue )

www.sogab.com.br


VIDEOLAPAROSCOPIA

  • Média de um dia de internação, repouso de 10 a 15 dias.

  • Reduz o desconforto pós-operatório,

  • Abrevia a estadia hospitalar,

  • Reduz o afastamento no trabalho.

www.sogab.com.br


LAPAROTOMIA

  • Corte abdominal de 20 a 30 cm, realizada quando aumenta o grau de inflamação, condições anatômicas, obesidade, histórico de cirurgia prévia, rompimento da vesícula (extravasamento de cálculos, sangue, líquidos biliares).

  • Média de dois meses de recuperação, tendo como conseqüência, uma possível hérnia no local do corte

www.sogab.com.br


RISCOS

  • Reação pela medicação

  • Hemorragias

  • Problemas respiratórios

  • Infecções

www.sogab.com.br


PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS

  • O primeiro pós operatório, o paciente apresenta diminuição significante dos volumes pulmonares.

  • Diminuição da força muscular respiratória.

  • Diminuição de até 20% na capacidade pulmonar( principal fator :anestesia).

www.sogab.com.br


PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS

  • Diminuição da relação V/Q /espansibilidade.

  • Após o quarto e sexto pós operatório a

    pressão inspiratória máxima e o índice

    diafragmático podem retornar aos seus valores

    normais desde que o paciente colabore com a

    fisioterapia e condutas fornecidas.

www.sogab.com.br


EM CASO DE DOENÇA GRAVE

  • Nos casos em que o paciente encontra-se em tratamento por alguma doença grave, pela qual não é apropriado a colecistectomia, a cirurgia pode ser adiada, seguindo um tratamento rigoroso. Antibióticoterapia,

  • Doença tratada,

  • Realizada no período máximo de seis semanas.

www.sogab.com.br


EM CASO DE DOENÇA GRAVE

  • Na última década foi criado um novo método, pela qual o paciente recebe uma substância com éter metilterbutilo que auxiliará na fragmentação de cálculos por ondas sonoras.

www.sogab.com.br


CÁLCULOS

Formam-se de maneira lenta e aumentam

progressivamente de número e tamanho,

sendo divididos em três tipos:

  • Cálculo formado por sais de cálcio,

  • Cristais de colesterol,

  • Formação mista

www.sogab.com.br


Extravasamento de cálculos

www.sogab.com.br


DOEÇAS QUE INCIDEM NA VESÍCULA BILIAR

www.sogab.com.br


LETÍASE BILIAR

  • Formação de cálculos que podem obstruir o canal cístico, causando contrações na parede muscular da vesícula biliar, que se traduz sintomaticamente como cólica biliar, popularmente, “dor na boca do estômago”. Quando o cálculo não se desloca, a bile fica represada, irritando a parede da vesícula, que pode propiciar o aumento de bactérias, originando o quadro clínico de colecistite aguda

www.sogab.com.br


COLECISTITE AGUDA

  • Inflamação da vesícula, com ou sem a presença de cálculos.

  • Um surto de colecistite aguda pode regredir, ou progredir, como conseqüência da infecção causar o rompimento da vesícula. Essa ruptura a maioria das vezes fica bloqueada no quadrante superior do abdômen. Entretanto, pode romper para dentro da cavidade abdominal, originando um quadro grave de peritonite difusa

www.sogab.com.br


COLECISTITE CRÔNICA

  • Inflamação prolongada, dores abdominais agudas e intensas. Presença de cálculos. A parede interna contém cicatrizes e úlceras pelo aumento do tecido fibroso, causado por episódios de inflamação aguda.

www.sogab.com.br


CÂNCER DE VESÍCULA BILIAR

  • Incidência baixa, na maioria das vezes por cálculos biliares presente à anos.

www.sogab.com.br


DIVERTICULOSE

  • Pequenas bolsas (úlceras)no revestimento vesicular interno que podem produzir inflamação e posteriormente remoção da vesícula. Ocorre mais em idosos, cerca de 5% da população idosa já realizaram a cirurgia por diverticulose.

www.sogab.com.br


EXAME FÍSICO DA PACIENTE

  • Paciente em DD, tendo como incentivos primários sentar-se no leito.

  • Respirando com o auxílio de ON de

    3L/min,Intracath em subclávia esquerda,sinais

    vitais estáveis,extremidades superiores

    aquecidas e acinóticos, extremidades inferiores

    gélidas apresentando edema.

www.sogab.com.br


TRATAMENTO FISIOTERAPEUTICO

  • Incentivo a sentar-se no leito;

  • Incentivo à respiração diafragmática;

  • Incentivo da importância da fisioterapia;

  • Manobras de higiene brônquica (TEMP LENTO TEMP BRUSCO, CTA, GT, AFE...);

www.sogab.com.br


TRATAMENTO FISIOTERAPEUTICO

  • Técnicas insulflatórias;

  • Coluna d`água;

  • Alongamento de MsSs / dissociação de CP;

  • Movimentos ativos assistidos e ativos resistidos de MsSs;

  • Movimentos passivos e ativo assistidos de MsIs.

www.sogab.com.br


Referências Bibliográficas

  • www.abcdasaude.com.br/artigos

  • www.gastroweb.com/procediimentos/colecistectomia

  • www.wikipedia.org/colecistectomia

  • www.msd-brazil/merk paciente em primeiro lugar.

www.sogab.com.br


  • Login